Páginas

Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Umbanda não é Macumba

Em primeiro lugar, trazer este título não diminui em nada o conceito de Umbanda ou de Macumba. Tal título não entra como uma afirmação da Umbanda em detrimento do que se venha a entender como Macumba. Seriam títulos similares a este: “Umbanda não é Candomblé”, “Umbanda não é folclore”, “Umbanda não é batuque”, “Umbanda não é Espiritismo”, “Umbanda não é qualquer coisa…”. Quem sabe no futuro venham mais títulos como estes. Sabemos que a Umbanda tem muito em comum com Espiritismo, Candomblé e até com o folclore, mas não é a mesma coisa.
Embora em algumas situações a Umbanda seja considerada Macumba – quando muitos ainda generalizam e colocam várias religiões no mesmo saco – Umbanda não é sinônimo de Macumba e nem Macumba é sinônimo de Umbanda.
Umbanda é uma religião brasileira, com fundamento próprio, história, e estrutura única no contexto das religiões. Macumba é um termo genérico que no conceito leigo, popular e ignorante adquiriu uma identidade pejorativa. Para muitos, Macumba é sinônimo de magia negativa e, empregar esta interpretação da palavra à Umbanda estará sempre errado.
Para outros, Macumba é um despacho ou uma oferenda, o que é realizado por muitas religiões e práticas mágicas e, portanto, não é exclusividade e nem sinônimo de Umbanda. Macumba é, também, o nome de um tambor, e mesmo que se use um destes na Umbanda, o nome de um instrumento não identifica ou muda o nome de uma religião como que possui identidade própria.
Macumba era o nome de cultos afro-brasileiros originários da cultura Banto realizados no Rio de Janeiro. Embora a Umbanda guarde semelhanças com estes cultos é importante que se diga: parecido não é igual.
E, finalmente, para muitos umbandistas Macumba é uma forma descontraída e irreverente de identificar sua religião e ironizar todo o preconceito e carga pejorativa que a palavra em si carrega. Este umbandista está certo no emprego da palavra na qual ele sabe que entre outros umbandistas se faz entender. Então, é possível considerar Umbanda como Macumba (somente neste particular sentido) o que de fato acontece todos os dias.
Identificar Umbanda como Macumba pode estar certo ou errado inclusive dependendo do tom de voz e a intenção com que se afirma. Por exemplo: uma pessoa preconceituosa quando chama a Umbanda de Macumba e o umbandista de macumbeiro faz com a intenção clara de agredir, discriminar e diminuir a fé alheia desclassificando qualquer qualidade que possa ter relacionada ao sagrado. Agora, quando um umbandista, que conhece sua religião e sabe que é chamado de macumbeiro e sabe também que chamam sua Umbanda de Macumba assume esta identidade com irreverência e diz abertamente “vou à Macumba”, ele não está errado, pois o erro está muito mais na carga pejorativa da palavra do que no seu emprego em si. E, desta forma, quando duas pessoas estão afirmando que a Umbanda é Macumba é possível que uma esteja certa e outra esteja errada. Certa e errada não com a afirmação em si, mas com a interpretação das palavras.
No entanto, se falar para pessoas leigas que vai a uma Macumba, independente do tom, pejorativo ou não, estas pessoas não vão entender que você está indo para um ritual de Umbanda, e podem imaginar mil situações com relação a tal de Macumba, inclusive acreditar que você vai a alguma prática mágica duvidosa ou eticamente incorreta.
Portanto, posso dizer que sou Macumbeiro ou que vou à Macumba, mas há hora e contexto certos para isso.

Por Alexandre Cumino

Nenhum comentário:

Postar um comentário