Páginas

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Qual a ação da esquerda em nossas vidas?


Exu e Pombagira são polêmicos por natureza. Sua ação nunca foi bem compreendida por quem vive a religião de Umbanda, imagina então quem está vendo de fora?
Mas essas entidades espirituais não tem muita culpa sobre isso. Novamente esse fardo recai nos ombros dos médiuns mais preocupados pela fenomenologia e dirigentes despreparados que utilizam da visão desvirtuada desses abnegados trabalhadores para instilar medo em seus tutelados. Erro atrás de erro não? Vamos entender primeiro quem são esses espíritos e a atuação de sua linha de trabalho.
A ideia é entender que as linhas de trabalho operam com os fatores ou domínios, neste caso a esquerda tem por natureza o fator¹ consumidor, mas também possuem outros tais como absorvedor, negativador, vitalizador, estimulador, etc.
A questão da esquerda é que ela é neutra e deve ser ativada, então não há como uma entidade da esquerda ir por si trabalhar negativamente ou fazer algo a alguém. Primeiramente precisamos ativar o mistério da linha de Exu e Pombagira.
Então isso, por si só, já tira um pouco a imagem demoníaca que instilaram a esses trabalhadores.
Muitos podem dizer que eles agem negativamente na vida das pessoas, mas entendam, em alguns casos é necessário levar o ser a ter um excesso de negativismo para que ele tenha algo parecido como uma implosão. Não se enganem, há muito, esses espíritos tentam orientar, conduzir, mostrar e proteger; mas nós sempre damos de ombros a eles. Nesses casos eles começam a atuar para exacerbar os vícios e desequilíbrios até que chega um ponto de catarse e então eles podem agir consumindo o negativismo e neutralizando a ação nefasta. Não vejamos o mundo em preto-e-branco, existem milhares de outras cores.
O tridente é um símbolo da esquerda e nem de longe ele tem relação com entidades demoníacas. Na realidade ele representa as polaridades de trabalho de Exu ou Pombagira: Positivo, Neutro e Negativo.
Traduzindo, Exu em seu mistério vitalizador pode VITALIZAR, NEUTRALIZAR ou DESVITALIZAR e assim por diante com todos os outros fatores.
O estudo é fundamental na Umbanda, os guias podem “saber tudo”, mas não sabemos nada. Por isso devemos pesquisar em fontes confiáveis e com bom-senso. Nunca devemos acreditar cegamente em algo ou alguém. É sempre bom, com respeito, colocar a prova essas informações.
Exu não é um espírito das trevas ou um “diabo”. Tampouco foi um homem que só errou e agora tá lá barganhando sua evolução. Não estou dizendo que não pode existir um caso assim, de um ser humano que caiu em desequilíbrio e se negativou e que agora atua como Exu, não é porque ele se negativou que virou Exu, mas sim porque tem um lugar na Criação e entendeu o motivo de sua queda. Agora ele atua nas Trevas trabalhando para a Luz, se assim podemos dizer. Muitos Exus já conquistaram merecimento o suficiente para subirem de “nível”, mas ainda se julgam mais necessários nas áreas de trevas.
Outra questão, Exu não precisa de sangue ou de sacrifício de animais, além disso então nem preciso dizer né? E de forma alguma ele irá aceitar oferendas e trabalhos pra prejudicar terceiros, pois Exu está sob as ordens da Lei Maior e da Justiça Divina. É hora de mudar essas concepções erradas.
Isso também vale pra Pombogira que nunca foi prostituta ou vagabunda, e para Exu-Mirim que nunca foi drogado, trombadinha, menino de rua, etc. Se algum médium “incorporado” agir assim desconfie. Aliás, desconfie em casos da entidade da esquerda falar palavrões, babar, gritar, rugir, grunhir, agir de forma libertina ou vulgar, ficar bêbado, dizer que precisa do marafô ou cachaça de qualquer forma, fumar em excesso, pedir oferendas com sacrifício, dizer que tem chifres, rabo, cascos, etc. Nesses casos o médium deveria ir para a assistência, fazer um tratamento para se reequilibrar. Quem aceita os pactos para praticar maldade não é um Exu ou Pombagira de Lei.
Então após essas explicações algumas perguntas podem estar em mente, como por exemplo: Todo mundo tem um Exu? Quantos Exus uma pessoa tem? Como ativar ou acionar Exu e Pombagira?
Tanto pra Exu quanto pra Pombagira (ou Bombogira) as respostas são parecidas. Todo mundo tem um encantado (o mesmo encantado pode ser responsável por vários médiuns) atuando na vibração de Exu e Pombagira.  São os responsáveis pela aplicação da lei de ação e reação ou como alguns conhecem do karma. Claro que essa explicação que estou dando é um tanto quanto simplória, mas serve para começar a pensar. Os médiuns em geral possuem outros trabalhadores dessa linha, alguns como Exu/Pombagira de Trabalho – aquele que incorpora – e alguns como Exu/Pombagira de Serviço – que são entidades representando forças naturais. É claro que em alguma situação especifica outro Exu/Pombagira de uma linhagem diferente da do médium pode se apresentar para aquele trabalho, porém isso não quer dizer que é um espírito que faz parte da sua coroa ou que ele deverá incorporar.
Todos podem fazer uma firmeza para seu Exu/Pombagira, pedindo amparo e proteção, já que eles também são os responsáveis por bloquear as demandas e as negatividades que são enviadas a nós. Mas lembre-se não peça nada além de proteção e força para você, jamais peça para que ele haja contra a vontade ou liberdade alheia, pois aí com certeza ele irá virar as costas pra você e deixar essa questão a cargo de entidades trevosas ou inferiores, e aí, a lei de ação e reação já está em atividade.
Vamos à firmeza, geralmente firmamos em um local externo: quintal, garagem, jardim; no caso de apartamentos podemos firmar na área de serviço ou na sacada. Os itens básicos são uma vela, uma bebida e um fumo, eu acrescentaria também outros elementos como flores, ervas, pedras e outros elementos simbólicos. O procedimento é sempre o mesmo, coloque a bebida em um copo de preferência que não de plástico, acenda a vela, acenda o fumo, e faça uma evocação saudando a esquerda. Algo simples como:  
“Em nome de Deus, eu evoco as forças de meu Exu/Pombagira e peço, respeitosamente, para que atuem em minha vida absorvendo e consumindo toda negatividade e neutralizando todas as ações negativas direcionadas a mim, assim como me protegendo contra todo mal, dentro da minha necessidade e merecimento. Laroyê Exu! Exu/Pombagira Omodjubá!”.Bate-se o ‘Paô’.
Paô é o ato de bater palmas de forma abafada, três vezes três, ou seja, três palmas e uma pausa, mais três e outra pausa, e mais três.
Abaixo a lista dos elementos para cada linha de trabalho, porém podem variar.
EXUPOMBAGIRAEXU-MIRIM
COR DA VELAPreto, Preto-Vermelho, BrancaVermelha, Branca-Vermelha, BrancaPreta-Vermelha, Branca
COR DA FITAPretaVermelhaPreta-Vermelha
ERVAPimenta, Pinhão Roxo, Folha de MamonaPatchouli, Hibisco, Malva Rosa.Casca de Alho, Limão, Hortelã
FLORCravo VermelhoRosa Vermelha
PEDRA/CRISTALÔnix, Turmalina Negra, ObsidianaJaspe Vermelho, Rubi, GranadaPedras Negras
FUMOCharutoCigarrilhaCigarrilha Doce
BEBIDACachaça, Whisky, Cerveja.Espumante RoséPinga com Mel, Licor doce, Licor de Menta
OUTROS ELEMENTOSTridente Reto, Punhal, Quartinha de Barro.Tridente Redondo, Punhal, Leque,Carrinhos, Doces Duros, Chocolate Escuro, Bala de Menta
Em algumas casas o uso de velas pretas ou outro elemento como a bebida não são permitidos, nesse caso, basta apenas não usar ou substituir, a vela pode ser branca sempre e a bebida pode ser água sempre.
Espero, que com essas informações, as mentes tenham se aberto.
Laroyê Exu, Laroyê Pombagira, Laroyê Exu-Mirim! A Esquerda Omodjubá! 

* Muito cuidado ao acender velas dentro de casa, mantenha sempre a vigilância nesses casos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário