Páginas

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Sua casa espelha a ordem ou a desordem da sua mente


Sua casa espelha a ordem ou a desordem da sua mente.
 Conheço uma mulher que mora numa grande casa onde quase tudo precisa de algum tipo de conserto. Ela, realmente, vive com pouca renda e tem um filho para criar, mas é uma mulher desembaraçada e capaz, que podería consertar as coisas, se quisesse. A falta de cuidado e de respeito que ela tem pela casa reflete a falta de cuidado e de respeito que tem por si mesma. Quando você cuida de sua casa zelando por ela, você também está amando e respeitando a si mesmo.

Meu conselho? Conserve o melhor e jogue fora o restante! Conserve aquilo que você realmente ama, que tem uma liga­ção maravilhosa e afetuosa com você. Descarte o que mantém por sentimento de culpa ou por obrigação, sobre o que tenha algum ou muitos sentimentos ambivalentes.

Uma mulher com quem me encontrei tinha gavetas e gave­tas cheias de cartões de Natal e de aniversário que lhe foram enviados, os quais, ela me assegurou, tinham tal valor senti­mental que ela jamais poderia se separar deles.

 Porém, quando nos sentamos e os examinamos juntas, ela foi ficando cada vez mais triste, lamentando-se pela felicidade de tempos idos. To­mar a decisão de se desfazer deles e começar a construir uma vida social em bases revigoradas marcou o início de sua trans­formação da pessoa solitária em que se tomara na pessoa so­cialmente importante que ela desejava ser.

Se você tem enormes quantidades de arquivos sentimentais, inclui lembranças de casamen­to, cartões de Natal e de aniversário de anos passados, cartões postais de feriados enviados por amigos;

 diários pessoais a res­peito das miudezas do ano, as obras-primas em lápis de cor dos filhos pintadas há vinte anos, e assim por diante - se inclui laços dolorosos com o passado é improvável que um primeiro passo seja suficiente.

Você, provavelmente, vai precisar aprimorar esse processo ainda mais, repassando-os numa data posterior. Será um processo constan­te, recorrente, que no início poderá parecer difícil, mas fica mais fácil cada vez que o realiza. 


 Quanto mais velho você fica, mais você tem. Você raramente olha para qual­quer uma dessas coisas, mas se contenta em saber que elas estão lá.

Você tem gavetas ou álbuns abarrotados de fotos? Desfrute de suas fotos enquanto ainda são atuais. Faça montagens coloridas, coloque-as na parede, coloque-as na sua carteira, cole-as em seus livros de anotações, faça cartões postais e mande-os para seus amigos.

Realmente, tire o máximo delas enquanto a energia das fotos ainda está fresca e recente. Não conserve fotos que lembrem a você tempos difíceis do passado. Conserve apenas aquelas que o fazem sentir-se bem e se desfaça do resto. Desim­peça o espaço para que algo novo e melhor entre na sua vida.

Se você trabalha em casa ou tem uma escrivaninha que usa em casa, esta seção é para você. O primeiro passo consiste em fazer uma soma simples: calcule a área percentual desocupada da escri­vaninha que você pode realmente ver. Não trapaceie, arruman­do a escrivaninha antes de fazer isso. Apenas deixe-a exata­mente como está para ter uma avaliação honesta da situação.

Ora, vejo centenas de escrivaninhas por ano no meu traba­lho de consultoria, tanto em locais de trabalho como em casas particulares, e uma coisa que, em sua maioria, elas têm em comum é que praticamente não existe nelas espaço onde uma pessoa possa trabalhar!

 Usualmente, há uma área do tamanho de uma folha de papel que foi deixada livre enquanto tudo o mais está ocupado, seja com equipamentos ou com pilhas de papel à espera de atenção. 

Ponha em ordem a sua escrivaninha! Há um livro maravi­lhoso escrito por Declan Tracy exatamente com esse título, e nele o autor descreve as escrivaninhas e as práticas comerciais de alguns dos principais nomes do mundo no setor empresa­rial, todos os quais mantêm sua papelada no mínimo possível.

 Uma escrivaninha em ordem significa uma mente em ordem, e uma mente em ordem item visão e perspectiva. Se você está atolado na sua papelada, é exatamente aí que você permanecerá.

Trabalhar numa escrivaninha limpa aumenta a produtivi­dade, a criatividade e a satisfação no emprego. Um hábito ex­celente para se adquirir é o de sempre deixar a escrivaninha arrumada todas as vezes que acabar de trabalhar.

 E psicologi­camente muito mais enaltecedor começar o trabalho com uma escrivaninha limpa do que com uma escrivaninha cheia de papéis, que o fará sentir-se derrotado antes mesmo de começar.

Portanto, comece agora removendo de sua escrivaninha absolutamente toda a papelada que está requisitando a sua aten­ção e todos os objetos que não são absolutamente vitais.

Estou falando aqui de coisas realmente essenciais, como um compu­tador, um telefone, uma caneta, um bloco de anotações.

Man­tenha outros equipamentos suplementares, tais como grampea­dores, furadores, clipes para papel, bichinhos de pelúcia, sa­quinhos de coisas mastigáveis, e assim por diante, numa prate­leira vizinha ou numa gaveta da escrivaninha.

Limpe o disquete!
A desordem eletrônica é um problema tão grande quanto a variedade mais palpável de bagunça. Em vez de esperar até que o seu disquete esteja cheio para começar a podar progra­mas e documentos de que não necessite mais, uma melhor maneira é fazer um pouco disso a cada dia à medida que traba­lha.

Repasse os seus arquivos e delete arquivos antigos que estão entulhando o seu disquete ou copie-os num sistema orde­nado de disquetes. Se necessário, reorganize o seu sistema de arquivos dentro do seu computador.

O Controle da papelada
Eis algumas sugestões para ajudá-lo na sua arrumação:
• Adquira o hábito de descartar impiedosamente (ou de reci­clar) tanta papelada supérflua quanto possível o mais frequentemente que puder.
                
•  Nunca anote mensagens para si mesmo em pedaços soltos de papel. Mantenha-as todas em um livro e, periodicamente, transfira informações importantes para o seu sistema de ar­quivos ou para o computador.

• Use o seu quadro de avisos somente para assuntos que estão em vigor. Se quiser se lembrar de fazer algo, escreva o lem­brete no seu diário ou num calendário. Os pós-escritos de­sarrumam a sua mente e aumentam a probabilidade de você esquecer de fazer as coisas! Montes de anotações e de lem­bretes dissipam a sua energia.

•  Atualize a sua papelada financeira e a mantenha atualizada. E muito mais provável você criar prosperidade na sua vida se se tomar mais consciente a respeito de como lidar com isso.

• Adote um sistema para pagar suas contas dentro do prazo, arquive as coisas onde você possa encontrá-las e apre­cie o fato de que cada conta que você recebe significa que você ainda é digno de crédito!

• Quando você aprende a pagar o que deve com tanta alegria quanta a que sente quando recebe o que lhe é devido, você descobre como desfrutar desse jogo do dinheiro que nós, seres humanos, criamos para nós mesmos, em vez de ficar estressado por causa dele.

• Quando receber uma carta, escreva sua resposta na parte de baixo ou na margem, e envie-a de volta. Dessa maneira, o papel não fica desarrumando o seu escritório, e você poupa para si mesmo o tempo e o dispêndio de digitar uma resposta ou, tendo-a digitado; envie-a imediatamente, em vez de esperar uma semana para fazer isso; além disso, a pessoa saberá que recebeu a sua atenção pessoal imediata 

Nenhum comentário:

Postar um comentário