Páginas

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

O mal, nosso vizinho

O mal não pode ser ignorado, ele vive sempre a nos rondar, observar e esperar pacientemente a oportunidade para se instalar como um parasita que necessita e ao mesmo tempo definha sua vitima.

Sorrateiramente ele se transveste em resoluções simples, em caminhos menos penosos, em atitudes extremadas e sem que muitos notem, passam a conviver com ele despreocupadamente, passam a obedecê-lo e salientá-lo com um direito adquirido ou qualquer outra conveniência necessária para que não nos sintamos mal diante do espelho.

Esse vizinho incômodo está sempre lá esperando para ser convidado a entrar nos nossos corações, a fazer parte de nossas vidas a flertar com nossas emoções. Basta ser chamado, lembrado ou solicitado que sempre estará em prontidão dizendo: Sim, resolva da forma mais simples possível. Sim, você tem direitos mais que qualquer pessoa. Sim, você merece ser feliz não importa como.

Então quando você está com a guarda baixa e esquece que existe o Bem e esse Bem é a manifestação absoluta de Deus, as coisas não acontecem como deveriam, mas cabe a você estar sempre alerta:

– Quando está com problemas em casa, não fique com o coração duro, pronto para o conflito. Seja o primeiro a dar um sorriso, pedir desculpas e iniciar um verdadeiro diálogo.

– Quando está no trânsito seja como pedestre ou o motorista, respeite o outro e seja cortes e mesmo na falta de respeito alheio indigne-se sim, mas não crie raiva nem revanchismo.

– Quando está no trabalho trate a todos, inclusive aqueles que atrapalham sua carreira, com dignidade, honestidade e respeito. Não seja o primeiro a culpar, nem o ultimo a elogiar.

– Quando chegar a sua casa deixe seus problemas do lado de fora, a grande maioria dos pequeninos filhos não tem idéia do que é ter grandes problemas, alias o único problema deles neste exato momento foi resolvido: A pessoa que eles amam e querem atenção acabou de chegar.

– Não se esquive de ter opiniões que possam muitas vezes desagradar às outras, se esta opinião for necessária para que seus princípios morais sejam confirmados. Esconder-se no silencio apenas para não criar conflito é o mesmo que aceitar e compartilhar um péssimo sentimento.

– Quando todos os pensamentos convergem para que saia da sintonia de Deus compreenda que é nesta hora, mas do que nunca, que você tem que se lembrar dele.

Trate o mal como um vizinho chato e antipático: Você sabe que ele existe, e faz de tudo para viver o mais longe dele possível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário