Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

História do Exu Tranca Ruas

Em sua vida carnal, seu nome foi Geraldo Branco Compostella, diferente dos relatos cantados em pontos, Tranca Rua não foi de fato um médico…
Na verdade, ele foi uma espécie de curandeiro, sua especialidade era a extração de dentes, trabalhava com ervas virgens e em especial com cascas de uma arvore que tinha próximo ao seu castelo.
Era um homem muito rico, nascido em berço de ouro, Geraldo quando jovem tinha vontade de se tornar um padre em um mosteiro em sua cidade (Galícia ,na Espanha), seu sonho foi interrompido durante uma missa cujo qual ficou em seu pensamento um distinta senhora que havia ido se confessar.
Ele passou então a frequentar a todas as missas, tentando desesperadamente encontrar essa mulher, depois de um mês quando estava na ante sala da igreja, ele ouviu uma voz suave chamando pelo padre, e para sua surpresa era a tal mulher dos seus pensamentos.
Sem pensar em nada fingiu ser o padre, a mulher então beijou lhe a mão e pediu para que ele lhe perdoasse seus pecados. Ela relatou que a bruxaria fazia parte de sua vida e nada poderia fazer para afasta-la de seus caminhos e que estava saindo daquela cidade por que temia que a inquisição a julgasse.
Nesse mesmo momento Geraldo se calou e disse a mulher:
“Desde que te vi pelas missas não consigo pensar em outra coisa a não ser você, não sei se estou enfeitiçado, mas o que sinto é mais que o suficiente, se você vai sair desta cidade que seja comigo.”
Geraldo voltou ao seu castelo, se desfez dos seus bens e deixou a cidade, junto com sua amada. Com o passar do tempo, ele começou a se envolver com os segredos e mistérios da feitiçaria, praticada por sua mulher. Ele aprendeu a trabalhar para o bem e mesmo sem praticar, conheceu os segredos do mal.
Certo dia, sua esposa adoeceu e nenhum feitiço ou magia deram conta de cura-la. Mesmo se tornando um mestre na arte das magias, Geraldo se viu obrigado a trabalhar com forças ocultas para salvar sua amada. Ela tinha sido enfeitiçada por outras bruxas, que usaram todo o poder do lado negro.
Sem nunca trabalhar, mas conhecendo alguns mistérios do lado sombrio, ele conseguiu invocar uma presença tão forte, que não tinha mais como voltar atrás. Em troca da saúde de sua esposa, Geraldo entregaria a sua alma para as trevas. O trato foi feito, e na manhã seguinte, sua esposa estava curada, esbanjando saúde… O casal viveu feliz por vários anos.
Certa noite, Geraldo desperta com gritos e gemidos agonizantes, novamente, sua amada estava doente. Feitiços, encantamentos e magias foram feitos, sem resultado algum… Sendo a sua única alternativa, novamente ele invocou as trevas, pedindo ajuda.
Desta vez, nem as trevas poderiam ajudar, pois chegara a hora do juízo final. Geraldo estava perdendo sua esposa. As trevas disseram:
“Desta vez, chegou a hora, nem mesmo eu, consigo prolongar a passagem dessa alma no seu mundo. O máximo que posso fazer, é prolongar por mais 3 dias, sem dor e sem sofrimento… mas no final do terceiro dia, o seu fim chegará, e será como o fim das outras irmãs (referindo-se a bruxas)…”
Preparado para o que estava por vir, o casal viveu os últimos 3 dias como se fossem os 3 primeiros, com amor, fartura e muita cumplicidade… Na noite do terceiro dia, uma vela iniciou o fogo no humilde casebre… Geraldo acordou em meio a chamas, e viu sua mulher indo em direção á rua… Sem pensar, ele correu para junto de sua amada, dos dois desmaiaram a beira do incêndio.
Na manhã seguinte, Geraldo acorda sozinho, assustado, entra no que sobrou do casebre e encontra o corpo de sua amada… queimada, deitada na cama onde dormiam.
Seu desespero foi tanto, que mais uma vez ele invocou as trevas, dessa vez, pedindo para ser levado, para ficar junto de sua amada.
As trevas disseram:
“Mesmo que o senhor parta agora, não poderá ficar junto a sua amada, pois o espírito dela está em revolta e ainda teria que pagar por todos os pecados cometidos… até o espírito se encontrar, ela ficará vagando.
Mas, eu vejo que, o que sentes é amor verdadeiro, e como sua alma me pertence, a partir de agora, você será chamado de Tarchimache, e passará a ser o guardião dos caminhos do obscuro.
Cuidará das almas revoltadas, mostrando o caminho da luz, para que elas possam reencarnar novamente. Ficará a sua alçada, destrancar ou trancar os caminhos do submundo, e conforme a sua evolução, ficará responsável por cuidar os caminhos dos humanos e fazer a ligação e entrega dos seus pedidos a quaisquer falanges.
Sendo assim, o senhor poderá ir comigo e iniciar a sua missão, resgatando sua amada.”
O trato foi realizado, e Tarchimache iniciou a sua missão… sua evolução foi tanta, que em pouco tempo ele já estava presente em todas as falanges existentes… Popularmente conhecido como Tranca Rua, ele teve autorização para desenvolver suas próprias falanges, para ajudar ás demais falanges do mundo espiritual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário