Páginas

Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Sacerdote

O Sacerdote de uma religião, seja ela qual for, é um dirigente espiritual,  zelador do templo, mestre e discípulo, podendo ter ou não um rebanho. O Sacerdote é aquele que representa a religião, o sacerdote é a religião. Religião é em essência o religar-se a Deus, através de uma doutrina e liturgia que englobam o ritual (prática) e a teologia (teoria). O Sacerdote ao assumir esta responsabilidade passa a ser o portador de um dos mistérios da fé, pois assume o compromisso de ser um veiculo desta e de vir a despertá-la onde estiver adormecida, se assim for a vontade do Ser Supremo.
O Sacerdote não faz a sua vontade, antes pede que seja feita a vontade da deidade a que serve, pois o sacerdote não é o poder ele é a ponte e o veículo ao poder que se assenta no Altíssimo. O Sacerdote é investido, outorgado, de duas formas, horizontal ou vertical, por assim dizer, onde na investidura horizontal ele foi feito e preparado por outro sacerdote aqui no plano material, a investidura vertical se dá por uma revelação espiritual e o desabrochar natural de um dom ligado ao mistério da fé.
Esta outorga sacerdotal se dá por uma iniciação o que também nos leva a questão de mestre e discípulo, pois um mestre espiritual é aquele que além de levar o esclarecimento dá a iniciação a seus discípulos, já o discípulo é aquele que segue uma disciplina, colocada pelo mestre, logo o discípulo deve refletir o mestre, no sentido de que aplica os ensinamentos, a doutrina e a disciplina.
Um Pastor pode ter um rebanho e não ser um mestre, mas um sacerdote que prepara outros sacerdotes para a senda sacerdotal é sempre um mestre, mesmo que não o queira ser chamado assim pois em cada seguimento religioso já existem os títulos devidamente empregados.
A figura do mestre no campo religioso é como a figura de um Pai, pois iniciar alguém espiritualmente é trazê-lo à Luz, é morrer para o mundo profano e nascer no mundo sagrado. Aquele que te dá a luz é Pai e Mãe, por isso vemos alguns títulos de sacerdotes como Papa, Padre ou Baba que querem dizer Pai; Madre ou Yia que quer dizer Mãe; alguns são chamados simplesmente de Pai ou Mãe de Santo, Pai ou Mãe Espiritual; vemos também a designação Padrinho ou Madrinha Espiritual também muito utilizado.
Na Instituição Católica, um sacerdote só é preparado através de outro sacerdote, que por sua vez foi preparado por um outro sacerdote, em uma ascendência que remonta a Jesus Cristo, este é um sacerdócio horizontal.
Ninguém pode se auto intitular a um titulo como o de Bispo se outros Bispos não o prepararam dentro do protocolo, diferente do Pastor pois todo aquele que tem um rebanho é um pastor, já o mestre espiritual tem que ter outorga e direito de iniciar outros na mesma senda.
Moisés foi investido de um poder e dom de forma vertical, direto do Altíssimo, onde se consagrou profeta e mago, seu irmão Aarão é quem exercia o sacerdócio de um único templo ao Deus Único de Abraão.
Jesus também recebeu uma investidura vertical, onde foi reconhecido profeta e Rabi, mestre, identificado por seus seguidores como O Messias, O Christo, O Ungido, um enviado direto do Altíssimo acima de qualquer outro profeta ou sacerdote, O Filho de Deus.
Acredita-se que tanto Moisés quanto Jesus além da revelação tiveram preparo horizontal, passando por iniciações espirituais pois o primeiro foi criado dentro dos templos egípcios e daí para o deserto africano onde conviveu com Jetro seu sogro, Sacerdote e mago. A Bíblia não diz por onde Jesus andou, dos 13 aos 30, mas acredita-se que tenha andado pelo Egito, Índia e com os essênios onde teria também passado por iniciações.
Buda também recebeu uma investidura vertical, alcançou a iluminação, foi tocado pelo Mistério Maior e criou o que hoje chamamos de Budismo. Existe o Budismo hierárquico e sacerdotal como o Tibetano e o não sacerdotal como as práticas de Zen Budismo.
No Candomblé Afro-brasileiro o sacerdote é chamado Babalorixá (Pai no culto de Orixá) ou Babalawô (Pai do segredo) e a sacerdotiza é chamada Yalorixá (Mãe no culto de Orixá), a investidura é horizontal só se entra no candomblé através de alguém que já está lá dentro, só um sacerdote ou sacerdotisa confirmados é que podem preparar alguém para o culto.
Já o Kardecismo tem propósitos religiosos não aceita rituais e nem hierarquias, logo não há a figura do sacerdote, nem templo e nem altar.
Na Umbanda há a investidura vertical e horizontal. O caminho natural da Umbanda é entrar para um templo da religião (Tenda, Centro ou Terreiro de Umbanda) e lá ser preparado como médium de umbanda, caso tenha este dom, com o tempo caso tenha a missão sacerdotal de dirigir um templo, zelar por ele e por seus filhos e ou representar a religião será então preparado para tal.
Também há aqueles, que mesmo sem nunca ter freqüentado nenhum terreiro, incorporam espíritos em casa de uma forma espontânea e natural, sem um preparo horizontal ou externo, começam um trabalho espiritual arrebanhando pessoas e quando se vê o médium passa a ser preparado por estes espíritos guias e mentores de forma lenta e gradual. Em muitos casos é dito que nasceram feitos, com coroa feita, vêm prontos para o trabalho espiritual, isto é um fato. Assim foi preparado Zélio Fernandino de Moraes, Fundador da Umbanda e tantos outros Umbandistas.
Mesmo que tenha sido preparado desta forma nada o impede de buscar mais informação e cultura umbandista, unindo toda uma teoria da religião á prática de incorporação que já está ativa neste momento.
Poderíamos nos estender ainda para os Rabinos no Judaísmo, Sheiks no Islamismo, Mestres do Tão, sacerdotes e Sacerdotisas Celtas, Druidas, Egípcios, Hindus, Maias, Astecas e tantos outros seguimentos.
O estudo das religiões é algo fascinante, a oportunidade de aceitar e estudar a todas é única, não deixe que ninguém lhe impeça de estudar de tudo pois com tudo temos a aprender.

Nenhum comentário:

Postar um comentário