Páginas

Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

O Que é um Cruzeiro das Almas


Isso da azar? Chama a morte?

PAI OBALUAYÊ, Orixá da transmutação cujo nome significa (REI SENHOR DAS TERRAS) e com base nos muitos mistérios deste grande e amoroso Orixá abordaremos um tema pouco compreendido dentro da Umbanda o CRUZEIRO DAS ALMAS.

Geralmente encontrado dentro dos cemitérios que na Umbanda conhecemos como CAMPO SANTO ou ainda CALUNGA PEQUENA (Espaço Sagrado), o CRUZEIRO DAS ALMAS ficou conhecido como ponto de referência para que velas sejam acesas em lembrança e homenagem das pessoas que ali foram enterradas em um ritual para que suas almas sejam levadas a DEUS. Deixamos claro aqui que não levantamos em hipótese alguma criticas para os irmãos de outras denominações religiosas que lá se dirigem no Cruzeiro (termo mais conhecido e usado) tomando o fato citado acima somente como exemplo.

Infelizmente também presenciamos em determinados cruzeiros trabalhos de ordem negativa que fogem do conhecimento de quem o fez do sentido religioso que este ponto de forças tem dentro da Umbanda e ainda vale lembrar que em outras situações encontramos sujeira que também é um fator de desrespeito para com Obaluayê e para com os que lá se dirigem.

Um CRUZEIRO DAS ALMAS é uma passagem, ou ainda, um portal onde o espírito passa de um plano vibratório para outro e o Orixá que rege este campo de ação é Obaluayê, mas o cruzeiro serve somente para isso? Podemos interpretar "plano vibratório" como campo de energias, isso pode se aplicar a diversas situações que estejamos passando em nossas vidas como por exemplo: Uma doença física, emocional, uma obsessão complexa ou mesmo simples, magoas, ódios, rancores e todo sentimento de ordem negativa e quando falamos em TRANSMUTAÇÃO nos referimos também a modificação de vibração que nos problemas citados acima seria o oposto ou seja o lado positivo.

Se nos referimos a "planos" podemos ainda simplificar por "passagens" para que de forma simples nos tornemos mais compreendidos que da o título muito conhecido de Pai Obaluayê como também "SENHOR DAS PASSAGENS".

Direcionamo-nos agora para uma casa, centro, tenda de Umbanda onde encontramos nos terreiro sempre um "cantinho" das almas" ou o CRUZEIRO DAS ALMAS. Muitas vezes um determinado guia nos da uma vela branca e nos pede para firmá-la no mesmo, logo interpretamos que estamos com eguns, quiumbas ou algum sofredor, mas nos esquecemos que tal qual no campo santo, ali também é um ponto natural e sagrado de Obaluayê e muitas vezes a "vela" não para os outros, mas sim para nós mesmos, para podermos com a ajuda do Pai Transmutarmos algo de ruim ainda que não estamos conseguindo sozinhos resolver dentro de nós. Lembramos ainda que o Cruzeiro de um centro tem a função de proteger também a casa de ataques de seres infelizes vampiros espirituais, etc. Como no campo santo é feito.

Como podem ver nada tem a ver um cruzeiro das almas com azar ou chamamentos da morte, isso é fruto de crendices populares e gente infelizmente ainda mal informada dentro e fora da Umbanda. Além de um campo de proteção para a casa, ali ficam direcionadas as forças do Orixá Obaluayê, para que de forma sagrada e ritualística elas possam ser evocadas.

Atoto Meu Pai Obaluayê!

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Sensações Físicas e Emocionais


Quando começamos na corrente mediúnica, sentimos muitas sensações que acabam gerando muitas dúvidas. 

Quando passamos a entender certos processos, eles passam a nos soar mais familiares, a parecer mais simples e natural.. nem nos causar mais tanto medo e insegurança, principalmente se temos a oportunidade de estar em contato com outros que passam o mesmo ou parecido com o que passamos.

Assim criamos mais segurança e vencemos o medo do desconhecido.

Não se apresse, não se pressione , nem permita que outros façam isso.

Cada pessoa tem seu tempo, pois não envolve somente "abertura de canais mediúnicos", mas o emocional e o psicológico precisam estar bem também, para que tudo ocorra de forma salutar, que traga alegria, leveza e satisfação.
e não mais agonia, desespero, medo e insegurança....

Existem várias reações, sensações e efeitos que se manifestam em nós, resultado do processo de movimentação energética.
Essa movimentação tanto pode ocorrer durante a gira, anterior a ela, pois nossos espíritos já estão preparando nosso campo energético horas e as vezes dias antes (dependendo do tipo de trabalho que ocorrerá).

Mas não devemos esquecer que somos um campo sempre em atividade.
E podemos sentir algum efeito mesmo não estando "ativada" dentro de nosso terreiro atuando numa gira.´

Nós estamos sempre em contato com pessoas e ambientes , e somos mais que outras pessoas, sensíveis a possíveis presenças de campos energéticos de outras pessoas e ambiente, assim como nossas entidades podem estar agindo para assistência a terceiros junto a nós, sem que nos demos conta disso.
Tambem podemos estar sendo doadores naturais de ectoplasma, e outros tipos de fluidos a alguém desvitalizado que funciona como um fonte sugadora de nossas energias.
E tudo isso pode causar alguns efeitos colaterais e deixar sensações e causar alguns efeitos , que logo passam.
Outras vezes precisamos de algum tipo de recarga;
- banho de ervas ou passes energéticos, para repor a energia gasta.

O mais importante é entender que se você é uma pessoa equilibrada, que sempre está equilibrando suas energias, repondo e em constante movimento, que você está harmonizada com seus guias..... eles estarão sempre assistindo você, seja no terreiro ou não. 
Eles tomam conta até quando não percebemos, nas coisas simples do dia a dia. 

Os Bocejos 
São frutos da emancipação/ soltura do corpo astral que está sendo preparado para o afastamento que virá com a incorporação.
O bocejo se dá por entrarmos num estado de relaxamento (parecido ao que antecede o sono) , onde também há o desdobramento perispiritual....

é um processo normal que todos sentem , uns mais que outros !!! 

Os bocejos fora da corrente mediúnica, sem o mecanismo da incorporação que virá PODE indicar movimentação energética de chakras para a doação (involuntária ou não) de energias a terceiros, principalmente ectoplasma.
Pode ser provocado involuntariamente como um processo natural que o campo magnético de determinadas pessoas podem sugar, ou voluntário, quando uma entidade sua , ou da pessoa usa a sua energia para ajudar aquela pessoa que se encontra carente de cargas fluídicas.

ARREPIOS
- talvez seja o efeito mais comum, resultado da sensibilidade da troca energética entre que processa... e descargas elétricas de nosso duplo etérico.

ENJOO
- pode ser resultado da movimentação do chakra gástrico para doação de energias, ou alguma entidade que atue e vibre nesse campo de força.
As entidades podem atuar no chakra gástrico, podendo causar enjoos e se nosso organismo estiver pesado com alimentos densos como carnes vermelhas e de difícil digestão , pode até provocar vômito e muito mal estar. 

E MOVIMENTOS INVOLUNTÁRIOS
- indica movimentação do duplo etérico, ação das entidades sobre nosso campo magnético, agindo sobre os chackras, tanto pode ser com o objetivo de troca energética, como para incorporar, ou preparar os centros de força para incorporações futuras, ou seja, quando estão "amaciando a carne' para posteriores incorporações .

CHORO
-Entidades que mexem com nosso sistema nervoso,responsável pelas emoções,fazem com que sintamos vontade de chorar e uma emotividade muito grande.(yemanjá,Oxum)

DORES
- Entidades que atuam no chakra básico que fica no final da coluna vertebral, fazem com que sintamos dores nas costas, principalmente no inicio,podendo também refletir na parte alta das costas(P.Velhos)

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Caboclo Boiadeirop>

São espíritos de pessoas, que em vida trabalharam com o gado, em fazendas por todo o Brasil, estas entidades trabalham da mesma forma que os Caboclos nas sessões de Umbanda.
Usam de canções antigas, que expressam o trabalho com o gado e a vida simples das fazendas, nos ensinando a força que o trabalho tem e passando, como ensinamento, que o principal elemento da sua magia é a força de vontade, fazendo assim que consigamos uma vida melhor e farta.
Nos seus trabalhos usam de velas, pontos riscados e rezas fortes para todos os fins.
O Caboclo Boiadeiro traz o seu sangue quente do sertão, e o cheiro de carne queimada pelo sol das grandes caminhadas sempre tocando seu berrante para guiar o seu gado. Normalmente, eles fazem duas festas por ano, uma no inicio e outra no meio do ano. Eles são logo reconhecidos pela forma diferente de dançar, tem uma coreografia intricada de passos rápidos e ágeis, que mais parece um dançarino mímico, lidando bravamente com os bois.
Seu dia é quinta feira, gosta de bebida forte como por exemplo cachaça com mel de abelha, que eles chamam de meladinha, mas também bebem vinho. Fumam cigarro, cigarro de palha e charutos. Seu prato preferido é carne de boi com feijão tropeiro, feito com feijão de corda ou feijão cavalo. Boiadeiro também gosta muito de abóbora com farofa de torresmo. Em oferendas é sempre bom colocar um pedaço de fumo de rolo e cigarro de palha.
No Terreiro os Boiadeiros vêm “descendo em seus aparelhos” como estivessem laçando seu gado, dançando, bradando, enfim, criando seu ambiente de trabalho e vibração.
Com seus chicotes e laços vão quebrando as energias negativas e descarregando os médiuns, o terreiro e as pessoas da assistência.Os fortalecendo dentro da mediunidade, abrindo as portas para a entrada dos outros guias e tornando-se grandes protetores, assim como os Exus.
Quando o médium é mulher, freqüentemente, a entidade pede para que seja colocado um pano de cor, bem apertado, cobrindo o formato dos seios. Estes panos acabam, por vezes, como um identificador da entidade, e até da sua linha mais forte de atuação, pela sua cor ou composição de cores.
Alguns usam chapéus de boiadeiro, laços, jalecos de couro, calças de bombachas, e tem alguns, que até tocam berrantes em seus trabalhos.
Nomes de alguns boiadeiros: Boiadeiro da Jurema, Boiadeiro do Lajedo, Boiadeiro do Rio, Carreiro, Boiadeiro do Ingá, Boiadeiro Navizala, Boiadeiro de Imbaúba, João Boiadeiro, Boiadeiro Chapéu de Couro, Boiadeiro Juremá, Zé Mineiro, Boiadeiro do Chapadão, etc …
Sua saudação: “Getruá Boiadeiro”, “Xetro Marrumbaxêtro”
Os Boiadeiros são entidades que representam a natureza desbravadora, romântica, simples e persistente do homem do sertão, “o caboclo sertanejo”. São os Vaqueiros, Boiadeiros, Laçadores, Peões, Tocadores de Viola. O mestiço Brasileiro, filho de branco com índio, índio com negro e assim vai.
Os Boiadeiros representam a própria essência da miscigenação do povo brasileiro: nossos costumes, crendices, superstições e fé.
Ao amanhecer o dia, o Boiadeiro arrumava seu cavalo e levava seu gado para o pasto, somente voltava com o cair da tarde, trazendo o gado de volta para o curral. Nas caminhadas tocava seu berrante e sua viola cantando sempre uma modinha para sua amada, que ficava na janela do sobrado, pois os grandes donos das fazendas não permitiam a mistura de empregados com a patroa.
É tal e qual se poderia presenciar do homem rude do campo. Durante o dia debaixo do calor intenso do sol ele segue, tocando a boiada, marcando seu gados e território. À noite ao voltar para casa, o churrasco com os amigos e a família, um bom papo, ponteado por um gole de aguardente e um bom palheiro, e nas festas muita alegria, nas danças e comemorações.
Sofreram preconceitos, como os “sem raça”, sem definição de sua origem. Ganhando a terra do sertão com seu trabalho e luta, mas respeitando a natureza e aprendendo, um pouco com o índio: suas ervas, plantas e curas; e um pouco do negro: seus Orixás, mirongas e feitiços; e um pouco do branco: sua religião (posteriormente misturada com a do índio e a do negro) e sua língua, entre outras coisas.
Da mesma maneira que os Pretos-Velhos representam a humildade, os Boiadeiros representam a força de vontade, a liberdade e a determinação que existe no homem do campo e a sua necessidade de conviver com a natureza e os animais, sempre de maneira simples, mas com uma força e fé muito grande.
O caboclo boiadeiro está ligado com a imagem do peão boiadeiro – habilidoso, valente e de muita força física. Vem sempre gritando e agitando os braços como se possuísse na mão, um laço para laçar um novilho. Sua dança simboliza o peão sobre o cavalo a andar nas pastagens.
Enquanto os “caboclos índios” são quase sempre sisudos e de poucas palavras, é possível encontrar alguns boiadeiros sorridentes e conversadores.
Os Boiadeiros vêm dentro da linha de Oxossi. Mas também são regidos por Iansã, tendo recebido da mesma a autoridade de conduzir os eguns da mesma forma que conduziam sua boiada quando encarnados. Levam cada boi (espírito) para seu destino, e trazem os bois que se desgarram (obsessores, quiumbas, etc.) de volta ao caminho do resto da boiada (o caminho do bem).
Sobre Nossos Caboclos Boiadeiros
Os Caboclos são entidades fortes, viris. Alguns têm algumas dificuldades de se expressar em nossa língua, sendo normalmente auxiliados pelos cambonos. São sérios, mas gostam de festas e fartura. Gostam de música, cantam toadas que falam em seus bois e suas andanças por essas terras de meu Deus. Os Boiadeiros também são conhecidos como “Encantados”,pois segundo algumas lendas, eles não teriam morrido para se espiritualizarem, mas sim se encantados e transformados em entidades especiais.
Os Boiadeiros também apresentam bastante diversidade de manifestações. Boiadeiro menino, Boiadeiro da Campina, Boiadeiro Bugre e muitos outros tipos de Boiadeiros, sendo que alguns até trabalham muito próximos aos Exus.
Suas cantigas normalmente são muito alegres, tocadas num ritmo gostoso e vibrante. São grandes trabalhadores, e defendem a todos das influências negativas com muita garra e força espiritual. Possuem enorme poder espiritual e grande autoridade sobre os espíritos menos evoluídos, sendo tais espíritos subjugados por eles com muita facilidade.
Sabem que a prática da caridade os levará a evolução, trabalham incorporados na Umbanda, Quimbanda e Candomblé. Fazem parte da linha de caboclos, mais na verdade são bem diferentes em suas funções. Formam uma linha mais recente de espíritos, pois já viveram mais com a modernidade do que os caboclos, que foram povos primitivos. Esses espíritos já conviveram em sua ultima encarnação com a invenção da roda, do ferro, das armas de fogo e com a prática da magia na terra.
Saber que boiadeiros conheceram e utilizaram essas invenções nos ajuda muito para diferenciarmos dos caboclos. São rudes nas suas incorporações, com gestos velozes e pouco harmoniosos. Sua maior finalidade não é a consulta como os Pretos-velhos, nem os passes e muito menos as receitas de remédios como os caboclos, e sim o “dispersar de energia” aderida a corpos, paredes e objetos. É de extrema importância essa função pois enquanto os outros guias podem se preocupar com o teor das consultas e dos passes, existe essa linha “sempre” atenta a qualquer alteração de energia local (entrada de espíritos).
Quando bradam alto e rápido, com tom de ordem, estão na verdade ordenando a espíritos que entraram no local a se retirar, assim “limpam” o ambiente para que a prática da caridade continue sem alterações. Esses espíritos atendem aos boiadeiros pela demonstração de coragem que os mesmos lhes passam e são levados por eles para locais próprios de doutrina.
Em grande parte, o trabalho dos Boiadeiros ”e no descarrego e no preparo dos médiuns. Os fortalecendo dentro da mediunidade, abrindo a portas para a entrada dos outros guias e tornando-se grandes protetores, como os Exus.
Outra grande função de um boiadeiro é manter a disciplina das pessoas dentro de um terreiro, sejam elas médiuns da casa ou consulentes. Costumam proteger demais seus médiuns nas situações perigosas. São verdadeiros conselheiros e castigam quem prejudica um médium que ele goste. “Gostar” para um boiadeiro, é ver no seu médium coragem, lealdade e honestidade, aí sim é considerado por ele “filho”. Pois ser filho de boiadeiro não é só tê-lo na coroa.
Trabalham também para Orixás, mais mesmo assim, não mudam sua finalidade de trabalho e são muito parecidos na sua forma de incorporar e falar, ou seja, um boiadeiro que trabalhe para Ogum é praticamente igual a um que trabalhe para Xangô, apenas cumprem ordens de Orixás diferentes, não absorvendo no entanto as características deles.
Dentro dessa linha a diversidade encontra-se na idade dos boiadeiros. Existem boiadeiros mais velhos, outros mais novos, e costumam dizer que pertencem a locais diferentes, como regiões, por exemplo: Nordeste, Sul, Centro-Oeste, etc…
Os Boiadeiros representam a própria essência da miscigenação do povo brasileiro: nossos costumes, crendices, superstições e fé.
Getruá Boiadeiro! Salve!

domingo, 28 de agosto de 2016

Mensagens dos Caboclos Ancestrais


Saravá filhos!
Daqui de “cima” olhamos-vos aí “embaixo”.
Nesta terra...
Cheia de gente...
Cheia de espíritos...
Cheia de vida correndo em suas veias que são os rios e mares....
Porém como vocês já sabem, as baixas vibrações ainda disseminadas pelas mentes mal intencionadas, despreparadas, desavisadas ou retrógradas, ainda espalham nuvens escuras de matéria astral, que fica estagnada em cima do planeta, como se fosse uma camada de lama envolta da esfera terrestre.
Mas, graças ao Pai Maior, novas luzes saneadoras e desimpregnadoras vão se espalhando através das terras brasileiras e em alguns micro pontos localizados em algumas outras localidades no planeta, como Índia, Nepal, Tibete, alguns grupos dos Estados Unidos e da América Central, onde há algumas almas sérias trabalhando em prol do bem universal e, no caso, do bem terrestre.
Mas, afora estas elucidações, Caboclo vem dizer para os filhos que aguentem firme no ponto, nestes tempos difíceis, únicos, peculiares, de transição planetária. Tempos de aflição, tempo do apuro, tempos de guerras e destruições, doenças e enfermidades gerais e globais.
Isto tudo fazendo parte da evolução da ronda planetária e da sucessão evolutiva das raças raízes, planejadas e orquestradas para a evolução das almas em seus diversos níveis evolutivos.
Sintam-se conectados conosco, que somos milhares de espíritos laboriosos em prol do bem maior do nosso querido planeta Terra.
Somos aos milhares, de todos os tipos e linhas de trabalho... De Espíritas a Xintoístas, de Brâmanes ancestrais a ciganos cósmicos.
Sintonizem vossos corações e mentes com a nova mentalidade da Era Nova.
Sentimento e vibração de AMOR e fraternidade constantes... Tolerância perante as criaturas estagnadas e pouco espiritualizadas, ou aquelas ainda de pouca Luz...
Faz-se necessária IMENSA solidariedade, seriedade... e, acima de tudo, confiança e amor em Deus e seu amado representante maior, N.S Jesus Cristo.
Sintonizem-se conosco e não entrem nas ondas de desespero, confusão, que leva muitos à quase ou total demência, e com outras correntes astrais magnéticas, que são oriundas da sub-crosta, graças aos encarnados que se sentem aparentemente e ilusoriamente 'confortáveis', vibrando nesses sentimentos comuns vossos, de baixo nível e sem nenhum teor de espiritualidade
Muitas vezes, por falta de conhecimento do funcionamento do Universo Real, milhares estão cegos, e em sono profundo, perante as verdades do bem maior do espírito e do bem universal.
Além de tudo, o CETICISMO que se julga PENSAMENTO RACIONAL, onde se acredita ser Deus uma invenção do homem, ainda vigora de forma preocupante na esfera terrestre.
Algo que será, em breve, modificado, pela expansão das doutrinas de Verdade Espiritual como das novas descobertas da Ciência a respeito das dimensões da matéria, e da herança genética através dos fenômenos da reencarnação.
Trabalhamos pela implantação de 'frentes' de educação espiritual como 'Ciência' e temos programado pautas várias que serão em breve abertas pelos espíritos trabalhadores das searas Crísticas em prol do Conhecimento UNO e sintetizado.
Oke Arô Oxosse! Saravá zifios!
Salve os Caboclos da Mata Virgem!
Salve vossas Luzes, de vossos seres antigos e luminares!
Ê. Ê. Ê ! Fiquem com Deus na paz de Oxalá !
Caboclo Ubirajara, Ubiratan, Urubatão e Aymoré.
Mensagem psicografada por médium dos Cultos de Umbanda, 
( AUMBANDHAN ), do Núcleo de Integração Cósmica Jardim de Ísis, em 12 de abril de 2012, na cidade de Londrina - Paraná- Brasil.

sábado, 27 de agosto de 2016


O Universo conspira a FAVOR de quem não conspira contra ninguém!

 
 Mesmo que não sejamos muito religiosos, mesmo que não acreditemos em forças sobrenaturais, em energias cósmicas, em misticismo algum, ou em qualquer coisa que não se possa materializar, é impossível não percebermos que manter os pensamentos em ordem e sintonizados positivamente faz um bem imenso. Inegavelmente, o bom humor e o otimismo nos deixam com mais vontade de dar certo e com mais esperança de que tudo corra bem.
  Se compararmos como fica o mundo à nossa volta quando estamos felizes e quando estamos tristes, veremos nitidamente o quanto é importante tentarmos nos afastar de pensamentos e de atitudes negativas. Ninguém, além de nós mesmos, é capaz de nos tornar mais fortes, mais decididos, mais seguros diante de tudo o que acontece. Ter alguém que nos facilite essa travessia é imprescindível, mas deverá partir de nós a iniciativa de seguirmos confiantes.
  Nossa jornada é extensa e, em muitos momentos, dolorosa, pontuada por decepções, perdas e quedas bruscas. Há até quem diga que a felicidade aparece de vez em quando, em meio às tempestades, muitas vezes sem percebermos. Outros dizem que ser feliz é um estado de espírito. Alguns relacionam a felicidade ao conforto material. De uma ou de outra forma, todos estamos buscando realizar nossos sonhos para alcançar essa tal felicidade.
  Não importa, na verdade, se acreditamos ou não em forças sobrenaturais, em providência divina, em vida após a morte, se frequentamos ou não algum culto, mas sim a forma como vivemos, a maneira como tratamos os nossos semelhantes, os meios que utilizamos para atingir os nossos objetivos, os cuidados que temos com aqueles que nos amam verdadeiramente, nossa capacidade de entender o outro e o mundo além do nosso próprio umbigo. Nada nos definirá com mais precisão do que nossas atitudes, nossa vida, o que somos no dia a dia.
  Quando nos tornamos pessoas amargas, vingativas, pessimistas e invejosas, mesmo que por pouco tempo, tudo fica mais difícil, descolorido, nebuloso, pesado. É como se algo nos impedisse de enxergar o raiar de um novo dia, de uma nova chance. Quando somos tomados por sentimentos negativos, acabamos nos tornando nosso pior inimigo, pois então não seremos capazes de aprender, de refletir com clareza, tampouco de vislumbrar soluções ao que nos angustia. O amor se anulará e a dor se estenderá além de nós, atingindo inclusive a quem nos ama com sinceridade.
  Como se vê, não dá para fugir aos clichês e à sabedoria popular, que tão bem nos aconselham a manter o otimismo, a cultivar nosso amor-próprio e os relacionamentos que nos tornam pessoas melhores e mais felizes. Bobagem ficar perdendo tempo com gente à toa, pois elas cairão uma ou outra hora. Bobagem ficar remoendo o que não deu certo, sendo que há um montão de novas oportunidades à nossa frente. O tempo, afinal, encarrega-se de colocar as coisas e as pessoas em seus devidos lugares, acreditemos ou não em bruxas, pois a vida sempre conspirará em nosso favor, se assim o merecermos. E você merece.
(texto de Marcel Camargo)

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Sabão da costa

Este sabão vende em casa de umbanda.
O sabão da Costa é de origem da Costa do golfo da Guiné,
na África, sendo que lá seu nome é Osé Dudu. É usado em rituais tanto na África como no Brasil nos Cultos Afro-Brasileiros, no banhos e também para lavar todo o material ritualístico como
quartinhas, ferramentas, joias... tirando assim toda e qualquer
energia deixada por quem manuseou anteriormente esses objetos.
O sabão tem por função a limpeza do corpo físico e da aura e especialmente de sua camada mais próxima ao corpo físico, retirando larvas astrais e miasmas. Além de ser usado para o descarrego, pois promove uma profunda limpeza corporal, atua também no combate a caspa,cravos, espinhas, manchas escuras, coceiras e fungos do couro cabeludo, além de controlar o mau cheiro produzido pelo suor.
Utilizado antes de dormir, seu banho propicia uma limpeza profunda, descarregando os mau fluídos adquiridos durante o dia, obtendo assim um sono tranquilo.
É um sabão sólido, de cor pardo-escura tendendo ao preto e o
perfume amadeirado, feito com ervas medicinais. Sua composição original é secreta, mas muitos Axés, preparam seu próprio sabão da costa
Relatos indicam que seu uso vem desde a época de 1620 ,
quando já era importado para o Brasil, pois era o preferido dos escravos e libertos. Ele era oriundo de uma área entre Gana e Camarões, e principalmente da Nigéria, da República do Benim e do Togo.
A palavra SABONETE é incorporada ao português somente na virada para o século 19 quando no Brasil ―tudo era ―francês e o sabonete dos franceses é aportuguesado.
O Sabão da Costa mantém o nome sabão por uma questão de tradição.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Amarração: o que é isso?

As amarrações energéticas funcionam por meio da ação mental de um magista sob o livre arbítrio de uma pessoa. Uma das práticas de amarrações que mais conhecemos é a amarração amorosa, magia essa que tem por função fazer com que uma pessoa sempre esteja presa a outra, como em um forte impulso de informações mentais que apenas fazem com que o ser se lembre de quem o amarrou.

    A amarração amorosa funciona pelo domínio do chacra genésico, o qual é responsável pela grande força geradora dos centros de energias que temos distribuídos em nosso corpo. Por ser uma força geradora, o associamos, quase sempre, ao sexo e as paixões. De fato, essa é uma de suas maiores consequências de manifestação em nosso campo áurico.

   Quando o chacra genésico se encontra em desequilíbrio, uma série de problemas energéticos e físicos se desencadeiam no corpo do indivíduo. Vicio na masturbação, vicio em sexo, pensamentos esdrúxulos no campo sexual e muito mais. Fora a tendência de desenvolvimento de doenças venérias.

     Assim que uma amarração amorosa é feita para uma pessoa, ativamos em seu chacra genésico uma grande válvula catalisadora das paixões. Ao menor deslize, o sujeito sofre uma descarga energética de desejos sexuais por quem o “amarrou”, essa energia afeta todos os outros chacras que compõem o nosso corpo. Sendo essa a explicação de base da razão de uma pessoa que sofre uma amarração se tornar confusa, frustrada e muito irritadiça. Mas, uma das grandes e extremas consequências de uma pessoa que é atacada por esse tipo de magia, se encontra no fato de que estando seu chacra responsável pelas energias criadoras embaçadas pelas forças deletérias do feitiço, o indivíduo tende a se tornar extremamente violento, como em um súbito instinto em lutar pelo controle de sua mente e corpo novamente.

    Não compreendendo essa explicação da atuação mágica da amarração amorosa, a criatura desesperada por atenção decide, então, engendrar esse tipo de ação mágica sob aquela que deseja ter ao seu lado como escravo ou escrava, mas se esquece que qualquer criatura quando fica aprisionada por muito tempo, uma hora irá atacar quem trancou a jaula. Por isso, caro magista, pense muito bem antes de simplesmente fazer um tipo de amarração amorosa. A primeira vista pode parecer uma magia simples e inofensiva, mas, quanto maior a força de atuação energética do seu feitiço, maior serão as consequências. E acredite, algumas são muito piores do que a sua grande mente poderia formular!

    Mas, caro leitor, vamos deixar claro uma coisa. Amarração é totalmente diferente de atração, sendo essa ultima um tipo de magia para te ajudar a entrar na vibração do seu desejo e não forçar nada ou ninguém a fazer algo que não queira.

     Quando você atrai um cliente no comércio, foi pela sua força de persuasão e capacidade de estudar os interesses daqueles que buscam seus produtos. Ou seja, você não os obrigou a nada, apenas mostrou pontos que eles não viram. Você não forçou que comprassem nada, mas os seduziu a isso. Essa é uma grande peculiaridade da magia que deve ficar claro! Atrair um amor, um parceiro para fins sexuais ou correlatos, não é amarrar, pois, ninguém veio contra a sua vontade, mas entrou em sintonia com a sua vibração emitida constantemente. Não julgue uma atração como uma amarração. Eu posso lhe oferecer uma maçã caramelada e dizer que ela tem a capacidade de te ajudar novos amores, assim que você comer entrará em uma vibração receptiva de outras pessoas que se afinizem com o seu campo vibratório, e como imãs, serão atraídas umas às outras. Conseguiu notar a diferença? Aqui não há hipocrisia, apenas a realidade! Se é sexo que você deseja, não obrigue ninguém a isso, no final poderá ser tão decepcionante do que se você tivesse se permitido achar alguém em comunhão de seus desejos, não acha?

   Há magistas que acreditam em amarrações para fins benéficos. Mas será que isso é realmente possível? Bom, se uma mulher tem muita dificuldade para engravidar, pois sempre perde seu filho para um aborto espontâneo, por que não fazer uma amarração para que seu corpo seja capaz de segurar aquela vida até que ela nasça, não é? Ou, por que não amarrarmos a vaga de emprego que tanto lutamos para conseguir e agora alguém deseja nos roubar essa oportunidade? Apenas levantei estas questões para que possam refletir sobre esse aspecto existente da magia de amarração que, acredito eu, muitos de vocês desconheciam.

    Contudo, amarrar significa que você por natureza está forçando algo. Mas será mesmo que uma ajudinha de seu esforço não faz bem para não perder suas vitórias e conquistas? Acredito que sim! Mas não se preocupe tanto se essa ou aquela amarração está errada ou não, pois, não tenha dúvidas de que a justiça divina jamais falhou… JAMAIS! Não pense que qualquer uma de suas ações ficará impune da balança que o universo pesa para todos nós.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Pratique o Hábito da Aceitação

Cada coisa que acontecer na sua vida, seja boa ou ruim, aceite-a, integre-a e continue avançando do jeito mais leve possível. Se você armazenar rancor, caminhará devagar; se guardar raiva, procurará vingança; se esconder ódio, ficará encalhado e terá perdido completamente a sua capacidade de fazer o bem e gerar felicidade nos outros.
Nesta vida, não somos mais do que breves passageiros em um caminho onde quem passar leve de ódios e rancores será capaz de desfrutar o trajeto com maior sabedoria e integridade.
Sabemos que nem sempre é fácil enfrentar uma decepção, mas se há algo que você não deve permitir, é que o mau comportamento de outros fique impregnado em você a ponto de mudá-lo, de fazer você achar que não existem as pessoas boas, ou ainda, que as pessoas boas sempre acabam feridas.

Como superar uma decepção para continuar confiando em você mesmo e naqueles que o rodeiam
Tome nota de como se proteger das decepções no seu dia a dia, na medida do possível:

Procure viver o “aqui e agora“, foque no presente sem criar muitas expectativas sobre o que acontecerá ou sobre o que poderá acontecer. Deixe-se levar.
Aceite que as decepções fazem parte do transcurso vital e que é preciso aprender com elas. Não permita que elas o transformem em algo que você não é.
Compreenda que você não pode controlar aquilo que as outras pessoas fazem, seja bom ou ruim. Você sabe quem você é e o que você quer, e sabe que fazer o bem faz parte das suas raízes, da sua essência vital.
Acredite nas pessoas até que demonstrem o contrário. Permita-se confiar. Você tem experiência, tem nobreza no seu coração e merece sempre encontrar o melhor das pessoas. Se você se aproximar delas com rancores passados, encontrará rejeição.
Encare as decepções como uma renovação: é experiência e um claro exemplo daquilo que você não quer repetir. Nunca perca a sua capacidade de fazer o bem mesmo que o decepcionem muitas vezes, mesmo que você caia muitas vezes.

terça-feira, 23 de agosto de 2016


Eguns e Kiumbas

Eguns nada mais são do que os espíritos que já desencarnaram e Kiumbas quer dizer exatamente a mesma coisa.
Apenas se dá entre eles uma diferença de evolução. Eguns são todos os que desencarnaram, tiveram vida humana, em contraposição aos Orixás que são forças da natureza. Kiumbas são Eguns ainda muito atrasados na escala de evolução espiritual, são considerados negativos e que, por vezes, se fazem passar por outras entidades, normalmente por Exus, criando no leigo um ponto de vista muito negativo em relação a estas entidades, os Exus, por eles mistificados.
É sabido que o termo evolução é extremamente relativo, e dentro de uma mesma qualidade de entidades, poderá variar muito o grau de evolução entre cada um deles. Ou seja, mesmo entre os Caboclos, assim como entre os Pretos-Velhos e outras entidades, sempre haverá um que esteja um pouco acima e um outro um pouco abaixo na escala de evolução espiritual.
O certo, no entanto, é que estas entidades, Caboclos, Pretos-Velhos, Crianças, Exus e algumas outras, já chegaram a um nível de evolução tal que os permitem diferenciar o certo do errado e procurarem humildemente ajuda e colaboração das entidades de níveis mais altos, no sentido de auxiliar aos filhos que os procuram, nos momentos em que seus conhecimentos, permissão ou capacidade de trabalho são impotentes para a ajuda. 
Normalmente se ouve: "Você está com o encosto de um Egum muito perigoso! Você precisa fazer uma obrigação para despachar este Egum que está complicando sua vida!"
Isso realmente pode acontecer, pois Egum é todo espírito desencarnado.
E pode acontecer que, por ainda estar num momento de evolução espiritual ainda atrasada, esteja sendo usado para feitiços ou malefícios e até mesmo por ignorância sobre sua atual condição de desencarnado (egum).
Por vezes, em virtude de desencarnes violentos ou inesperados, o espírito não se apercebe ou não aceita sua nova condição fluídica e sente-se como um de nós, ainda encarnados, sendo assim, ele mantém-se muito próximo, principalmente de seus entes queridos quando em vida, tumultuando suas vidas, em virtude da diferença de vibração de suas energias. Este Egum precisa certamente ser esclarecido e afastado.
Várias doutrinas se ocupam deste mister de maneiras diferentes, comprovando que é necessário que os níveis de vida, encarnada e desencarnada, mantenham suas independências.
Nota-se a diferença entre os Eguns, Entidades e Kiumbas.
Na realidade, Egum é a qualificação de todo e qualquer espírito desencarnado. O seu nível de evolução é que o especificará!
Quando nos referimos aos espíritos vampirizadores, aos incitadores ao vício ou àqueles que se aproximam de nós sempre para o mal, os quais são comprados por quem tem a alma maculada pela maldade, para nos impor males ou feitiços, esses serão certamente os Kiumbas.
Tentemos de todas as maneiras, pela caridade, pela fé, pela oração e pelo trabalho espiritual, elevarmos cada vez mais os Kiumbas, que se encontram nos lamaçais da espiritualidade, possam ser cada vez mais atraídos para os caminhos de luz.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Mediunidade

Os estudos sobre a mediunidade formaram o Livro dos Médiuns, um dos seis livros base do Espiritismo (O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno, A Gênese e Obras Póstumas), nele estão contidos todos os estudos feitos sobre os variados tipos de mediunidade e outras coisas mais que tornam o livro uma ótima sugestão para todo médium, seja umbandista, seja candomblecista.
Algumas questões que muitos com certeza já se pegaram pensando iremos abordar.

Pergunta
Quais os requisitos básicos para desenvolver bem a mediunidade?
Resposta
Nada fora do comum, mas nem todo mundo entende, quando se fala em padrão de pensamento e comportamento moral, não quer dizer que a mera repetição surta algum efeito.
Ser bom porque está escrito que deve-se ser assim não é o caminho. O desenvolvimento moral começa em si mesmo, meditando e entendendo a sua forma de ver o mundo, aprimorando conforme as suas experiências e aprendizados, mas em tudo, tudo mesmo o que conta é o porque de agir daquela forma, se a resposta for "Porque tal lugar diz assim" ou "Porque isso gera méritos disso e daquilo" ou "Porque negligenciar tais requisitos implica em tais consequências", então, reveja seriamente seus conceitos. Se não nascer de dentro de nós, a coisa não anda.

Pergunta
O que a mediunidade implica na vida?
Resposta
Falar que não implica seria uma mentira grossa, implica sim e muito. Primeiro, a mediunidade não é um dom como os demais, não que isso queira dizer que ser médium seja um luxo ou superioridade, mas a capacidade de se comunicar com o mundo espiritual obviamente foge dos padrões mais conhecidos, e embora seja largamente estudado, muito ainda há que se aprender.
Ser médium significa conhecer um pouco mais da realidade, e isso implica em responsabilidades. Tal como um físico estuda e aprende sobre as leis divinas sobre o universo, o médium também estuda e aprende as leis divinas sobre a espiritualidade, e assim como na ciência existem vários campos, cada médium aprenderá sobre sua mediunidade, suas exigências, responsabilidades, usos e desdobramentos, claramente tudo dependendo de qual linha de atividade espiritual ele esteja, Espiritismo, Umbanda ou Candomblé.

Pergunta
A mediunidade tem riscos?
Resposta
Sim, e isso precisa ser falado.
Por se tratar de um dom cujo centro é o cérebro, a mediunidade age diretamente com a área psíquica.
O mau uso dela pode, além de eventos dentro da vida do ser humano, pois além do dom existe a capacidade de manipular energias, ela pode agir dentro da área cerebral, gerando conflitos de personalidade, confusão da realidade e até a loucura.
Existem inúmeros graus de mediunidade e muitos deles requerem delicada atenção, como o caso da mediunidade inconsciente, que é mais comum no Candomblé, estes casos precisam ser acompanhados por pessoas sérias para não provocar verdadeiras catástrofes na vida de uma pessoa.

Três perguntas, três respostas, parece pouco, mas é muito pouco perto de toda extensão que este universo abrange, estudos não faltam, e quanto mais conhecimento melhor.
Como diz a sabedoria popular "Saber não ocupa espaço"

domingo, 21 de agosto de 2016

Quem foi Obaluaê?

Obaluaê quer dizer “Rei e Senhor da terra” sua veste é palha e esconde o segredo da vida e da morte. Está relacionado à terra quente e seca, como o calor do fogo e do sol – calor que lembra a febre das doenças infecto-contagiosas. Conta-se em Ibadã que Obaluaê teria sido antigamente o Rei dos Tapás. Uma lenda de Ifá confirma esta última suposição. Obaluaê era originário de Empê – Tapá e havia levado seus guerreiros em expedição aos quatros cantos da terra. Uma ferida feita por suas flechas tornava as pessoas cegas, surdas ou mancas.
Obaluaê representa a terra e o sol, aliás, ele é o próprio sol, por isso usa uma coroa de palha (azê) que tampa seu rosto, porque sem ela as pessoas não poderiam olhar para ele. Ninguém pode olhar o sol diretamente. Está fortemente relacionado os troncos e os ramos das árvores e transporta o axé preto, vermelho e branco. Sua matéria de origem é a terra e, como tal, ele é o resultado de um processo anterior. Relaciona-se também com os espíritos contidos na terra. O colar que o simboliza é o ladgiba, cujas contas são feitas da semente existente dentro da fruta do Igi-Opê ou Ogi-Opê, palmeiras pretas. Usa também bradga, um colar grande de cauris.
Obaluaê é o patrono dos cauris e do conjunto dos 16 búzios, que reina do instrumento ao sistema oracular: o brendilogun, que lhe pertence. Seu poder está extraordinariamente ligado à morte. Oba significa Rei (Oni), Ilu espíritos e Aiyê (significa terra), ou seja, Rei de Todos os Espíritos do Mundo. Ele lidera e detém o poder dos espíritos e dos ancestrais, os quais o seguem. Oculta sob o saiote o mistério da morte e do renascimento (o mistério do gênesis). Ele é a própria terra que recebe nossos corpos para que vire pó.
Obaluaê mede a riqueza com cântaros, mas o povo esqueceu-se de sua riqueza e só se lembra dele como o Orixá da moléstia. Afirmam-se em registros bibliográficos ser Omolu e Obaluaê um só Orixá em dois estágios: Obaluaê (o Moço) significa o “Dono da Terra da Vida”; Omolu (o Velho) significa o “Filho-da-Terra”. É o médico dos pobres; o senhor dos cemitérios. Usa o aze (capacete de pele da Costa) ou o filah (capuz de palha da Costa) e carrega na mão o xaxará (feixe de fibra de palmeira, enfeitado com búzios). Seu dia é a segunda-feira. Sua comida forte é o doburu (pipocas sem sal, coco fatiado e regado com mel).
Qualidades: Registra-se 12 qualidades atribuídas a esse Orixá, que também é considerado o mais antigo do Panteão Afro, sendo as mais conhecidas:
Sapata, Xapanan, Xankpanan, Babalu, Azoane, Ajagum, Ajunsun e Avimage.
Nomes: Obàluáyê “Rei senhor da Terra”, Omolu “Filho do Senhor”, Sapata “Dono da Terra” são os nomes dados a Sànpònná (um título ligado a grande calor o sol – também é conhecido como (Babá Igbona = pai da quentura) deus da varíola e das doenças contagiosas, é ligado simbolicamente ao mundo dos mortos. Outra corrente os define como: Obàluáyê: Obá – ilu; aiye; Rei, dono, senhor da vida.
Sincretismo: São Lázaro e São Roque
Comida: Pipoca e Carré
Cor: Preto, vermelho e branco
Dia da semana: Segunda -feira
Símbolo: Leguidibá, Xaxará e Brajá de búzios
Saudação: – Atotô!
Domínio – Doença e cura, morte e renascimento
Elemento: Terra
Vestimenta: A vestimenta é feita de ìko, é uma fibra de ráfia extraída do Igí-Ògòrò, a palha da costa , elemento de grande significado ritualístico, principalmente em ritos ligados a morte e o sobrenatural, sua presença indica que algo deve ficar oculto. É composta de duas partes o “Filá” e o “Azé”, a primeira parte, a de cima que cobre a cabeça é uma espécie de capuz trançado de palha-da-costa, acrescido de palhas em toda sua volta, que passam da cintura, o Azé , seu asó-ìko (roupa de palha) é uma saia de palha da costa que vai até os pés em alguns casos, em outros, acima dos joelhos, por baixo desta saia vai um Xokotô, espécie de calça, também chamado “cauçulú”, em que oculta o mistério da morte e do renascimento. Nesta vestimenta acompanha algumas cabaças penduradas, onde supostamente carrega seus remédios. Ao vestir-se com ìko e cauris, revela sua importância e ligação com a morte (iku).

sábado, 20 de agosto de 2016

O poder dos animais – Parte 1

      Muitos magistas possuem em seu cotidiano e estudos de práticas mágicas um respeito muito grande por animais, especialmente porque esses seres possuem uma ligação natural com o universo que nós não possuímos. Claro que todo ser humano é passível de desenvolvimento de suas capacidades parapsíquicas a ponto de ultrapassarem a sensibilidade de um animal, mas isso exige um esforço que muitos de nós não temos.
   Seres de grande sensibilidade energética, os animais podem servir de verdadeiros alarmes contra energias negativas. Podemos considera-los como presentes dados ao ser humano pelas fontes celestes. São puros, meigos, sábios em muitas de suas ações e sempre leais. Apresentam aspectos a todo momento que levamos décadas para aprender uns com os outros.
É interessante, caro leitor, que quando você estiver pronto para traçar um círculo mágico ou até mesmo conjurar algum feitiço, saiba que provavelmente o seu animal de estimação ficará louquinho. Vai começar a latir, querer correr para cima de você sem qualquer razão aparente. Muitos associam isso como uma espécie de assédio de espíritos negativos, os quais, de fato, realmente os usam como distrações para não fazermos muitos de nossos rituais, especialmente se for um ritual de cura ou benção.
     A razão dos animais amarem estar perto de um bruxo quando um ritual está sendo realizado, é em decorrência da energia que está sendo movimentada. Quanto mais forte uma energia de bênçãos e curas, mais quente e aconchegante ela é para a aura desses pequeninos… E isso acontece mesmo! Então, não se assuste ou brigue com o seu bicho de estimação só porque ele decidiu fazer parte do ritual com você, deixe-o entrar e encher o momento de mais magia ainda. Mas tome cuidado com o tipo de ritual que irá permitir que seu bichinho participe! Muitos rituais de limpeza espiritual, são muito fortes para o campo áurico dos animais, podendo deixá-los assustados e até mesmo prejudica-los, uma vez que absorvem energia das pessoas e ambientes com grande facilidade.
   Um aspecto muito legal dos animais é que eles nos ensinam muito mais do que pensamos. Sua força energética traz uma carga de poder muito grande e, se soubermos usá-la ao nosso favor, teremos grandes benefícios nas mais variadas situações. Vou deixar abaixo uma pequena lista de alguns animais e o que cada um deles ensina, tal como algumas dicas de feitiços usando a força astral que eles possuem.
    Corvo: O corvo sempre foi o responsável pela magia secreta do planeta. Seu olhar carrega consigo um poder de discernimento sem igual, sempre trazendo o equilíbrio e sinais de que você pode estar no caminho correto, bem como no caminho errado das práticas mágicas. O corvo traz a magia da justiça, então não o tema a menos que você esteja em débito com os planos superiores da vida. Este animal nada mais é do que um dos animais responsáveis pelo equilíbrio das forças energéticas da Terra, consequentemente é um executor da lei divina. O corvo tem uma peculiaridade que é a sua potencialidade em nos dar segundas chances. Sempre que estiver se perdendo no caminho da magia, não titubeie em chamar as forças deste animal para perto de você. Em uma noite de lua cheia se concentre em todos os seus chacras, clame a presença espiritual do corvo, para que ele te mostre onde você está errando na magia e o que você pode fazer para mudar isso. Poderá fazer o mesmo processo para todos os animais e em qualquer lua.
      Libélula: Sinônimo de ilusão, esta criatura relaciona-se diretamente com os sonhos e sua realização. Mas preste atenção, pois a libélula pode nos deixar caminhar por trilhas que na verdade não existem. Seria ela a responsável então por nossas falhas? Jamais! Ela apenas nos estimula naquilo que demonstramos interesse, mas a sua energia eufórica é tão grande que pode acabar fazendo com a gente simplesmente despenque de um penhasco que achávamos ser um degrau. Há quem acredite que ela um dia foi um dragão, mas que tamanha força e humildade decidiu se moldar para um ser de porte menor, apenas para nos ensinar que a vida humana está justamente na ilusão de pensarmos que quanto maior e mais… Melhor! Aprenda com a libélula a controlar seus instintos e voe sempre nas asas da razão e da lógica, com uma pitada de loucuras.
    Golfinho: Que ser lindo e incrível é o golfinho. Animal relacionado a força vital que existe no universo, capaz de nadar em ondas que ele mesmo cria. Constantemente sabe quando o perigo se aproxima apenas com sua sensibilidade apurada. O golfinho acende no ser humano a pureza que o cosmos emite a todo momento, uma energia criadora e estimulante. Grande sábio em nos ajudar a mudar nossos sentimentos, emoções, desejos e sonhos. Não exite em chamar a presença do golfinho para as suas noites de meditação. Acredite, ele tem muito a te ensinar!
   Cisne: A graciosidade é a maior característica que esse ser místico carrega. Extremamente ligado a sensibidade mediúnica, o cisne é capaz de nos ensinar a transitar entre os mundos que existem. Sua beleza se encontra no contato com a essência da vida, suas asas são capaz de proteger aqueles nas situações emocionais mais complicadas que podemos imaginar. Quando estiver triste e pensativo, converse com o cisne e ele irá te ensinar como moldar seus medos em força para lutar.
   Formiga: A formiga é um ser capaz de comer algo orgânico muito maior que o seu tamanho, capaz de carregar pesos que duvidaríamos que ela seria capaz. Mas como a formiga faz tudo isso? Simples, pela paciência! Com sua capacidade de andar e percorrer longos caminhos apenas para carregar pequenos pedaços de folhas e outros alimentos, as formigas são como construtoras da vida, sempre trabalhando para um futuro melhor. Jamais duvide da força dessa pequenina, pois é justamente por subestimarem que elas conseguem as grandezas que alcançam, exatamente porque não se importam com ela que vencem muitos obstáculos. Sabe quando você coloca o dedo perto de uma formiga e ela simplesmente corre desesperada? Não é porque ela apenas tem medo de você, mas porque não deseja machucar alguém que ela se quer teve contato antes. As formigas possuem um senso de coletividade que muitos de nós não temos. Sempre organizadas e capazes de trabalhar em equipe, sempre chame a força e a paciência que elas possuem…. Acredite, você terá resultados que não imaginava!
      Sapo: Esse animal conecta-se diretamente com as forças das águas, um ser que é muito associado pelos magistas de práticas destrutivas como uma ótima ferramenta para destruir alguém. Conhece aquela velha magia de colocar o nome de uma pessoa dentro da boca de um sapo e amarrar? Pois é, isso funciona porque o sapo também é um ótimo condutor energético, justamente pela sua forte conexão com a água. Lembra que a água tem essa capacidade de ser transmutada em inúmeras coisas? Na magia o sapo pode ser usado com vários fins da mesma maneira. Algo que chama atenção desse pequeno ser é que ele nos ensina a entrar em contato novamente com a natureza, despertando em nós a necessidade de nos curarmos e aceitarmos ajuda. Aceite a energia do sapo em sua vida, e permita que seus amigos e familiares te ajudem a enfrentar algum problema.
    Lobo: Criatura de sinônimo de respeito, liderança e poder, o lobo tem uma grande característica protetora. Muitos simplesmente o associam como um ser solitário e que não se encaixa dentro do meio que vive, mas a verdade é que o lobo vive em coletividade, pronto para morrer defendendo sua cria e seus parceiros da matilha. O que é solitário no lobo nada mais é que o seu olhar reflexivo, escondendo seus sentimentos mas mostrando para os outros apenas aquilo que eles desejam ver. Jamais duvide da capacidade de alguém ligado a esse animal em morrer tentando ajudar aqueles que ama.