Páginas

Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Pai Xangô: a Justiça de um Rei

Entre os povos Nagôs de língua yorubá, o Orixá Xangô era cultuado como Digno e muito Amado Ancestral: foi o quarto alafim (rei) daquela Nação; e muito respeitado, por seu elevado senso de justiça e nobreza de alma. Para louvá-LO, os Nagôs diziam: “Kawó Kabiyèsílé!”, expressão que significa “Venham ver o Rei descer sobre a Terra” (entre nós, “aportuguesada” para Kaô Kabecile).
Na Umbanda, Pai Xangô é o Trono Masculino da Justiça Divina: é o Orixá e Senhor da Justiça.
Sua Voz Poderosa ecoa sobre a Terra no ronco do Trovãopara acordar a humanidade para a vivência da Realeza do Espíritopelo compromisso com a retidão e a honra, para que a Justiça de Deus seja distribuída a todos e realize o progresso social e cultural que tanto almejamos.
A Faísca do Raio transporta a Força Soberana do Fogo Sagrado que emana do Seu Divino Trono:uma centelha que incendeia os corações humanos, equilibrando razão e emoção e purificando os pensamentos e sentimentos; enobrecendo os homens e tornando-os, verdadeiramente, filhos de Deus em ação.
O Seu duplo Machado de Pedra carrega o Poder Equilibrador do Pai-Mãe da Criação: uma lâmina para cortar os excessos e desequilíbrios dos nossos pensamentos, emoções, sentimentos, palavras e obras; e a outra, com a bênção da Justiça que renova, organiza e eleva o nosso íntimo e a nossa vontade e iniciativa de agir no propósito do Bem individual e coletivo.
Suas Montanhas, Pedras e Pedreiras simbolizam a Estabilidade Inatacável das coisas construídas por ações conscientes, perseverantes, ponderadas e justas: alguns sinônimos das muitas Qualidades da Justiça Divina (a cujos Olhos nada escapa), que retribui, na mesma medida, tudo o que fazemos na Terra e nos céus da Terra (na carne e fora da carne), em pensamentos, palavras e obras.
Realeza, nobreza, ideais elevados, estabilidade, segurança, respeito, compaixão, fraternidade, bondade, amizade e caridade: eis alguns dos muitos Sublimes predicados que a Atuação do Divino Pai Xangô nos inspiraAtuação que também reflete o Brilho do mais Puro Amor: o Amor Divino, capaz de promover a Justiça e a Paz, a fim de que haja uma convivência harmoniosa entre os homens, e destes para com toda a Criação.
“Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”: foi a recomendação que, há mais de dois mil anos, nos foi deixada por Jesus, o Mestre da Fé e do Amor. Palavras nas quais está implícito um convite e um alerta: precisamos viver na Justiça Divina e para a Justiça Divinapois somente alimentando um sentimento vivo de Justiça é que seremos capazes de nos orientar (nos pensamentos, palavras e ações) pela compreensão de que, acima de tudo, Está o Criador; que todos nós existimos Nele; e que existimos sendo todos iguais perante Ele, todos merecedores da mesma medida de Justiça e de progresso espiritual e material.
Nelas está implícito, também, que devemos honrar o Sagrado Trono da Justiça e, por isso, obedecer aos comandos do Divino Pai Xangô, a quem humildemente queremos louvar:

Kaô Xangô! Salve o muito Amado Alafim de Oyó!
Saravá Xangô! Salve o Divino Senhor da Justiça!
De nós tem pena, Senhor; de nós tem dó: abençoa-nos para um caminho de Amor!...
Abençoa-nos, porque precisamos aprender que nesta vida só existe uma medida que a todos mede e pesa: a medida da Tua Justiça, que é instrumento Divino de Equilíbrio e Construção, na estrada Redentora do Amor e do Perdão.
Pois somente o Amor, que fundamenta a Tua Justiça, nos permitirá sublimar e equilibrar razão e emoção para, então, enxergar a Verdade que vem do Pai-Mãe da Criação, a iluminar os corações e a indicar o Caminho Justo àqueles que justos se conduzem ao encontro da Luz, na busca da Evolução.
Salve, ó Pai de Bondade, Retidão e Justiça! Salve o Teu Reino de Paz! Venha a nós a
Tua Vontade; e que Ela Se realize em nós!
Faça de nós filhos justos, ponderados e conscientes; e instrumentos do Bem, nas Mãos do Onipotente.
Incendeia o nosso peito com a Faísca Sagrada do Fogo da Tua Justiça, mil vezes Abençoada!
Purifica os pensamentos, emoções e sentimentos que ainda carregarmos de forma injusta e pesada; e livra-nos do mal da razão desequilibrada.
Firma em nosso íntimo a vontade inquebrantável de agir como filhos Teus: com honra e ideais elevados, na construção do Bem ao qual, por Deus, fomos destinados.
Marca a nossa fronte com o Sinal Luminoso do Teu Machado Poderoso, que simboliza a Vitória da Vontade Perfeita de Deus sobre a tibieza dos incrédulos: para que sejamos firmes e fortes, em nosso espírito, corpo e mente, e nunca nos afastarmos da Tua Bendita Proteção.
Ajuda-nos, Senhor, a encontrar o Caminho do Meio: o do Equilíbrio, que eleva e redime; e que nos permita servir, com devoção e certeza, à Tua Justiça Maior.
Auxilia-nos também a praticar e a buscar só o Bem: para que o Bem nos encontre e, Nele, nos encontremos Contigo, agora e sempre, ó Divino Paizinho e Amigo, ó Divina Fortaleza!
E que assim seja: amém!...
Bênçãos, Divino Pai Xangô!


Humildemente, juntamos a nossa voz à dos nossos ancestrais Nagôs, para dizer: “Kawó Kabiyèsílé!”; assim convidando todos os filhos da Umbanda para que “Venham ver o Rei descendo sobre a Terra” e, então, possam se rejubilar com o Esplendor da Tua Justiça: a Justiça de um Rei...

Nenhum comentário:

Postar um comentário