Páginas

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Energias


Para um melhor entendimento, antes de entrarmos no assunto sobre energias, vamos discorrer sobre a “teoria do transbordamento”, onde pretendemos exemplificar a ação energética, sua mistura com outras energias e sua ação direta nos seres vivos.
Começamos com um pote completamente cheio de bolinhas amarelas.

Se adicionarmos mais bolinhas nesse pote irá provocar o transbordamento das bolinhas, seria como se estivéssemos enchendo um copo d’água: o copo comporta um volume máximo de água, mas se continuarmos colocando mais água ela transborda. Essa é a “teoria do transbordamento”.
Essas bolinhas possuem a propriedade de poder se misturar com bolinhas de outras cores, por exemplo, se juntarmos uma bolinha azul com uma amarela, teremos uma bolinha de cor verde.
Então, se jogarmos bolinhas azuis no pote de bolinhas amarelas, irá transbordar bolinhas de cor verde.
            Se continuarmos colocando bolinhas azuis no pote chegará um momento que todas as bolinhas dentro do pote ficarão verdes, pois todas as amarelas irão se misturar com as azuis.

Se não pararmos e continuarmos colocando mais bolinhas azuis, o pote ficará só com bolinhas azuis, pois não haverá mais bolinhas amarelas para misturar e as verdes também terão saído do pote.

Agora, se pegarmos um pote com bolinhas coloridas e jogarmos bolinhas azuis, de dentro dele sairão bolinhas coloridas, por causa da mistura das cores.
As bolinhas serviram de exemplo para entendermos como se comportam as moléculas de um corpo qualquer quando recebe energia: as moléculas desse corpo possuem uma carga de energia (como as bolinhas amarelas) e recebem energia de carga diferente externa ao corpo (como as bolinhas azuis), e o que resulta dessa soma de cargas é uma carga diferente (como as bolinhas verdes).
É assim que se comportam todos os corpos no Universo: uns trocam energias com outros, mudando constantemente a energia de cada corpo, recebendo e transbordando energias.

Todos os corpos no Universo trocam energias com outros corpos. Ao invés de potes, podemos imaginar estrelas, planetas e até seres humanos trocando energias entre si.



Os animais e os humanos possuem uma carga própria de energia (como no exemplo, bolinhas amarelas) mas, por possuírem sentimentos, eles conseguem manipular essa energia de acordo com o estado em que se encontram: se estão felizes, conseguem mudar a energia interna (tornam as bolinhas de amarelas para laranja), se estão tristes, também mudam a energia interna (tornam as bolinhas amarelas em rosas), se estão com raiva, também mudam a energia interna (tornam as bolinhas amarelas em vermelhas), e assim por diante. Há pessoas que mudam de sentimento a todo instante e por isso possuem energias variadas em seu corpo (bolinhas coloridas).
Os sentimentos dos homens e dos animais influenciam a energia interna de cada ser. As cores utilizadas no exemplo são irrelevantes.



Nesta introdução vimos, então que, um corpo possui uma quantidade de energia, mas se o meio externo emanar energias para este corpo, a energia será processada internamente e o excesso transbordará, podendo inclusive, ser emanado para outro corpo.


2.      A energia universal

O Universo emite infinitamente energia para todas as estrelas, planetas e satélites. Tudo no Universo possui capacidade de receber, processar e re-emitir essa energia de acordo com sua grandeza e potência. Quanto maior e mais potente, o corpo no universo emite com mais força, intensidade e distância a energia processada em si.
No sistema solar o maior e mais potente corpo que recebe e emite energia é o Sol, e por isso a Terra recebe grande quantidade de energia solar. A Lua também recebe energia universal e solar e emite boa parte de sua energia processada à Terra.
 O Universo emite energia para a Terra e para o Sol. O Sol emite energia processada em seu interior para a Terra.


A maior parte da energia que a Terra recebe vai diretamente para o seu núcleo, onde é processada com a energia das moléculas contidas no interior do planeta e posteriormente essa energia é emitida para a crosta terrestre, onde beneficiará tudo o que estiver ao seu alcance.

A maior parte da energia que vem do Universo, do Sol e da Lua, é processada no núcleo terrestre e posteriormente expelida para a crosta.


Os seres vivos recebem as energias terrestre, lunar, solar e universal. Todas essas energias, mais a energia vital, são as responsáveis pela vida na Terra.

3.      Energias nos seres vivos

Como vimos anteriormente, o ser humano e a maioria dos animais conseguem, além de processar a energia nas moléculas de seus corpos, inserirem vibrações positivas e negativas, de acordo com seus sentimentos, desejos e pensamentos. 

O ser humano recebe energia externa em seu corpo que será processada juntamente com suas moléculas. Vibrações positivas e negativas de seus sentimentos também são processadas com toda essa energia – é o exemplo do pote com bolinhas coloridas: o amor possui uma cor, o ódio outra, a felicidade e a tristeza outras cores e assim por diante.

            
O ser humano expele parte do excesso de suas energias ao meio externo. Como a energia que sai de um ser humano foi modificada em seu interior - dependendo de seus sentimentos, desejos e pensamentos – esta poderá afetar diretamente outros seres humanos com carga positiva (aquela que nos alimenta e carrega nossas células com boas vibrações) ou negativa (aquela que nos derruba e nos enfraquece). 

Os seres humanos emitem energia de uns para outros.

            Pela teoria do transbordamento, se um ser humano recebe continuamente energia positiva ou negativa de outro ser humano, ele transbordará energia positiva ou negativa respectivamente, e isso afetará diretamente em seus sentimentos, desejos e pensamentos, o que o tornará uma pessoa bondosa, pelo excesso de energia positiva, ou “amarga”, pelo excesso de energia negativa.

4.      Ligações por pensamentos ou ponte mental

            Muitos animais e os seres humanos, são dotados de inteligência e pensamento, e Deus permitiu que uns consigam ligar-se a outros por meio de seus pensamentos, criando uma “ponte mental” imaginária que interliga mentalmente cada um, de acordo com sua correspondência.
            Para provar que esta teoria da ponte mental funciona, temos diversos relatos de pessoas que afirmam que seus animais sabem exatamente a hora que estão chegando em casa; pessoas que sabem quando outras irão telefonar; pessoas que relatam que sonharam com outras e essas, por sua vez, entram em contato no mesmo dia, apesar de ficarem anos sem se falar; etc. Para esses e milhares de outros casos, a linha de pensamento de um ser se ligou com o outro ser, por isso houve uma comunicação mental.
            Essa ponte mental não depende de distâncias, depende apenas que um ser tente entrar em contato com outro que responda aos seus chamados mentais.

Mesmo à distância, um ser consegue se ligar mentalmente com outro através do pensamento: chamamos esse fenômeno de ponte mental.
 
            Através dessa ponte mental, conseguimos emitir energia. Vários seguimentos da Umbanda e do kardecismo estudam e desenvolvem meios de emitir boas energias aos doentes e aflitos incapacitados de comparecer a um terreiro ou centro espírita. Outras religiões também emitem boas vibrações através do pensamento para outros seres, em outros pontos da Terra, mas cada uma de acordo com seus dogmas.
            Transmissões de pensamento, ou telepatia, funcionam pelo mesmo mecanismo da ponte mental.
            Para ser completamente funcional, a ponte mental deve ser correspondida pelas pessoas envolvidas, ou seja, uma pessoa tenta transmitir uma mensagem para a outra e esta outra deverá estar receptiva para poder receber a mensagem – é algo parecido com uma pessoa telefonando para a outra, a comunicação só funciona se a pessoa atender, caso contrário o telefone ficará apenas chamando do outro lado.
            Então, quando sonhamos com alguém, muito provavelmente essa pessoa pensou em nós e estamos criando uma ponte mental. No caso dos animais, eles estão constantemente pensando em seus “donos”, ficam tentando se comunicar mentalmente, e assim que são correspondidos - por exemplo, o dono pensa em voltar pra casa para dar alimento para o animal – eles já sabem que em breve serão alimentados e ganharão carinho e, por isso, sabem que seus donos já estão retornando para casa.

Os animais sabem quando os seus “donos” retornarão, ou se estão passando mal, ou se estão felizes, alegres, etc., tudo graças à ponte mental que os liga.


            Porém, essa ponte mental também permite a emissão de energia positiva e negativa.
Algumas pessoas escravizam mentalmente outras somente com o pensamento: elas emitem pensamentos e vibrações ruins e são correspondidas mentalmente por outras, e com isso conseguem emitir carga negativa e “derrubar” aquelas que estão conectadas por laços de ódio (aquelas pessoas que passam o dia remoendo o passado com sentimentos de ódio e vingança contra outra pessoa está se conectando ou tentando se conectar com esta).
            Mas não podemos nos esquecer da infinita bondade de Deus que nos ensina como bloquear e não permitir que outros construam uma ponte mental conosco:esquecer e manter os problemas que aconteceram no passado lá no passado; perdoar, ou pelo menos tentar, aquele que nos fez algum mal; orar e fugir dos pensamentos ruins; manter nossa mente focada em um trabalho ou estudo; manter um círculo de amizades e corresponder a todos com alegria e bons pensamentos também ajuda a afastar a conexão com outras pessoas malignas. Esse bloqueio se torna possível por estarmos constantemente atraindo energia positiva.
            Os guias espirituais nos ensinam constantemente diversas maneiras de bloquear essas pontes mentais de ódio, basta prestar atenção aos seus ensinamentos.

Há diversas maneiras de bloquear a emissão de energia negativa de outras pessoas: uma delas é nos manter dentro de um círculo de energia positiva.


5.      Como os guias espirituais manipulam as energias

            Os guias espirituais sabem como manipular as energias positivas e negativas e direcionam-nas de acordo com sua vontade e poder – poder este limitado segundo a evolução mental e espiritual de cada guia.
            Na Umbanda, o meio mais forte e mais utilizado pelos guias espirituais para o direcionamento de energias é o ponto riscado. Ao riscar um ponto no chão, com seus simbolismos, o guia espiritual abre uma porta de passagem de energias entre o mundo material e espiritual e ainda entre as partes da crosta e o núcleo terrestre. Através dessa poderosa porta de energias que é o ponto riscado, há a movimentação de energia negativa para o núcleo terrestre e energia positiva para a crosta terrestre.
            As energias positivas ou negativas são visualizadas pelo guia espiritual que consegue retirar a energia negativa e colocar energia positiva em uma pessoa.
            Mas como o guia espiritual faz isso?
            Pela lei do “transbordamento”.
O guia espiritual consegue mentalmente movimentar e direcionar energias positivas para uma pessoa e o excesso de energia negativa que estiver com ela será eliminada naturalmente. É neste caso que entram as ferramentas utilizadas pelo guia espiritual. Um preto-velho quando pede que o consulente segure uma bengala ou um terço ou um rosário, faz isso porque sabe que o excesso de energia negativa que “transbordará” do consulente precisa ser direcionado para algum outro corpo, neste caso sua ferramenta de trabalho. Uma vez que a ferramenta esteja carregada com a energia negativa que veio do consulente, o guia espiritual direciona mentalmente energia positiva para a ferramenta forçando a saída do excesso negativo, e por isso ele bate com a bengala no chão ou joga o terço ou rosário no chão, para que o excesso seja direcionado para o ponto riscado, ou seja, o portal de passagem de energia.





O ponto riscado é um poderoso portal de passagem de energia. Os guias espirituais conseguem direcionar as energias por esse portal. Retiram energia negativa de uma pessoa e direciona para o ponto riscado e puxa energia positiva da Terra direcionando para a pessoa.


            Mas não é somente da Terra que o guia espiritual retira energias positivas. As energias podem vir, como ditas anteriormente, do Universo, do Sol, da Lua, do fogo, da água, dos ventos, dos cristais, de ervas, de pedras, etc. Todas essas energias possuem diferenças entre si, pois cada uma delas é processada de acordo com o meio em que foram submetidas: a energia solar é diferente da energia lunar, que é diferente da energia eólica, que é diferente da energia cristalina, etc.
            De acordo com as diferenças de energias é que o guia espiritual consegue fazer um determinado tratamento em uma pessoa enferma. O guia consegue direcionar exatamente, e na quantidade correta, a energia de que a pessoa necessita.

As energias podem vir de diversos meios: universal, solar, lunar, terrestre, eólico, cristalino, ígneo, aquático, mineral e vegetal.


            Somente os guias espirituais conseguem manipular essas energias?
            Não. Nós, encarnados, também conseguimos manipular as energias, porém não conseguimos visualizá-las.
            Vejamos como podemos manipular as energias:
·         Ponto riscado
            O ponto riscado do guia espiritual não é um portal que somente o guia consegue abrir e fechar, e seus simbolismos não foram desenhados ao acaso. Toda vez que um guia espiritual risca um ponto ele permite que o médium copie o desenho do ponto.
Quando o médium ou alguém próximo sentir-se com as energias baixas, pode ser riscado o ponto do guia espiritual. Não há a necessidade de incorporação neste caso.
Pede-se licença ao guia espiritual para riscar o ponto e reza-se durante o ritual.
A pessoa que estiver com a energia baixa deve ficar em pé (se for possível) em cima do ponto riscado ou pelo menos colocar uma parte do corpo em contato com o ponto riscado.
Pede-se mentalmente ao guia espiritual que faça daquele ponto riscado um portal de passagens de energias e que Olorum, Deus, permita que energia positiva seja carregada na pessoa através do ponto. Este é o momento que se deve firmar a cabeça e pedir com força para que as energias sejam movimentadas.
A pessoa receberá uma carga de energia positiva suficiente para extravasar energia negativa. Por ser um portal de passagens de energias, o ponto riscado emite energia positiva e absorve energia negativa automaticamente.

Posicionar a pessoa que está com energia baixa no ponto riscado: a troca de energias pelo portal de passagem é automático.


  • ·         Pedras, cristais, guias de contas, patuás, etc.
Mentalmente conseguimos direcionar energias positivas para objetos e com isso eles servem como meio para nos recarregar quando necessário.
Esses objetos podem ser carregados através dos guias espirituais, ou através do ritual do ponto riscado descrito acima, ou através de firmezas que fazemos aos guias espirituais, ou através do pensamento. Há outros meios de carregar os objetos positivamente, mas por ora, bastam esses.
Não podemos esquecer que estamos sempre utilizando a teoria do “transbordamento” para movimentar as energias, por isso, uma vez que utilizamos um objeto para nos recarregar estamos descarregando este objeto, pois estamos tirando a energia positiva que necessitamos dele. Assim que possível devemos recarregar positivamente o objeto.
·         Animais.
Nunca devemos utilizar animais para movimentar energias para nosso benefício pois isso é crueldade e não faz parte da Umbanda.
Não podemos esquecer que Deus é extremamente justo e bom, por isso não faria um ser para sofrer em nome de outro ser.
Por outro lado, se um animal de estimação não estiver bem ele pode ser tratado com o ritual do ponto riscado ou ser energizado através dos objetos descritos acima. Ajudar o próximo é um dever da Umbanda, não importando se o próximo é um ser humano ou um animal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário