Páginas

Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

terça-feira, 18 de abril de 2017

A Cura dos Espíritos Sofredores

A cura e o alívio de espíritos que encontram-se atormentados é uma prática de auxilio muito corrente no meio espiritualista. Diversas são as religiões e doutrinas que realizam esse trabalho no plano material e no plano espiritual.

No plano espiritual são os socorristas (uma classe de espíritos que estão voltados para o amparo espiritual daqueles que se encontram perdidos nas zonas umbralinas). Diversos são os motivos que levam um espírito a transitar por essas zonas umbralinas, zonas essas que são verdadeiras prisões mentais de atos ilícitos que cometemos conosco e contra nosso semelhante.

No Kardecismo o trabalho de cura, conscientização e doutrina é realizada em beneficio de espíritos retirados dessas zonas astrais umbralinas que podemos também nomear como o limbo tão bem descrito na bíblia. A zona Umbral não é nem o "Céu" nem o "inferno", digamos que seja a ante-sala para ambos, ali ou você ascende ao primeiro grau da luz ou desce ao primeiro grau das trevas. No umbral com ajuda dos espíritos socorristas caso você aceite fazer uma reforma intima você ascendera, caso o espírito deseje permanecer vibrando sentimentos negativos como o ódio, esse sentimento ira cada vez mais se acentuando e o espírito ira tornando-se cada vez mais denso, energeticamente falando, e caí para o primeiro grau das trevas onde tem inicio a sua trajetória decadente até chegar ao sétimo grau negativo onde o espírito torna-se a expressão viva da sua queda e de seu negativismo.

O kardecismo lida com a cura de espíritos aprisionados somente na faixa vibratória umbralina que ainda é o "meio" e por isso desde Allan Kardec, desenvolveu-se toda uma prática doutrinária embasado no evangelho para elucidação, conscientização e doutrina dos espíritos aprisionados nessa zona umbralina, para que depois de doutrinado, um mentor espiritual encaminha-o a um local onde possa ser curado de suas chagas (doenças e ferimentos) abertas em seu perispírito.

Agora na Religião de Umbanda a coisa é diferente.

Na Umbanda, em seus trabalhos espirituais também há a parte voltada a esse trabalho de cura de espíritos sofredores, porem esse trabalho ocorre em outro nível e de uma outra forma.

1º O trabalho de resgate de espíritos não se dá na zona umbralina, os espíritos resgatados pela religião de Umbanda são espíritos que já caíram nos graus descendentes desde o primeiro ao sétimo grau. A Umbanda resgata espíritos já caídos nas trevas em seus mais diversos níveis.
2º Os espíritos socorristas de Umbanda são um pouco diferente dos socorristas kardecistas. Os socorristas de Umbanda são uma classe de espíritos destinados a esse trabalho e que possui uma energia e imantação mais firme para resistirem as faixas vibratórias negativas mais densas, também são dotados de outros recursos como armas e idumentárias especificas simbólizadoras de seus graus, para que usem caso haja algum "imprevisto" ou impedimento no resgate desses espíritos caídos.

(Saibam que cada médium de Umbanda traz em sua corrente espiritual um guia "caçador de almas perdidas" que não incorpora, porem é responsável por resgatar espíritos caídos nas trevas e os agregarem em nosso campo mediúnico para que assim possam ser curados, regenerados e encaminhados para seu lugares de merecimento. Essa informação foi transmitida pelo Senhor Caboclo Arranca-Toco incorporado em mim, quando indaguei a ele o motivo de uma infinidade de espíritos sofredores se agregarem em nossa corrente e como atraímos tantos espíritos dessa natureza, pois quando damos passagem à esses espíritos nunca nenhum médium disse: (Ah ! hoje estou "zero" não tem nenhum) e por mais que tomássemos banho de sal grosso e estivéssemos "zem", pelo contrário aí é que vinha mais). Ele então informou que esses espíritos sofredores são deixados em nosso campo mediúnicos, por esses "caçadores de almas perdidas" cuja missão é facultar a esses espíritos resgatados um meio de retomarem suas evoluções.

3º Essa classe de espíritos sofredores que são resgatados na Umbanda, são espíritos que caíram nas trevas da ignorância e lá expandiram ainda mais o negativo que traziam em si, tais como o ódio, a devassidão etc. Que os levaram a quedas intermináveis. Porem em um determinado momento que esses espíritos ultrapassam todos os limites impostos pela Lei Maior, essa mesma Lei os verga, purificando-os através da dor, pois só usando desse último recurso a Lei Divina anula a ação negativa desse espírito caído e através da dor pura esse espírito caído, agora volta sua face para Deus e clama por perdão à todos os seus erros cometidos, e já profundamente arrependido, o seu intimo só vibra duas coisas que são: dor e a esperança de alguma forma fazer o bem e servir Deus ajudando seu próximo.
4º A Lei Maior usa de um de seus agentes nas trevas, para lembrar a esse espírito caído que fora da caridade não há salvação, e esses agentes nas trevas a serviço da Lei (Exus Guardiões) sabem exatamente como interromper a queda acentuada desses espíritos, usando de meios necessários para transforma-los em verdadeiros "anjos" querendo sair o mais rápido possível das trevas para fazer o bem ao seu semelhante.
5º Após esses espíritos caídos nas trevas serem purificados de seus negativismos, eles são agregados no campo magnético de um médium Umbandista ou no campo magnético de algum templo Umbandista e ali são curados e regenerados, recebendo a luz da chama branca das velas que curam e regeneram seus espíritos quase que instantaneamente e já curados são encaminhados ao seu local de merecimento, onde a partir daí retomam o caminho reto da evolução.

Vemos ai o motivo da diferença da incorporação de um espírito sofredor no Kardecismo e a diferença da incorporação de um espírito sofredor na Umbanda.

Vemos ai o porque o espírito sofredor que incorpora no médium Umbandista o faz de forma tão passiva e o que incorpora no médium Kardecista o faz de forma tão ativa. Na Umbanda esse espírito sofredor quando incorpora em um médium ele não precisa ser mais doutrinado, conscientizado e esclarecido, pois ele sabe que a causa de sua dor foi ter causado tanta dor no seu semelhante e ele aprendeu isso pagando um preço muito caro. Por isso quando ele incorpora em um médium Umbandista ele só o faz para ter seu espírito curado através da chama da vela branca e ter seu magnetismo humano refeito e que nós seus semelhantes, somos os únicos que podemos doa-lo em potencial. Por isso ele não fala quem foi em sua última encarnação, não dá o seu nome, não chora, não se revolta, não reclama e não fala o motivo de sua queda, porque ele foi transformado através da dor que é o ultimo recurso da Lei Maior para espíritos cujas quedas sucessivas o anulariam por completo. Ele quer somente ser curado e ter seu magnetismo humano refeito para poder o mais rápido possível resgatar todos os seus erros do passado.O primeiro recurso da Lei Maior é transmutar o espírito ainda na zona umbralina e o ultimo recurso da Lei Maior é o esgotamento do espírito através da dor, a pior escola para se aprender, porem um recurso válido e transformador para os espíritos que se perderiam em suas quedas. Lembrem-se disso: Em ambas as ações da Lei Maior ela sempre visa à preservação da vida do ser.

Sarava a Umbanda


Publicado em 10 de agosto de 2011 pelo autor Pablo Araújo de Carvalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário