Páginas

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

A Cura por merecimento


Sob o juízo das Leis Divinas, o que vem a ser o merecimento? Como se estabelece o critério "por merecimento" nas curas das doenças humanas?
Essas interrogações fazemos, muitas vezes, ao constatarmos casos conhecidos popularmente como "curas milagrosas", isto é, situações em que diante de um diagnóstico médico realista em relação à impossibilidade de cura, o indivíduo, surpreendentemente reverte as expectativas e passa a apresentar um quadro clínico de plena recuperação de sua saúde.

O Espiritismo, através das Leis Morais - ou Divinas -, assim como o Budismo, através da Lei Dhammaniyama, informam-nos que a Lei de Causa e Efeito está simbioticamente relacionada com o livre arbítrio durante as sucessivas vidas do espírito encarnado, ou seja, para toda a "causa" que provocarmos através do livre arbítrio, existe um "efeito" proporcional àquilo que causamos, seja pelo bem ou pelo mal.
O que permite concluir que na natureza não existem forças solitárias, e sim uma série de sistemas de compensação, onde uma força sempre encontrará uma outra na mesma direção e sentido oposto. Através desta abordagem e entendendo que uma ação pode ser representada por uma causa ou um estímulo que parte do indivíduo para o meio, e que o efeito pode ser entendido como uma reação que torna do meio para o indivíduo, pode-se afirmar que a Lei de Causa e Efeito é análoga à terceira Lei de Newton: 
"Se um corpo A aplicar uma força sobre um corpo B, receberá deste uma força de mesma intensidade, mesma direção e sentido oposto à força que aplicou em B".

Portanto, a Lei de Causa e Efeito do Espiritismo, ou a Lei Dhammaniyama do Budismo, são similares ao raciocínio científico no que diz respeito à Teoria de "causa e efeito" ou "ação e reação" da Física. 
Em suma: são leis naturais aplicadas em duas realidades dimensionais, a material e a espiritual.

O merecimento não é Lei Divina e sim um critério adotado pela "Fonte de Amor Universal" que beneficia o indivíduo que encontra-se em débito com as Leis Morais. Tudo indica, no entanto, que o critério do merecimento tenha relação direta com o processo de reforma íntima (moral) que o beneficiado esteja experenciando na vida atual, já que pelo senso de amor e justiça das Leis Divinas, na vida humana nada acontece por acaso e tudo tem uma razão de ser e de existir.
Conforme as Leis Divinas e, principalmente, a Lei de Causa e Efeito, somos hoje, a soma do que temos sido em vidas passadas. A enfermidade quando se manifesta, mostra-nos que para curar as "feridas" (causas) do passado que se materializam em forma de "efeitos", necessitamos evoluir consciencialmente pela prática das Leis de Amor e Justiça. Única forma verdadeira de atingirmos a qualidade que torna uma pessoa dígna de alcançar um prêmio... um mérito, ou seja, a dádiva do merecimento.
A mensagem "Saúde integral" de Joana de Ângelis, por intermédio da psicografia de Divaldo Pereira Franco, aborda a importância de deixarmos fluir em nossas vidas a energia do amor como fator de cura e de sanidade fisio-psíquica:
"Forçoso reconhecer-se que o ser atual é um somatório de experiências próximas e remotas. Neste contexto, o amor assume papel preponderante em razão das energias que libera no sistema imunológico, fortalecendo-o no sistema nervoso simpático e nos glóbulos brancos, fundamentais na luta pela preservação da saúde. Uma organização físio-psíquica sadia, resulta na perfeita identificação entre o espírito e o soma, como decorrência das reencarnações anteriores ou das conquistas atuais, preparando a existência em marcha para a plenitude".
Autor: Flávio Bastos (Psicanalista Clínico e Interdimensional.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário