Páginas

segunda-feira, 9 de março de 2015

As Entidades e a Provações


As entidades auxiliam exatamente nesse escutar da alma, nessa busca da serenidade necessária para enfrentamento dos problemas. Podem dela remove-los se assim autorizadas, mas tão somente se o filho já efetivamente aprendeu a lição.

Podem fazer com que a paga seja amenizada, mas somente quando o filho tiver aprendido o necessário para poder continuar.

Portanto não peçam filhos às entidades que tirem de seus caminhos todos os problemas, porque isso elas não poderão fazer. São os problemas necessários ao aprendizado. Fundamentais ao conhecimento e a continuidade. Mas eles somente se apresentam quando precisam ensinar e nunca inutilmente.

E neste consiste o maior auxilio das entidades: em abrir aos filhos os caminhos, mostrando o que precisa ser aprendido e o que não mais é necessário de ser carregado por toda a eternidade.

Às entidades os filhos devem sempre perguntar o motivo pelo qual os problemas se apresentam e tentar entende-los. A partir desse entendimento mais fácil se tornará a resolução das dificuldades.

As entidades também realizam a proteção quando as dificuldades são apresentadas por energias e espíritos que não tem nada a acrescentar, mas tão somente a atrapalhar os caminhos. Então também elas irão afastar esses espíritos de não luz da vida do filho para que novamente possa ele continuar a sua trajetória.

De mesmo modo como já anteriormente dito as entidades podem mostrar quais os caminhos corretos avisando os filhos dos desvios, perigos e buracos no meio da jornada. E podem trazer ao filho também o entendimento antes que necessário se faça apresentar os problemas.

Também ao acender uma vela, ao entregar um trabalho, ao pedir a proteção de uma entidade o filho pode esperar que ocorra principalmente uma imantação de energias positivas que serão trazidas e levarão uma bela quantidade de paz e abertura de caminhos.

É por isso filhos que as entidades falam tanto em abertura de caminhos. A compreensão traz a vida do filho essa abertura de caminhos. Ao mostrar os perigos, também são apontadas novas opções, se abrindo trilhas. E ao retirar de perto do filho espíritos sem luz, também se desatravancam as opções e então novamente aqui são abertos os caminhos.

Peça filho, que tenha seus caminhos abertos. Peça filho que seus caminhos possam ser abertos pelas entidades protetoras, para que essa névoa de raiva e ódio, essa nevoa de desespero possa se desfazer de seus olhos e o caminho possa ser encontrado. Mas lembre-se sempre que o caminho terá que ser trilhado pelo próprio filho e entidade nenhuma poderá trilá-lo.

* - Livro: Umbanda para a Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário