Páginas

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Karma, Dificuldade e Compreensão



A busca do motivo da encarnação faz parte da própria encarnação e é ela algumas vezes mais necessária do que o próprio aprendizado em si. Portanto não é a todos os filhos que é dada a visão ampla de seu objetivo, de seu karma.

A luz não é dada a todos os filhos nem a noção de qual sua real função e o objetivo da encarnação. De todas as lições é sempre essa uma das mais importantes, porque não basta apenas tentar realizar o bem. Esse é obrigação mas é preciso também ir ao encontro da missão final da encarnação atual porque é dessa lição que o espírito encarnado precisa para realizar sua evolução.

Agora filhos, parem um pouco a leitura e tentem entender e pensar qual o objetivo da atual encarnação. Qual a lição, o aprendizado que é necessário se obter nessa vida para que o espírito possa evoluir e continuar sua caminhada.

E é preciso atenção. A doação a terceiros, de vida, tempo, trabalho, dinheiro, seja qualquer forma que ela se fizer não pode ser confundida com objetivo da encarnação, porque esse objetivo nunca é em favor de um terceiro, mas sempre visa à evolução do próprio espírito.

Se, dentro dessa evolução a doação, a ajuda, a distribuição se fizer presente, ela é apenas conseqüência e nunca motivo eis que como já visto a evolução é da alma encarnada e são suas e não de terceiros as provações, as dificuldades. Por isso é corrente a sabedoria que aquele que ajuda outras almas esta antes de tudo ajudando a si mesmo.

E é importante filhos entender que nenhum sacrifício poderá se fazer a favor de terceiros se não houver a evolução da própria alma. O sacrifício que somente auxilia a quem é objeto dele e não traz ao espírito qualquer continuidade em sua caminhada se traduz em karma que devera em um momento ou outro ser resgatado.


Os filhos podem se perguntar como é que o auxilio a terceiros, mesmo que seja correto e somente traga benefícios para este, se não trouxer ao filho a evolução pode se refletir em karma, aqui entendido como resgate.

A inexistência da evolução desperdiça encarnações e traz a alma à obrigação de recuperar o tempo perdido. Não bastasse isso o mais difícil ao filho encarnado é aprender aquilo que lhe é necessário. O maior sacrifício sempre será este e qualquer outro é menor e não leva ao resultado necessário.

É claro que isso não isenta de forma alguma ao filho tentar levar um pouco de compreensão e luz aqueles que sofrem, mas lembrando que qualquer atitude em tal sentido sempre será em beneficio próprio.

Encarnações são desperdiçadas sem que haja esse entendimento. Quantas mães e pais de sangue deixam de viver suas próprias vidas para, em um gesto desesperado, tentar “salvar” seus filhos de caminhos que não lhes parecem corretos. Encaminhar os filhos, na grande maioria das vezes, efetivamente faz parte da evolução daqueles que os colocaram na vida, mas ate o ponto em que isso não obste a própria evolução.

É preciso filhos parar e pensar. Karmas são recebidos, adquiridos e transferidos a próximas encarnações. O pagamento sempre será possível, mas nunca barato. O auxilio sempre deve vir a alma. Alma alguma pode ajudar porque a aceitação depende do terceiro e, em ultima instancia, o auxilio somente será realizado por esta aceitação e não pelo ato em si. O mesmo acontece com a tentativa de prejudicar. A respiração depende de cada organismo vivo, mesmo que o oxigênio seja externo. A verdade sempre é parcial. A mentira também. O correto depende do ponto de observação, o incorreto igualmente, Os pontos de observações são sempre diversos porque partem da evolução. A ajuda a terceiros é sempre mais fácil que a si próprio. O que parece mais difícil aos olhos não o é necessariamente a alma. A velhice não traz a compreensão, o sofrimento cessado sim. O sofrimento é diferente a cada alma. O sofrimento necessário não será amenizado pela ajuda, mas o desnecessário será cessado assim que houver a compreensão. Encarnações doadas são karmas não pagos no tempo correto. O tempo é infinito, mas os juros cobrados por ele também, porque o livre arbítrio esta na ação e não na reação. Almas não pagam mais que devem porque Oxalá é justo. Salvação de outros sem a da própria alma é desculpa. Salvação da própria alma pela utilização do sangue de outras também. A superação de dificuldades leva ao crescimento, a criação delas a involução. A conta somente será encerrada quando o preço pago for o correto e o valor dela depende exclusivamente de Oxalá. Não existe desconto por serem os filhos seguidores da Umbanda. A compreensão faz com que o tempo diminua e os juros também. A Umbanda traz compreensão, como toda crença que pretenda a evolução a luz. Que a Umbanda foi a cartilha escolhida pelos filhos e que a leitura dela devera se fazer sempre que não pareça ter fim o sofrimento. Mas que a cartilha deve ser lida também na tentativa de evitar o sofrimento. Que a cartilha deve ser lida sempre porque traz aos filhos a compreensão. Que a compreensão é o resgate procurado, sempre.


 Livro: Umbanda para a Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário