Páginas

Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

EEE em Estudo – Parte III / Espíritos Pseudossábios e Espíritos Neutros

Nessa terceira parte de nosso estudo vamos abordar um pouco sobre a Oitava e Sétima classe de espíritos da ordem dos Espíritos Imperfeitos. Se você perdeu os textos anteriores, recomendo que vá lê-los primeiramente, você os encontrará clicando aqui.

Oitava classe. Espíritos Pseudossábios

“Seus conhecimentos são bastante amplos, mas julgam saber mais do que realmente sabem. Tendo realizado alguns progressos em diversos sentidos, sua linguagem tem um caráter mais sério, que pode iludir quanto à sua capacidade e às suas luzes. Mas isso frequentemente, não é mais do que um reflexo dos preconceitos e das ideias sistemáticas que tiveram na vida terrena. Sua linguagem é uma mistura de algumas verdades com erros mais absurdos, entre os quais repontam a presunção, o orgulho, a inveja e a teimosia, de que não puderam se despir.” – Allan Kardec.

Meus comentários: Essa classe de espíritos é muito populosa, encontramos diversos elementos encarnados e em épocas de grupo de facebook, proliferam aos montes. É fácil reconhecer, é sempre aquele que tem uma opinião tendenciosa, que se apodera de trechos de textos e os adequam fora de seu sentido original, para dar certa autoridade para suas próprias explicações e ideias. Utilizam-se de todos os artifícios para defenderem que suas ideias são corretas, porém nem sempre são a expressão ideal de uma ciência ou sabedoria.

Adoram falar com pompa, assim como os espíritos da décima classe podem fazer, colocando sempre a baila sua intelectualidade, supostamente, superior. Exacerbam suas façanhas intelectuais, seus títulos e também sua escolaridade. Adoram citar que fizeram parte de grêmios acadêmicos, grupos de intelectuais e até mesmo de certas faculdades dadas como grandes. Mas é só deter um exame mais sério para perceber como estão tentando enganar os outros e a si. Ao contrário do zombeteiro ou leviano – que leva tudo como brincadeira, os espíritos pseudosábios acham-se mesmo detentores da verdade.

Quando contrariados ou quando cessam seus argumentos, revestem-se de ignorância ou de empáfia e dizem que é ASSIM e ponto final! Sem darem maiores explicações. Os sábios sempre ouvem as opiniões diversas e questiona-se se não estão errados, é assim que eles aprendem. Já os pseudosábios não admitem que questionem a seu conhecimento e as suas bases, fechando olhos e ouvidos para novas informações.

“O Sábio pode mudar de opinião. O ignorante nunca!” – Immanuel Kant

Sétima Classe. Espíritos Neutros

“Nem são bastante bons para fazerem o bem, nem bastante maus para fazerem o mal; tendem tanto para um como para o outro, e não se elevam sobre a condição vulgar da humanidade, quer pela moral ou pela inteligência. Apegam-se às coisas deste mundo, saudoso de suas grosseiras alegrias.” – Allan Kardec

Meus comentários: Eis que chegamos a categoria que abarca a maioria de nós encarnados. Nesta categoria temos as pessoas comuns – ordinárias, que nem são altruístas a ponto de se dedicarem ao próximo de forma desinteressada e também nem as tão más que queiram prejudicar a todos com maldades e esquemas maldosos, de forma direta e intencional.

Geralmente a maldade perpetrada por esses espíritos são reações erradas de paixões comuns dos humanos, tais como: raiva, ira, inveja, ciúmes e cupidez.

Nesse aspecto, não adianta deixar de praticar o mal, é sempre necessário praticar o bem. Então se você sempre disse: “Ah! Eu sou bom, não pratico o mal e nem o desejo para ninguém.”, repense. O Bem não feito também é considerado mal e o bem não deve ser praticado de vez em quando, mas todos os dias.

Encontramos diversos espíritos mais preguiçosos do que maldosos e até mesmo muitos covardes, para não mudarem a sua condição e se afastarem do Status Quo.

“Todo ser humano é culpado do bem que não fez.” – Voltaire

Nenhum comentário:

Postar um comentário