Páginas

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

O Que é o Passe?


Falar sobre o passe nos pede um aprofundamento natural. E procuraremos nesta matéria e na da semana que vem abordar essa transmissão de energias espirituais com mais profundidade.
Já faz algum tempo que venho recebendo alguns pedidos para escrever sobre o tema. Recordo-me da pergunta de número 98 do extraordinário livro “O Consolador”, de Chico Xavier, ditado pelo seu benfeitor Emmanuel (editora FEB).
Nessa obra, o mentor nos diz:
“Assim como a transfusão de sangue representa uma renovação das forças físicas, o passe é uma transfusão de energias psíquicas, com a diferença de que os recursos orgânicos são retirados de um reservatório limitado, e os elementos psíquicos o são do reservatório ilimitado das forças espirituais”.

Por esta resposta, notaremos que o passe é também uma faculdade anímica; e ao mesmo tempo sua aplicação interage com as forças do ambiente.
Notaremos numa situação também da lavra mediúnica de Chico Xavier, quando o Espírito André Luiz nos diz, no livro “Opinião Espírita” 
(editora Boa Nova):
“O passe não é unicamente transfusão de energias anímicas. É o equilibrante ideal da mente, apoio eficaz de todos os tratamentos”.
É curioso que todos nós imaginamos que o passe é algo miraculoso. E não é. Para sermos um bom passista, temos que ter um bom conteúdo de equilíbrio na mente – para que possamos doar o que temos de mais nobre e belo.

Para sermos um bom passista, segundo o comentário de Emmanuel e de André Luiz, não precisamos ter um extraordinário conhecimento, e sim um extraordinário coração, pulsando o amor.
Muitos poderão me perguntar: mas e o conhecimento, como fica?
O conhecimento é muito importante; a instrução... mas de nada adianta vermos o que vemos na atualidade: pessoas altamente cultas, com um comportamento deplorável!

Está no livro “A Gênese”, capítulo 14, item 18. O Mestre de Lyon nos diz:
“Pela sua união íntima com o corpo, o perispírito desempenha preponderante papel no organismo. Pela sua expansão, põe o Espírito encarnado em relação mais direta com os Espíritos livres e também com os Espíritos encarnados. O pensamento do encarnado atua sobre os fluidos espirituais, como o dos desencarnados, e se transmite de Espírito a Espírito pelas mesmas vias e, conforme seja bom ou mau, saneia ou vicia os fluidos ambientes”.

Diante dessa assertiva de Kardec, chama-nos a atenção:
Nosso pensamento, se ligando as energias renovadoras e reparadoras às pessoas que tomaram o passe.

Ficamos a imaginar o cenário de trabalho de uma Casa Espírita, em que inúmeras dimensões se unem pelo mesmo propósito de ajudar e cooperar com aquelas que lá frequentam. E isso sem deixar de nos ajudar mutuamente – o passista também se ilumina!
Assuntos tão importantes como este não podem passar batidos.

Precisamos conhecer cada vez mais como funciona todo este mecanismo em que cada um de nós nos encontramos envolvidos.
O que nos resta é seguir aquela máxima Espírita Cristã do Codificador que nos diz: “Espíritas, amai-vos e instruí-vos”.
Autor: André Luis Chiarini Villar
Extraído do livro: Momentos de Reflexão, à luz do Espiritismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário