Páginas

Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Colônias Espirituais



O desencarne ocorre e como espiritualista sabemos que a vida continua, agora em um outro plano de existência. Mas que plano é esse? Para onde vão os Espíritos? Eles ficam vagando pelo espaço?
Podemos dizer, a grosso modo, que os espíritos se agrupam por afinidades, ou seja, conforme suas frequências vibratórias e convicções. Falamos um pouco sobre isso no texto sobre desencarne para várias religiões. Porém aqui iremos tratar dos aglomerados de espíritos que acabam gerando verdadeiras vilas, cidades e até estados do outro lado, denominados no meio espírita como Colônias Espirituais.
A mais famosa colônia espiritual é chamada de Nosso Lar e foi popularizada pela literatura espírita de Chico Xavier, narrando as histórias do espírito André Luiz. Ficou tão popular que rendeu até mesmo um filme sobre o assunto. No relato de André Luiz, somos apresentados ao Umbral, assim como a Colônia Nosso Lar com seus ministérios, praças e locais de atendimento e trabalho. Também nos é apresentado as histórias dos moradores do local e suas inter-relações e a apresentação primária de que o trabalho continua no outro lado da vida, inclusive sendo remunerado por hora-crédito, para que os espíritos possam gozar de momentos de descontração e prazer. Porém o que ninguém cita – abertamente – é que apesar da visão linda do Nosso Lar, a colônia ainda se encontra muito próxima de nós, recebendo os espíritos menos evoluídos – mas ainda assim merecedores por algum motivo – dentro de suas muralhas. Podemos dizer então que Nosso Lar ainda está em uma das Zona Umbralinas do Astral.
O que chama a atenção é a quantidade de coisas construídas, vegetação e até mesmo a presença de alguns animais. Nas colônias encontramos tudo que aqui há, só que em uma versão melhorada. De fato, assim como o perispírito é o molde de nosso corpo material, os objetos do mundo espiritual são os moldes dos objetos materiais aqui no plano terreno. Logo, tudo tem sua contraparte etérea e espiritual. A flor-de-laranjeira que aqui vibra, lá também vibra e apresenta-se de forma astralina, porém muito mais perfeita.
As construções são todas moldadas através do fluído cósmico universal e são mantidas pela mente coletiva dos fundadores ou dirigentes das colônias. Esses conforme vão evoluindo, passam o bastão-de-liderança e também a obrigação de sustentar toda a colônia. Sabemos também que em algumas dessas colônias, encontramos certo tipo de alimentação plasmada, como frutas, legumes e afins, além de uma espécie de água extremamente magnetizada própria para os espíritos que ainda não conseguiram se desvencilhar do hábito terreno de alimentação ou não aprenderam ainda se nutrir através do prana universal.
Porém, Nosso Lar não é a única colônia, dentro da Umbanda temos conhecimento de outros locais como:
    Aruanda, terra dos pretos-velhos e guias de Umbanda.
    Jurema, terra dos caboclos e índios de Umbanda, também conhecida como Macáia.
    Humaitá, terra dos Oguns e dos Espíritos de Soldados.
    Colônia do Cruzeiro do Sul, alguns missionários cristãos, índios e caboclos que tiveram vivência em terras brasileiras e outros espíritos missionários.
Existem outras colônias conhecidas do meio espírita, tais como:
    Colônia Regeneração, que se encontra nas proximidades de Goiânia até Brasília e que trabalha com espíritos com períspiritos mutilados.
    Colônia Amigos da Dor, que vai do norte de Minas Gerais até o sul da Bahia. Curiosamente é uma colônia de espíritos que trabalham dentro da egrégora católica, promovendo missas e atendimentos em igrejas, santas casas e locais relativos ao catolicismo.
    Colônia Arco-Íris, que fica na região Norte do Brasil, próximo a cidade de Porto Velho.
E outras: Colônia Regeneração, Colônia Redenção, Colônia Arco-Íris, Colônia Raios do Amanhecer, Colônia Bom Retiro, Colônia Padre Chico, Colônia da Praia, Colônia Nova Esperança, Colônia das Águas, Colônia Morada do Sol, Colônia das Flores, Colônia Gramado, Colônia das Montanhas, Colônia Estudo e Vida, Colônia das Violetas, Colônia do Sol Nascente, Colônia do Abacateiro, Colônia do Rouxinol, Colônia do Moscoso, Colônia Socorrista Moradia, Colônia Campo da Paz, Casa Transitória de Fabiano, Colônia Redenção, Colônia da Música, Colônia Espiritual de Eurípedes Barsanulfo, Colônia Alvorada Nova, Colônia Casa do Escritor, Colônia Triângulo, Rosa e Cruz, Sanatório Esperança, Moradias, Colônia Porto da Paz, Instituto de Confraternização Espírito Meimei, Colônia A Cruzada, Colônia Gordemônio, etc.
Há um post no fórum Rede Amigo Espírita, falando sobre isso na visão destes praticantes do Espiritismo, confira aqui.
Ainda temos colônias ou agrupamentos nos umbrais que nem sempre estão formalmente organizados em uma estrutura política coerente, dentre essas a mais famosa colônia é o chamado Vale dos Suicidas. Esse local ficou conhecido através do livro Memórias de um Suicida, psicografado pela médium Yvonne do Amaral Pereira e pelo espírito de Camilo Castelo Branco. Porém, existem relatos de que esse local fora desmantelado recentemente, pois o acumulo de energias densas estava começando a afetar a psicosfera terrena, então um conjunto ou força-tarefa de espíritos evoluídos foram incumbidos a desagregar toda energia negativa que se aglomerava em um local e reconduzir os espíritos que ainda não haviam conseguido sair dali por vontade própria. Porém, é um trabalho temporário e acabará retornando com o passar dos tempos.
Apesar de Allan Kardec não ter se referido às colônias de forma direta em seu pentateuco, podemos encontrar referências como o agrupamento de espíritos por afinidade por toda obra, como podemos ver nas perguntas abaixo, retiradas do Livro dos Espíritos:

    84. Os Espíritos constituem um mundo à parte, além daquele que vemos?
     — Sim, o mundo dos Espíritos ou das inteligências incorpóreas.

     85. Qual dos dois, o mundo espírita ou o mundo corpóreo, é o principal na ordem das coisas?
     — O mundo espírita; ele preexiste e sobrevive a tudo.

     86. O mundo corpóreo poderia deixar de existir, ou nunca ter existido, sem com isso alterar a essência do mundo espírita?
     — Sim; eles são independentes, e, não obstante, a sua correlação é incessante, porque reagem incessantemente um sobre o outro.

     87. Os Espíritos ocupam uma região circunscrita e determinada no espaço?
     — Os Espíritos estão por toda parte; povoam ao infinito os espaços infinitos. Há os que estão sem cessar ao vosso lado, observando-vos e aluando sobre vós, sem o saberdes; porque os Espíritos são uma das forças da Natureza e os instrumentos de que Deus se serve para o cumprimento de seus desígnios providenciais; mas nem todos vão a toda parte, porque há regiões interditadas aos menos avançados.
Inclusive no livro O Céu e o Inferno, encontramos no Capítulo II da segunda parte, um trecho de comunicação de um espírito que cita, comparativamente, sua morada na terra com o local que vislumbrava no plano espiritual.
Apesar de muita gente querer ir para uma determinada colônia, não é assim que acontece. Primeiramente precisamos merecer estar lá. Ainda assim, existem diversos espíritos que se encontram vagando, sempre errantes na Crosta. A crosta é exatamente aqui onde estamos e esses espíritos geralmente são as almas penadas. Mesmo se estivermos dentro de uma colônia, não estamos presos a ela, podemos ir e vir conforme quisermos, porém o nosso senso de compromisso fala mais alto e sempre iremos querer ajudar, ou pelo menos é o que se espera.
Esse é um assunto com pouquíssima literatura própria, sendo apenas dado como plano de fundo na maioria das histórias publicadas, mas de fato é extremamente fascinante. Podem existir colônias evoluídas e outras menos evoluídas e só é permitido ao espírito adentrá-las se cumprir os requisitos de evolução moral necessários.​

Nenhum comentário:

Postar um comentário