Páginas

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Vampiros Emocionais - Eles estão entre nós e são mais comuns do que imaginamos

Sabe aquela sensação de ter sido atropelado por um caminhão depois de uma conversa despretensiosa com um (a) amigo (a)? Ou quando você recebe um telefonema de cinco minutos que parece uma eternidade agonizante e, no final, você só pensa em enfiar a cabeça em um buraco e ficar lá para sempre e mais um pouco? Ou, ainda, quando você recebe a visita de um conhecido e em menos de meia hora você tem a sensação de ter apanhado impiedosamente com uma vara de bambu? Isso soa familiar?

Pois bem, você foi vampirizado. E não por um vampiro qualquer, daqueles sedentos por sangue, mas sim um vampiro emocional, sedento por….bem, por tudo o que você possa – e principalmente não possa – oferecer.

Vampiros emocionais são chamados assim porque eles têm uma tendência de drenar a energia emocional de todos os que entram em contato com eles. Eles precisam de atenção constante. Eles sempre têm alguma crise ou um grande evento acontecendo em suas vidas. Eles são especialistas em provocar reações emocionais nos outros e, em seguida, alimentar-se delas, sejam elas emoções positivas ou negativas.

Todos os vampiros emocionais sofrem de baixa autoestima, mas nem todas as pessoas com baixa autoestima são vampiros emocionais.

Mas não se engane! Os vampiros emocionais não são perdedores patéticos. Eles podem ser algumas das pessoas mais charmosas e bem-sucedidas que você já encontrou. Homens, mulheres, bonitos, feios, ricos, pobres, eles vêm em diferentes formas e tamanhos, mas sempre criam relacionamentos tóxicos, tanto como parceiros românticos quanto como amigos.

A conversa com um vampiro emocional é, invariavelmente, sobre um único assunto: ele. É tudo sobre ele: seus problemas, como todos são uns babacas com ele, o quão incrível ele é e o quanto todo mundo gostaria de ser como ele, só para citar alguns. De qualquer maneira, basta uma hora de conversa para que você tenha vontade de bater a sua cabeça contra a parede repetidamente. “Por favor, faça esse barulho parar!”

Vampiros emocionais também são capazes de fazer estrondosas demonstrações públicas a fim de atrair a atenção. Nesse jogo vale tudo. Tudo mesmo. Como se costuma dizer, publicidade é sempre publicidade, seja ela boa ou não. E quando você está com fome de atenção, criar qualquer tipo de reação emocional das pessoas ao seu redor – mesmo que seja de indignação, compaixão, raiva ou ódio – vale a pena.

Essa constante necessidade de afirmação drena a energia e a paciência das pessoas. Os altos e baixos emocionais, os sucessos e fracassos dramáticos são cansativos e as pessoas não estão dispostas a tolerar isso.

Existe apenas um tipo de pessoa que vai gostar de se aproximar de um vampiro emocional: outro indivíduo com baixa autoestima. Ou ele é disfuncional demais para perceber os efeitos nocivos dos vampiros emocionais sobre ele ou ele mesmo é um vampiro emocional que precisa de um drama sem fim e atenção fora dos padrões.

Os vampiros emocionais são incapazes de ser honestos consigo mesmos e aceitar a responsabilidade por suas vidas. Eles precisam de um bode expiatório, seja a sua aparência, uma “conspiração” dos colegas de escritório, como mamãe e papai o tratam mal, entre outras variedades de crenças autodestrutivas.  Muitas vezes eles odeiam ficar sozinhos e também tendem a causar conflito se ainda não houver nenhum.  A razão é que eles precisam disso para se distrair… deles mesmos.

Essa falta de consciência mantém o jogo da culpa rolando, que por sua vez alimenta a busca por validação e atenção descendo ladeira abaixo que, por sua vez, perpetua a falta de autoconsciência para o alto e avante. Ou seja, é uma grande bola de merda sendo jogada no ventilador.

Não deixe os vampiros emocionais sugarem a sua energia e evite tornar-se um deles.

Como?

Concentrar-se apenas nas coisas que você pode controlar, por exemplo, te força a assumir responsabilidade pelo que acontece com você. Demonstrar gratidão te obriga a sair da sua mentalidade de vitima e encoraja as pessoas a sentirem simpatia genuína por você, em vez de atenção superficial ou, pior ainda, pena. Invista em boas relações e valorize quem cultiva bons sentimentos e se preocupa com o seu bem-estar.

Não permita que a sua vida gire em torno de um vampiro emocional.

Da próxima vez que você sentir a presença de um sugador de energias ao seu redor, proteja a sua jugular e abra bem a janela para deixar a luz entrar. A claridade provocada por esta atitude bastará para que ele saia para sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário