Páginas

sábado, 20 de maio de 2017

O Uso das Imagens na Umbanda

Recebo muitas mensagens pedindo a imagem deste ou daquele guia. 
Mas qual a importância das imagens na umbanda?

É apenas de ser um ponto referencial.
Não podemos nos apegar a uma determinada imagem como sendo do caboclo "João das couve" (pra quem não me conhece, sempre uso esse exemplo), por que na minha casa ela pode ser do "João das Couve" e numa casa lá no outro extremo do país, a imagem será do "José das batatas".
A maioria das imagens é confeccionada em formas, muitas são idênticas as outras, mudando um ou outro adorno, uma ou outra cor. Diferencia a pintura do artesão ou pessoa que vai termina-la.
As imagens, em hipótese nenhuma são retratos dos guias. São apenas uma referência para nossa comunicação, nada além disso. Elas são apenas representatividade. O guia, a entidade, o Orixá NÃO ESTÁ ALI. É como se fosse uma foto de uma pessoa querida.
E isso leva a outro ponto. Quebrou? Lixo! Nada de poluir matas, rios e estradas. Lembre-se que Orixá é Natureza, é energia. O material das imagens geralmente é em gesso ou resina, e nas ruas ou natureza, pode causar ferimentos sérios em outras pessoas. Precisamos nos atentar a não degradar a morada dos nossos orixás. Nunca "despache" uma imagem numa cachoeira, por exemplo. Crianças e adultos podem se ferir seriamente. Imagens quebradas podem perfeitamente ir pro lixo. Sua entidade não está nela. Está com você, em você. E ela é apenas representada ali.
Ainda sobre a imagem deste ou daquele guia em específico, venho lembrar que em muitos terreiros tem o costume de "batizar as imagens", ou seja. O médium compra uma imagem que lhe agrada, e o guia chefe a batiza com o nome da entidade do médium. 
Muitas imagens são extremamente conhecidas, como da vovó Cambina, do Pai Cipriano. Mas devido a isso, alguém, alguma vez, em algum lugar nomeou a imagem, e de boca em boca, foi-se consolidando ligação entre imagem e nome.

Apeguem-se menos a imagens, e mais a orações e firmeza de pensamentos, são eles que nos elevam a Deus, aos nossos guias e Orixás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário