Páginas

quinta-feira, 30 de abril de 2015

As horas grandes e pequenas, velas e trabalhos na Umbanda


Dentro dos fundamentos da Umbanda encontramos o mistério das horas planetárias e sua ação dentro da estrutura espiritual no plano físico.
A luz solar é um elemento energizador que promove uma limpeza, uma “varredura” espiritual no plano físico, sanando nosso ambiente energético e eletromagnético, proporcionando uma maior ativação energética. Enquanto a ausência da energia solar propicia o acumulo de energias deletérias. Por isso grande parte dos trabalhos de magias negativas são realizados no período de maior escuridão.[1]
Somos frutos do meio e automaticamente somos influenciados energética e espiritualmente pelo período de exposição solar ou se assim preferirem pelo giro do planeta. E seu movimento de rotação e translação altera nosso campo energético[2]. Tanto é verdade que de dia sentimo-nos mais energizados e bem-dispostos e a noite desenergizados e sonolentos. O mesmo serve para o verão e para o inverno.
Na estrutura energética, espiritual e dimensional de nosso planeta existem algumas estruturas que podemos chamar de aberturas ou Portais dimensionais e magnéticos. Quando determinadas regiões de nosso planeta passa por alguns desses portais eles acabam por desencadear uma influência energética, magnética e espiritual sobre ela.
Podemos, para facilitar o entendimento, dividir nosso planeta em um quadrante: Norte /Alto; Sul / Baixo; Oeste /Esquerda; Leste /Direita[3].
Com isso entendido, a Umbanda fundamenta seu mistério das horas não por acaso, e estabelece um significado de maior importância a determinado horário[4], em especial as horas denominadas de grandes e pequenas.
Assim fundamenta-se na Umbanda o horário das 6h00 e das 18h00 como as horas pequenas e o horário das 12h00 e da 0h00 (meia-noite) como horas grandes[5]. Sendo o compreendido o horário das horas intermedias ou neutras das 6h00 as 18h00[6].
Assim temos o horário das 6h00 como a primeira hora pequena. Esse horário abre-se o portal de vibrações curadoras, renovadoras, transmutadora que chamaremos de Portal de luz ou Portal angelical[7], onde os primeiros raios solares se expandem por determinada região do planeta[8], realizando uma verdadeira assepsia áurica e energética sobre determinada região, reorganizando, energizando, reestruturando e recolhendo o que precisa ser recolhido, restruturado, reorganizado e energizado.
Temos as 12h00 a primeira hora grande, que é o momento em que temos uma maior exposição solar, energética e magnética, onde as vibrações crísticas e solares estão mais fortes, puras e elevadas. Esse momento também marca uma transição energética, pois é a partir daí que o sol começa a “perder” sua força sobre determinada região. A esse portal chamamos o Portal de Oxalá.
As 18 horas chega a segunda hora pequena da Umbanda, onde recebemos uma imantação especial que ajustará o ambiente para a próxima hora grande. Esse Portal é conhecido como Portal do Anjo da Guarda. Pois a partir dessa hora nossa região planetária começa a absorver ou a ter um magnetismo mais denso.[9]
Aqui vamos fazer um parentese: para algumas tradições as 21 horas abre-se um novo Portal que é o portal dos Guardiões Planetário, onde a atuação desses seres se intensificam em nossas vidas[10].
A meia-noite[11], vigiado e amparado pela falange dos Guardiões Planetário, abre-se o portal da segunda hora grande, que é um portal de misericórdia, onde seres de energias e vibrações mais densas tem acesso ao nosso planeta para que possam se despertar da hipnose sombria e acordar para o humanismo ainda existentes neles. Para que assim possam ser encaminhados e direcionados pela equipe de socorristas noturnos (Exus e Pombagiras) aos seus locais de recuperação e refazimento, sempre dentro da Lei Maior e do merecimento de cada um. Esse portal e conhecido como Portal da Morte ou Portal de Omolu.
Isso é um ensinamento espiritual antigo, resguardado, e muito usado pelos Guias de Lei de Umbanda nas suas atuações o campo físico, que muitas vezes nos recomendam a não fazermos trabalho perto da hora grande da noite, ou meia-noite.
Por isso que aconselha-se na Umbanda que os trabalhos de direita sejam feitos entre as 6h00 e 18h00 ou enquanto houver sol; assim como os trabalhos de esquerda sejam feitos a partir do por do sol ou depois das 21h00, evitando o horário da meia-noite. Mas nada impede que, caso haja uma necessidade de realizarmos um trabalho fora desses horários. Apenas entendemos que nesses horários os trabalhos religiosos podem ser potencializados.
Saravá fraterno
Heldney Cals

Nenhum comentário:

Postar um comentário