Páginas

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

4 Lições para deixar de ser Trouxa:


A pergunta que faço logo para começar esse texto é: quantas vezes você fez papel de trouxa nos últimos anos? Bem, eu pelo menos, já perdi as contas da quantidade de momentos que só hoje consigo ver que passei, na verdade, por um tremendo papelão.
Não acho que existe nenhum remédio ou maneira milagrosa que impeça a gente de passar por essas situações. Nós vamos sim quebrar a cara várias vezes, olhar futuramente para o nosso agora e pensar o quanto éramos injustos com nós mesmos. Injustos por acharmos que o nosso sentimento e a nossa vontade era de menor valor do que a alheia, que fazer algo que não tinha nada a ver com o que somos realmente era normal e que ficamos esperando por um bom tempo que outras pessoas fizessem algo por nós da mesma maneira que faríamos por ela.
De qualquer forma, anotem aí essas 4 dicas básicas para usarmos de mantra no dia a dia e tentarmos diminuir o tamanho dessa folha gigante que insistimos em usar como papel de trouxa.

1. Ame-se mais

Repita para você mesmo até decorar: amor próprio é o mais importante! Se a gente não se amar, ninguém vai conseguir nem se interessar em ter qualquer sentimento por nós. As pessoas insistem em amar incondicionalmente quem não lhe dá nenhum valor e isso não é legal. Acredite em mim: você não está garantindo um lugarzinho no céu colocando o seu amor todo em uma pessoa e deixando o seu valor de lado.
Eu sei que, às vezes, é bem difícil controlar esse sentimento que impede que a gente enxergue o que está acontecendo embaixo do nosso nariz, mas só a partir do momento que você começa a se valorizar, olhar as suas qualidades e defeitos e tenta realmente mudar o que for preciso, que estaremos prontos para qualquer relacionamento (amoroso ou não). Ninguém gosta de estar com uma pessoa que não se ama, que rasteja pela outra a qualquer custo. Vamos nos amar mais e nos colocar em primeiro lugar para variar!

2. Espere menos dos outros

Para mim, esse é o ponto chave e o mais difícil dessa missão. Assim como eu, muitas pessoas têm a incrível mania de se desdobrar para dar o mundo às outras, mas esperam reciprocidade na mesma moeda do outro lado. Porém, nem sempre as coisas são assim e isso acontece pelo simples motivo de que as pessoas são diferentes, nem todos estão na mesma vibração, no mesmo estado de espírito, têm as mesmas intenções. E daí que a coisa complica…
Faça o que você acha que tem que fazer sem esperar que a outra pessoa te pague do mesmo jeito, que se desdobre da mesma maneira por você, porque isso quase nunca irá acontecer e a sua decepção (confesso que decepção essa um pouco dispensável, já que a escolha é sua) será gigante.
Seja o que for, faça porque você quer, porque você acha que é o certo e porque você tem vontade. Cuidado para não cobrar nada depois e, muito menos, ficar com aquele carão decepcionado. Pense bastante no que você considerar mais justo!

 3. Goste de quem gosta de você

Essa dica está muito relacionada à primeira, mas na verdade, eu quero conversar agora com as pessoas que insistem em correr atrás de quem não está nem aí para ela (quem nunca, né?).
Como já disse, ninguém gosta de estar com alguém que não se valoriza. Você insistir em algo com alguém que não está na sua sintonia só mostra o quão errado isso já começou. Pare de criar expectativas achando que a pessoa irá mudar, que irá se apaixonar perdidamente por você da noite para o dia porque esse é um grande alerta de PERIGO para a sua autoestima.
Muitas pessoas acabam mudando a opinião e os sentimentos sim, mas tudo ao seu tempo. Não tente forçar ninguém a gostar mais de você, porque não vai rolar. Tudo o que você conseguirá é um baita bode da pessoa por você e pelas suas atitudes.
Deixe as coisas fluírem normalmente, sem forçar nada! Se você não estiver feliz com a situação, se não estiver lhe fazendo bem, se não corresponder ao que você espera… a vida segue! Siga em frente a parta para outros objetivos, outros amores, outros passeios. Sabe aquele velho ditado que fala para a gente parar de dar soco em ponta de faca? Essa é a exata situação. Chega de fazer papel de trouxa!

4. Não seja o que você não é

Muitas e muitas pessoas fingem ser o que não são para agradar os outros. Mentem quanto às menores coisas, como uma banda ou uma música que detestam, mas dizem gostar, ou então, uma opinião que não concordam, mas falam que acreditam naquilo para não ser “do contra”. Para essas pessoas, só tenho a dizer: você está assinando o seu papel de trouxa.
Fingir ser o que não é pode ser uma das coisas mais ridículas que você está fazendo consigo mesmo. Ninguém merece viver sob máscaras de uma personalidade que não lhe pertence.
Sorte daqueles que não tem medo de mostrarem quem eles são de verdade, com todas as camadas de defeitos e esquisitices que nos acompanham sempre. Para eles, a sorte é que pelo menos um quesito já está sendo cumprido para deixar de ser trouxa para as outras pessoas e também – e principalmente – para si próprio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário