Páginas

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Insônia: Um sinal de alarme!

Uma das experiências mais desagradáveis que podemos ter é revirar na cama sem conseguir dormir. Infelizmente, cada vez menos pessoas conseguem dormir o “sono dos justos”: aquela noite de sono tranquila que só termina na manhã seguinte.
Atualmente contamos com várias alternativas para acabar com a insônia. Pode ser uma simples água com açúcar ou sofisticados soníferos produzidos pela indústria farmacêutica.
Embora a insônia seja relativamente comum, não podemos dizer que é “normal”. Normalmente, não é um problema grave, mas pode transformar-se em um grande desafio.
A insônia é um sintoma e não uma doença
“Nós apreciamos a boa música, belos quadros, mil iguarias, mas não sabemos o quanto custou aos seus inventores: as noites de insônia, o choro, o riso e a angústia, que é a pior de todas.
A insônia é basicamente um sintoma de todas as doenças mentais e emocionais que sofremos. No entanto, sofrer de insônia não é um fator que indique um problema grave que precisa de tratamento.
Vamos por partes: a insônia é um sintoma. Isto quer dizer que ela não é um problema, mas é o reflexo de um outro problema que está além dela.
O que define a insônia é uma dificuldade para conseguir o relaxamento necessário que conduz ao sono profundo. Essa dificuldade pode estar relacionada a vários fatores, que podem ser problemas físicos e até mesmo doenças mentais graves.
Às vezes, a dificuldade para dormir é o resultado de um simples jantar. Se você comer tarde demais ou consumir alimentos difíceis de digerir, é provável que não consiga dormir profundamente. O corpo está focado em evitar uma indigestão e não em descansar.
Nesse caso a insônia é incidental, ou seja, é um fato isolado e, portanto, não há motivo para preocupação.
Mas, quando a dificuldade para dormir se torna rotineira e não conseguimos encontrar a causa, existem motivos para levar isso a sério. Nesse caso, não estamos falando de um simples sintoma, mas da ponta do iceberg de um problema mais grave.
Analisando a insônia
Utiliza-se a palavra insônia para várias situações:
– Quando não conseguimos dormir e passamos a noite em claro.
– Quando dormimos, acordamos de repente, e mesmo cansados não conseguimos voltar a dormir.
– Quando dormimos de forma intermitente, ou seja, entramos em um processo de dormir e acordar a noite toda.
O que é comum em todas essas situações é a resistência ao sono. Do ponto de vista psicanalítico, podemos dizer que é um medo de sonhar.
No sonho, desaparece grande parte da censura imposta pela razão. Nele podem ocorrer fatos ilógicos e estranhos que, quando analisados, revelam verdades ocultas dos seres humanos.
Nos sonhos, perdemos o controle sobre a nossa mente e podem emergir realidades assustadoras ou desconfortáveis.
A insônia é um indicador de que existe uma verdade oculta que não queremos admitir. Tememos que ela se revele durante o sono e por isso suprimimos o ato de dormir.
A insônia pura não precisa de razões; aparece em qualquer momento e sem qualquer motivo. Ela esconde tanto a revelação de algo que o preocupa ou um estado mental ou emocional alterado.
Seja qual for o caso, quando a insônia se torna crônica, é necessário consultar um especialista. Considere a insônia como um sinal de alarme, que anuncia a presença de um problema que deve ser resolvido imediatamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário