Páginas

Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Desisiti!!! Mas, do quê realmente você desistiu?




A vida nos coloca diante de situações, provações que exigem de nós tomadas de decisões importantes. Porém, nem sempre enfrentamos o que nos é colocado, muitas vezes escolhemos desistir.

            Quando desistimos de alguma coisa na verdade precisamos olhar com mais atenção o porquê dessa decisão. Por vezes, não estamos desistindo, estamos fugindo de algo, escolhendo o caminho mais fácil e cômodo para permanecermos onde estamos.

            Desistimos de sonhos não por causa deles, mas por causa do que é preciso fazer para alcançar eles. Desistimos da nossa realização pessoal por conta do que precisamos enfrentar e normalmente o que necessitamos é olhar de frente a nós mesmos. Tarefa fácil? Nem sempre...

            Por trás de uma decisão há nossos aprendizados ocultos e eles podem facilitar ou nos pedir maior empenho. Quando precisamos nos empenhar nem sempre há vontade, o querer da nossa parte para superar nossas emoções negativas, nossos pensamentos inferiores, o que dirá mudar nossas atitudes.  É nesse momento que vemos que a pessoa está desistindo de si mesma, da sua missão que é evoluir. Evoluir significa resolver, curar, amenizar tudo aquilo que nos atrapalha na vida: raiva, mágoa, orgulho, preguiça, falta de fé, tristeza...

            Portanto, quando você desiste, você desiste do que mesmo? Melhor, você desiste de quem na verdade? Qual o real motivo de não enfrentar tal situação? O que há oculto, por trás da sua escolha? Que sentimentos você decidiu não curar com essa atitude? Que crenças limitantes você decidiu não rever optando em manter a sua vida como está? Seja honesto e olhe com profundidade o porquê da desistência de algo...

            É preciso ter coragem para olhar para dentro de si mesmo e ver do que realmente estamos fugindo. É preciso humildade para reconhecer quando temos medo da mudança. É preciso amor para confiar, se entregar e ir em frente, em um caminho diferente do qual estamos acostumados.

            Somos livres para escolher aprender pelo amor e não conseguimos agir, na maioria das vezes, como tal devido as nossas escolhas que mais nos afastam do que aproximam dos nossos aprendizados. A fuga, a desistência deliberada do que sabemos que precisamos realizar-nos amarra, nos engessa, nos impede de seguir em frente enquanto não fizermos o que precisamos fazer. É como se fosse um pré requisito para alcançar o próximo degrau da escadaria. Não há como pular degraus... Todos eles são necessários e nos alavancam para o próximo assunto a ser resolvido.

            Se autoconhecer é uma necessidade que deveria ser considerada tão importante quanto se alimentar, dormir, beber água... Afinal, como é possível identificar o que realmente nos motiva a tomar esta ou aquela decisão se não nos conhecemos? Como poderemos ser felizes escolhendo fingir não ver o que precisamos melhorar como pessoas?
           
            Desistir não é a solução, na verdade só dispara para o universo um pedido para trazer mais deste aprendizado para a pessoa e para mais perto dela. Quanto mais perto está o que precisamos resolver, mais decidimos anteriormente não enfrentar, camuflar, desistir... Não adianta fingir, quando é nosso aprendizado, você pode escolher não querer olhar para ele com carinho agora, porém, mais cedo ou mais tarde ele se fará novamente presente em sua vida, afinal, o que você precisa melhorar está dentro e vai junto com você por onde você for.

            Por fim, repense se você está desistindo de algo... Se questione do que realmente você está abrindo mão... Respire fundo, acredite em você, tenha fé, aja seguindo o fluxo e não contra ele. Supere seus obstáculos, seus desafios, seus fantasmas interiores e alcança o pote de ouro ao final do arco Iris, ou seja, a plenitude, a alegria, a gratidão, a prosperidade, o amor...



POR:  Aline Elisângela Schulz  -  Terapeuta Holística

quinta-feira, 30 de maio de 2013

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Pequenas sugestões para melhorar nossos atendimentos mediúnicos


   Ter a oportunidade de conversar com uma entidade incorporada em um médium comprometido com a espiritualidade é um privilégio para o consulente, para o médium e até mesmo para o próprio guia. Independentemente da condição em que nos encontramos todos, sem exceção, estamos em evolução e o que diferencia a evolução de cada um são nossos pensamentos, sentimentos, palavras e ações, enfim, as atitudes e posturas do nosso cotidiano. Quando vamos ao terreiro sempre vamos em busca de algo e muitas vezes esquecemos que esse algo não vai vir de fora, não vai cair do céu. Com certeza vai depender do nosso merecimento e do nosso trabalho. Outra coisa comum de se esquecer é que nenhuma situação se forma da noite para o dia. São longos períodos sem ação e sem reflexão que exigem persistência e equilíbrio para superação das condições adversas. Dificilmente uma situação que demorou muito tempo para se formar se resolverá numa única consulta mediúnica.

   Dependendo da ótica que você lê esse texto pode ficar a impressão de passividade e de que sempre estamos errados. Que temos que ter paciência, que temos que ser resignados. Sim, temos que trabalhar tudo isso, mas se você, assim como eu, prefere ter uma atitude mais participativa, mais ativa, podemos pensar em algumas ideias para melhorar nossos atendimentos com os guias espirituais. Algumas sugestões:

1) Organize seus pensamentos – Antes mesmo de chegar ao terreiro vá pensando nas suas prioridades. Durante a abertura dos trabalhos concentre-se e reflita (obviamente em silêncio) sobre o que você almeja e o que realmente você foi fazer lá. Na frente do guia sabemos que muitas vezes dá o “branco” e nem sabemos direito o que falar, mas se já é  difícil pra gente imagina para o guia entender o que passa dentro da nossa cabeça tendo ainda o médium como intermediário. Não duvido da capacidade da entidade, porém se podemos facilitar pra quê complicar? Uma boa consulta não é aquela que demora horas e sim aquela que é objetiva.

2) Carregue somente sua cruz – Estamos sempre pensando nos outros, nos nossos familiares, amigos ou mesmo inimigos. Concentre-se em você. Não, isso não é egoísmo, é um caminho para solução dos problemas, primeiro porque você não interfere no livre arbítrio de terceiros e segundo porque é você quem está lá e não os outros. Sei que pode parecer cruel “deixar de pensar nas pessoas” mas não dá para tirar os outros do buraco se você ainda estiver dentro dele. O máximo que vai acontecer é os outros subirem sobre você para tentarem sair do buraco. De forma prática, acenda somente suas velas, prepare somente seus banhos, faça somente suas orações e trabalhe seu íntimo. Nem precisa dizer que trocar informações sobre sua consulta com o próximo é tão idiota quanto usar a receita médica de outro paciente para curar a sua doença. Não sejamos hipócritas, se um quinto das pessoas realmente pensasse e agisse em prol do próximo nossa a sociedade seria outra.

3) Vista-se adequadamente – Grande parte da população normal usa trajes de acordo com a situação ou ocasião. No matrimônio utilizam-se roupas de casamento, para nadar utilizam-se trajes de banho e é assim para o trabalho, para dormir, para passear no parque ou praticar esportes. Seguindo o mesmo raciocínio seria natural ir ao templo religioso com roupas adequadas para isso, ou seja, claras e sem decotes. Sim, vivemos num país predominantemente tropical e o calor beira ao absurdo, mas nada impede você de levar uma camiseta branca na sua bolsa ou mala e vesti-la instantes antes do atendimento. Não fique preocupado se essa camiseta extra combina com o restante de seu traje, o atendimento é para o espírito e não para a etiqueta da vestimenta. Terreiro não é passarela ou lugar de “azaração”.

4) Não seja curioso – Durante o atendimento procure prestar o máximo de atenção no que está sendo dito para você. Não tente escutar conversas de outras consultas e nem fique olhando para o que acontece do lado, mesmo que seja um descarrego daqueles “bem barulhentos”. Quanto mais atenção você prestar no guia que está falando com você mais rápida e eficiente será sua consulta, você terá menos dúvidas e, de quebra, você não leva pra casa carga dos outros consulentes devido ao merecimento por ser xereta.

5) Não fique de sacanagem – se você não puder fazer os banhos, defumações, oferendas e tudo mais, diga logo ao guia. Ele não vai te bater e nem ficar ofendido. Juntos vocês vão buscar outras alternativas viáveis. Agora se você se comprometeu a fazer o que lhe foi proposto então FAÇA e FAÇA DIREITO. Tudo que lhe é passado para fazer em um atendimento tem um propósito, um objetivo e muito provavelmente tem prazo de validade. Não dá para fazer neste carnaval o que foi pedido na Páscoa do ano passado. Ah, e tem outra… não fazer e falar que fez é tão infantil quanto dizer que estudou pra prova e na hora H ganhar aquele zero. Mais cedo ou mais tarde a verdade aparece e quem sofre as maiores consequências é você e as pessoas que gostam realmente de você.

6) Vibre sempre energias positivas – O número da sua ficha de atendimento é 80 e ainda estão chamando o número 10? Parabéns! Isso significa que você terá mais tempo para refletir e pensar em como melhorar sua vida rezando num templo religioso! Reclamar, ficar levantando para fazer nada, cochichar e falar sobre futilidades é um grande favor que você faz ao baixo astral. Sim, toda energia trabalhada tem que fluir para algum lugar e graças à lei da afinidade você pode entrar no terreiro com um probleminha e sair com 80 novos problemões. Seja esperto, vibre sempre energias positivas, em silêncio e no seu quadrado.

7) Sua consulta terminou? Vá embora – Encontros sociais, conversas com parentes, discussões sobre política, religião e futebol ou mesmo matar saudade de conhecidos são coisas para serem feitas em lugares mais apropriados como uma lanchonete, um churrasco de domingo ou mesmo lá na padaria ou no café do supermercado 24 horas. O baixo astral é persistente e age sempre na sutileza, portanto, quanto menos brechas você der melhor será pra você e para os guias que se esforçaram bastante para buscar soluções no seu atendimento. Faça por merecer!

Procure saber mais a respeito – Há quanto tempo você é assistido num terreiro? Muito? Parabéns de novo! Ou você está com medo de responsabilidade ou então está acomodado demais esperando os “banhos da semana”. Procure cursos, participe dos grupos de estudos, leia um bom livro, vá estudar! Entendendo mais sobre o assunto aumentam as chances de você fazer mais e melhor. Os problemas não vão acabar mas quanto mais desafios você superar nesta vida mais pleno ficará seu espírito e maior será sua contribuição para a evolução dos seres.

9) Contribua materialmente com seu terreiro – Todo terreiro usa velas, pembas, ervas e artigos de charutaria. Todo estabelecimento consome água e utiliza energia elétrica. Todo local com muita gente precisa ser limpo também na matéria e para isso são utilizados vassouras, panos e produtos de limpeza. O trabalho espiritual acontece num local físico que precisa ser mantido em ordem para a boa continuidade dos trabalhos. Converse com os responsáveis pelo seu terreiro e veja como você pode contribuir mesmo que esporadicamente. Ao ver uma caixa de doações não finja que não viu. Não importa o valor e sim sua boa vontade e compreensão de que o trabalho espiritual é grandioso e deve alcançar seu irmão, o seu próximo.

10) Não visite – Se você está procurando um terreiro por curiosidade, pra ver como é ou pra ver “se é bom”, por favor, não perca seu tempo. O trabalho espiritual é voltado para quem realmente precisa, tem fé, acredita, trabalha, tem paciência e a compreensão de que tudo que acontece na vida é por puro merecimento. Quer resultados rápidos, amarrações e garantias? Procure por telefones nos postes da sua cidade, com certeza tem alguém vendendo o que você procura … só não vá falar que isso é Umbanda ou trabalho religioso porque respeito é o mínimo que um ser humano deve ter.

11) Confie em você mesmo e tenha fé – ninguém é obrigado a ficar em um terreiro onde não se sinta bem, mas ficar indo em vários terreiros ao mesmo tempo é igual a iniciar o tratamento de uma doença em diversos médicos simultaneamente: além de gastar tempo e dinheiro seu corpo sofre com medicamentos diferentes. Terreiro não é hotel cuja classificação se faz por estrelas. É preciso ter fé, acreditar, ser racional e paciente, portanto confie na sua escolha, analise e seja crítico consigo mesmo para não perder o seu tempo, o tempo dos médiuns e o tempo dos guias. Ir em 7 terreiros diferentes na mesma semana significa que você, no mínimo, ocupou o lugar de outros 6 irmãos que precisam de consulta. Não seja egoísta.

 Precisamos sair da passividade e assumir uma postura mais centrada e inteligente para fazer da nossa Umbanda uma religião de respeito. Clareza e verdade é bom pra todo mundo e disciplina, ao contrário do que muita gente pensa, não é escravidão, é liberdade!
Axé Irmãos! 

terça-feira, 28 de maio de 2013

O valor da Prece

Estudos científicos documentam os benefícios curativos da prece.
Alguns estudos descobriram que uma pessoa que reze pela sua saúde, ou alguém que reze pedindo por ela, tem mais probabilidades de sobreviver a uma doença grave, precisa de menos medicamentos para as dores e cura-se mais rapidamente. Qualquer prece, de qualquer religião, tem um efeito significativo  até certo ponto positivo para a saúde.



Cientistas consideram meros pensamentos positivos como a causa, enquanto estudos sobre preces foram levados a cabo sobre crianças, plantas e animais que não sabem que estão a ser alvo de uma prece.

ALGUNS EXEMPLOS


Um estudo realizado em 2001, no Departamento de Ginecologia e Obstetrícia do New York’s Prebyterian Hospital, descobriu que as mulheres que estavam a ser tratadas com transferências de embriões de fertilização in vitro tinham mais possibilidade de engravidar se houvesse quem rezasse por elas. O estudo foi feito sob anonimato. Médicos, mulheres e investigadores desconheciam por completo quem estava a ser alvo de preces.



Outro estudo realizado em 1988 no San Francisco General Hospital, revelou que 192 doentes coronários, que tinham sido alvo de preces, passados alguns meses tinham menos incidentes relacionados com falhas cardíacas e exigiam menos medicação do que os 201 doentes por quem não se rezou.

Um outro estudo, revelou uma redução significativa dos sintomas de artrite reumatóide em doentes por quem se rezou, quando comparados com outros que não foram alvos de qualquer prece.

Ainda sobre as preces é interessante verificar que quando se forma uma corrente entre familiares e amigos ou a quem se pediu para formar uma corrente de oração, a cura ocorre mais rapidamente, mesmo em casos muito graves.
Tenho experiência de vários casos destes e por isso sempre que sei que posso ajudar com uma prece, só ou juntando-me a um grupo de pessoas para fazermos uma corrente de oração para determinada pessoa que se encontra enferma, não hesito.

CURAS INESPERADAS

Quando rezamos por alguma coisa, o melhor é não dizer como queremos que as nossas preces sejam atendidas. Ao pedirmos para que seja feita desta ou daquela maneira estamos a criar uma limitação e não deixamos que a sabedoria divina actue da forma que achar mais benéfica. 

Orando com intenções claras, como no artigo anterior referi, ficamos muitas vezes surpreendidos com as curas a que assistimos.
Sempre que faço uma prece acrescento no fim da oração: que seja feita a vontade Divina e que seja cumprido o Plano Divino da pessoa por quem faço a prece.
Dou assim liberdade aos seres Divinos para fazerem o que tem de ser feito.
Um anjo muitas vezes manifesta-se através da luz e por isso acredito que a luz será também uma ajuda preciosa que se pode juntar à prece.

A prece e a luz, em união e perfeita liberdade podem ajudar na cura de doenças graves e também doenças crónicas.

A fé com que proferimos as nossas orações e afirmações dia após dia, semana após semana ajudam a alcançar a cura.
Muitas vezes pensamos que se a nossa prece não é ouvida nos primeiros dias é porque nunca será ouvida e por isso deixamos de orar.
Se pensarmos um pouco podemos concluir que um doente grave tem de ir recuperando dia após dia e só ao fim de algum tempo se vão verificar as melhoras.
Tudo depende do número de pessoas que estão a orar, a sua fé (acreditar que é possível a cura), a sua intenção e a liberdade que dão aos seres divinos.
Por isso é importante seguir a orientação divina.
Não basta simplesmente rezar e esperar pelos resultados.
Em resultado das preces são-nos dadas instruções interiores, sob a forma de pensamentos repetitivos, sentimentos, palavras secretas ou mesmo visões.
Quando estamos atentos a isso e seguimos certos sinais estamos a juntar as nossas preces à acção dos anjos e assim a tornar possível uma cura mais rápida.
Precisamos acreditar que nunca estamos sós nesta nossa passagem pela Terra e que as mensagens chegam até nós por diversas formas.
Podem ser por visões, em sonhos, por pensamentos, por palavras proferidas por pessoas que estão a conversar connosco ou por alguma frase que se lê num livro, num jornal ou revista.
Em todo o lado está uma mensagem e quando estamos preparados vamos conseguir perceber isso.
Estar em contacto diário com os anjos é permitir que eles nos ajudem em todos os momentos da nossa vida.

PRECES ATENDIDAS

Porque motivo determinadas preces são atendidas, enquanto outras parecem não ter resposta?

A razão está para lá da compreensão humana, mas talvez tenha a ver com o seguinte:


- rezar para que alguém sobreviva quando a sua alma escolheu partir;
- não valorizar, não confiar nem seguir a orientação divina que surgem como resposta às nossas preces;
- não valorizar o facto de uma prece ser atendida, porque a resposta surge de uma forma
 diferente da que esperávamos;


- acreditar que só pessoas “especiais” (não nos devemos esquecer que todos somos especiais…uns têm essa consciência e outros não) ou “escolhidas” vêm as suas preces atendidas.



Depois  do que aqui foi dito não nos podemos esquecer que, mesmo que não pareça, as nossas preces são sempre atendidas. E não devemos ter medo de pedir ajuda celeste com frequência.
Ao pedirmos aos seres divinos com insistência pela sua ajuda não estamos a incomodar, estamos sim a permitir que a sua ajuda chegue até nós e acreditem que ELES se sentem felizes.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Vai ficar aí esperando um salvador?


Temos um problema instalado no DNA humano: a idéia do salvador.

O QUE ISSO SIGNIFICA?

            Que temos a crença de que somos vítimas, afinal, quem é que precisa se um salvador? Uma pessoa indefesa, não é mesmo?

            Quem precisa de um salvador é alguém que está em apuros... É alguém dependente... É alguém que não dá conta das coisas...

            Você pode até achar que estou forçando a barra e que isso não é verdade, mas continue comigo.

            Conscientemente você até pode achar que não tem a necessidade de um salvador, não precisa que ninguém conquiste uma vida melhor por você, bem como não culpa ninguém por seus problemas, mas na prática tudo é diferente.

            Primeiro porque a nossa alma reserva segredos que não estão manifestados na mente consciente, ou seja, as nossas maiores crenças negativas são inconscientes. Em outras palavras, são as nossas carências inconscientes que promovem esse jeito de pensar.

            Segundo porque somos seres de pouca fé e nos esquecemos de que temos a capacidade de criar a nossa realidade com base no que pensamento e sentimos. A lei da atração magnética nos diz que manifestamos em nossa vida essência dos nossos pensamentos e sentimentos. Para concluir, podemos afirmar que se você tem essa postura perante a vida, por consequência da lei da atração, irá sempre atrair situações difíceis em que realmente você precisará de um salvador. O problema é que isso é um condicionamento mental.

ATITUDES QUE DIMINUEM A SUA FORÇA

            Você coloca muita esperança na eleição do próximo vereador, prefeito, governador, deputado ou presidente da república?

            Você acha que a culpa dos problemas financeiros da sua vida é por conta dos altos impostos, pelas altas taxas e pelo seu alto custo de vida?

            Você acha que ainda não ficou rico porque o mercado está em um momento financeiro ruim?

            Você acha que ainda não é feliz, não tem paz e não encontrou a plenitude porque o seu marido é uma pessoa muito complica? Ou a sua esposa é um desafio na sua vida?

            Você acha que a sua vida só é como é porque você teve uma infância difícil?

            Você acha que a sua vida pessoal vai melhorar quando aquela situação acontecer?

            Você acha que vai ficar rico e deve pode ter fé em si próprio e agir com atitudes condizentes para Criar a Realidade dos seus sonhos.

            Quando você acha que alguém deve fazer você ser feliz, então você mudou a fé de lugar...

            Quando você acha que com o novo prefeito as coisas vão melhorar e se enche de esperança por isso, você retirou a força do seu poder pessoal e passou para alguém externo.

            Quando você acha que a responsabilidade dos seus estudos é do seu professor, você permite que o seu poder de aprender seja enfraquecido.

            Quando você acha que a sua evolução espiritual é responsabilidade do padre, do pastor ou do líder espiritual que você segue então você regride.

            Quando você acha que Jesus vem lhe salvar, então você já está condenado...

VOCÊ É 100% RESPONSÁVEL: 
            Você precisa viver em sociedade e desenvolver parcerias saudáveis, mas tem que saber que a única pessoa em quem você pode confiar 100% é em você.

            Não deposite as esperanças de uma vida melhor em um chefe, em um cônjuge, em um filho ou em qualquer pessoa que seja. Simplesmente porque quando você faz isso, você manda um sinal energético para o universo abdicando do seu poder pessoal de Criador de sua Realidade.

            Faça uma análise sincera da sua vida. Em quais áreas está colocando a culpa da infelicidade em outra pessoa? Em quais áreas está colocando esperanças sobre alguém que não é você?

            Quando você espera demais de coisas ou pessoas externas, você as sobrecarrega com projeções ilusórias e dá inicio a processos emocionais completamente tóxicos.

            Vivemos entre os nossos irmãos, precisando uns dos outros para viver melhor, contudo, isso não significa que podemos ceder o nosso poder de sermos quem somos em essência. Este é o nosso genuíno poder pessoal, portanto ele deve estar dentro de cada um e não fora!
  

VIVER A MISSÃO DA SUA ALMA, ESSE É O PONTO! 

            Quando você espera que façam por você, você simplesmente não vive a missão da sua alma. Quando você não vive a missão da sua alma a sua aura fica enfraquecida, a sua alegria de viver é drenada e você dá entrada para o vazio consciencial que corrói a alma humana. Mas quando você se lembra de que somos seres espirituais vivendo em corpos materiais, que estamos todos interligados e que somos portadores de um poder de criação sem igual, nesse instante você se torna o líder da sua vida, o arquiteto do seu destino, ou melhor, O Criador da sua Realidade.

            Eu desejo que você se concentre em ver e sentir o poder que você tem de mudar a sua realidade, e que você possa dar incríveis saltos no sentido da sua evolução, prosperidade e plenitude. Mas entenda que para você ter prosperidade você precisará antes entender que tudo é energia, tudo é fluxo, tudo é amor. Uma vez que você consegue compreender os seus papeis na vida e que também consegue fazer o que a sua essência quer que você faça: você conquista a sua prosperidade.
Lembre-se: Prosperidade é a união da abundância material e financeira somada com a paz de espírito e a plenitude. Prosperidade é o sentimento que lhe oferece a liberdade genuína!




POR: BRUNO J. GIMENES  -Terapeuta Holístico

domingo, 26 de maio de 2013

O homem de bem

O verdadeiro homem de bem é aquele que pratica a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza.Se ele interroga sua consciência sobre seus próprios atos,pergunta se não violou essa lei, se não praticou o mal, se fez todo o bem que podia, se desperdiçou voluntariamente uma ocasião de ser útil, se ninguém tem do que se queixar dele, pergunta, enfim, se fez aos outros tudo o que desejava que os outros fizessem por ele.

Tem fé em Deus, em sua bondade, em sua justiça, e em sua sabedoria; sabe que nada acontece sem a sua permissão, e submete-se à sua vontade em todas as coisas.

Tem fé no futuro; por isso coloca os bens espirituais acima dos bens temporais.

Ele sabe que todas as vicissitudes da vida, todas as dores, todas as decepções, são provas ou expiações, e as aceita sem se lamentar.

O homem de bem, inspirado pelo sentimento de caridade e de amor ao próximo, faz o bem pelo bem, sem esperança de retorno; retribui o mal com o bem, toma a defesa do fraco contra o forte e sempre sacrifica o seu interesse pela justiça.

Encontra satisfação nos benefícios que distribui, nos serviços que presta, nas alegrias que proporciona, nas lágrimas que faz estancar, nas consolações que proporciona aos aflitos. Seu primeiro ímpeto é pensar nos outros, antes de pensar em si, é buscar o interesse dos outros antes do seu próprio. O egoísta, ao contrário, calcula as vantagens e as perdas de toda ação generosa.
O homem de bem é humano, é bom e benevolente para todo mundo, sem distinção de raças nem de crenças, porque vê irmãos em todos os homens.

Respeita todas as convicções sinceras nos outros, e não amaldiçoa aqueles que não pensam como ele.

Em todas as circunstâncias a caridade é o seu guia; reconhece que aquele que prejudica o seu semelhante com palavras maldosas, que fere a suscetibilidade de pessoas com o seu orgulho ou o seu desdém, que não desiste diante da idéia de causar um sofrimento, uma contrariedade, mesmo leve, quando poderia evitá-la, falta ao dever do amor ao próximo e não merece a clemência do Senhor.

Não tem ódio, nem rancor, nem desejo de vingança; a exemplo de Jesus, ele perdoa e esquece as ofensas, e só se lembra dos benefícios, porquanto sabe que será perdoado, assim como ele mesmo houver perdoado.

É indulgente para com as fraquezas dos outros, porque sabe que também necessita de indulgência, e se recorda destas palavras do Cristo: "Que aquele que está sem pecado lhe atire a primeira pedra".

Não sente prazer em procurar os defeitos dos outros, nem em colocá-los em evidência. Se a necessidade a isso o obriga, procura sempre o bem que pode atenuar o mal.

Estuda as suas próprias imperfeições, e trabalha incessantemente para combatê-las. Todos os seus esforços são empregados para que amanhã possa dizer que existe nele algo melhor do que na véspera.

Não procura fazer valer nem seu espírito, nem seus talentos a custa de outros; ao contrário, aproveita todas as oportunidades para fazer sobressair as qualidades dos outros.
Não se envaidece da sua fortuna, nem das suas vantagens pessoais, porque sabe que tudo quanto lhe foi dado pode ser retirado.

Usa, mas não abusa dos bens que lhe são concedidos, porque sabe que se trata de um depósito do qual terá que prestar contas; sabe também que o emprego que lhes pode dar, mais prejudicial para si mesmo, é o de utilizá-los para a satisfação das suas paixões.

Se a ordem social colocou pessoas sob a sua dependência, ele as trata com bondade e benevolência, porquanto, perante Deus, são iguais a ele. Usa a sua autoridade para lhes levantar o moral, e não para esmagá-los com o seu orgulho, e evita tudo o que poderia tornar sua posição subalterna mais penosa ainda.

A pessoa subordinada, por sua vez, compreende os deveres da sua posição, e tem escrúpulos em não cumpri-los conscienciosamente. (Ver cap. XVII, item 9.)

O homem de bem, enfim, respeita nos seus semelhantes todos os direitos que as leis da Natureza lhes concede, como desejaria que os seus fossem respeitados.

O que acabamos de expor não é a enumeração completa de todas as qualidades que distinguem o homem de bem, mas todo aquele que se esforça para possuir as que aqui foram citadas, está no caminho que conduz a todas as outras.
Allan Kardec in "O Evangelho Segundo o Espiritismo", capítulo XVII, item 3
Prezados,
Gostaria de  agradecer muito a vocês, que estão sempre nos acompanhando, nos visitando, lendo, comentando (ou não), enfim, nos prestigiando.
Segue abaixo as estatísticas de visitas... 
O blog Fraternidade Espírita Monsenhor Horta, é visto em vários países do mundo. 
O carinho de vocês nos faz pensar em nossa responsabilidade, além do compromisso de melhorar sempre.
Este blog é meu, é seu, é nosso!
Sejam sempre muito bem-vindos. 
E que Deus possa abençoar você e toda a sua família!

(clique na imagem para ampliar)

sábado, 25 de maio de 2013

Sandálias Semeadoras


O Centro Espírita nasceu
das sandálias de Jesus,
que nunca, nunca morreu
nem de lança, nem na cruz.

Jesus desapareceu
para os vaidosos da Terra,
mas logo reapareceu
para a gente de sua terra.

As sandálias de Jesus
nunca deixaram de andar,
sozinhas, cheias de luz,
para as trevas espantar.

Essas sandálias vazias
vão por caminhos e ruas,
sem festas nem fantasias,
sob sóis e sob luas.

Param humildes e calmas
na soleira de uma porta,
batem solas como palmas,
entram por baixo da porta.

Há desespero e aflição.
Quem sofre e geme lá dentro?
As sandálias já se vão,
mas fica na casa um CENTRO.

Este poema, de autoria de Herculano Pires, serve de epígrafe para o livro "O Centro Espírita.

Pai Nosso - por Monsenhor Horta


Pai Nosso, que estás nos Céus,
Na luz dos sóis infinitos,
Pai de todos os aflitos
Deste mundo de escarcéus.
Santificado, Senhor,
Seja o Teu nome sublime,
Que em todo o Universo exprime
Concórdia, ternura e amor.
Venha ao nosso coração
O Teu reino de bondade,
De paz e de claridade
Na estrada da redenção
Cumpra-se Teu mandamento
Que não vacila nem erra,
Nos Céus, como em toda Terra
De luta e de sofrimento.
Evita-nos todo o mal,
Dá-nos o pão do caminho
Feito da luz, no carinho
Do pão espiritual.
Perdoa-nos, meu Senhor,
De iniquidade e de dor.
Os débitos tenebrosos,
De passados escabrosos,
Auxilia-nos também,
Nos sentimentos cristãos,
A amar nossos irmãos
Que vivem longe do bem.
Com a proteção de Jesus,
Livra a nossa alma do erro,
Sobre o mundo de desterro
Distante da vossa luz.
Que vossa ideal igreja
Seja o altar da Caridade
Onde se faça a vontade
De vosso amor...
Assim seja.



Espírito :Monsenhor Horta
Médium; F.C. Xavier 
Livro: Parnasmo Além Túmulo.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Como ouvir a sua intuição? Acalme a mente e dê chance para a sabedoria intuitiva

            Muitas pessoas me procuram para perguntar como despertar a intuição. Na verdade, não se faz necessário despertar a intuição, ela é parte integral de sua vida; o problema é que por alguns motivos você não consegue acessá-la e quando o faz, não dá valor para suas mensagens.
       Existem aqueles que dizem que você precisa fazer isso ou aquilo, usam rituais milagrosos, poções encantadas, ou sugere exercícios miraculosos, sejamos práticos: isso não funciona.
        Primeiro, precisamos entender o que é realmente intuição, ou o sexto sentido, como muita gente costuma chamar.
          Intuição é a ligação do sistema SRM do sistema cerebral, é quando em algum momento é criado uma ponte de ligação entre algumas áreas do hemisfério direito e o hemisfério esquerdo do cérebro.
            Quando isso ocorre seu senso de percepção ao sutil cresce de forma incrível.
            Dessa maneira, você consegue de forma mais apurada entender os mecanismos que estão ao seu lado e, então, recebe informações especiais em sua mente.

            O grande problema é que o cérebro racional ainda esta ativo e você recebe duas informações:
1. As informações do cérebro consciente, que em geral são gritadas, a mente é assim mesmo, ela grita, impõe, manda.
2. Já as informações intuitivas são sussurradas, com calma e paz, tranquilidade e equilíbrio.

            Daí reside o problema:
Imagine você, por exemplo, em meio a uma multidão, dentro de um shopping, aquele falatório, crianças gritando, o vai e vem das pessoas ( essa é sua mente ) , de repente ao longe, alguém começa a falar contigo, sussurra, é possível que você escute algo? Certamente não!

            Por isso, para se ouvir as mensagens intuitivas, faz-se necessário acalmar a mente, esse é um dos propósitos da meditação.
            Grandes mestres têm acesso à intuição pelo simples fato de conseguirem acalmar a mente.
            Veja Moises que ficou dias no Monte Sinai, ou Jesus que saiu para o deserto para meditar e mesmo Budha em sua peregrinação.

            Você certamente já recebeu mensagens meditativas, mas ao invés de ouvi-las, deu razão as que gritavam, e num determinado momento disse:
- Eu devia ter ouvido aquela voz.

            Isso é comum, e muito mais comum nas mulheres, que geralmente ligam o sistema intuitivo de forma mais frequente, pela própria arquitetura de seu conjunto cerebral.

            Você vai me dizer:
- Ah Dr.Paulo, mas então não tem nada de sobrenatural, místico, espiritual na intuição?

            Seria um absurdo eu descartar essas qualidades, é claro que quando os hemisférios compartilham e criam a intuição, nossa percepção ganha um novo sentido, e podemos vislumbrar coisas refinadas, tem pessoas que interpretam coisas que irão acontecer, outras determinam melhores caminhos a tomar, tem indivíduos que se ligam ao plano sutil vibratório, a espiritualidade e assim por diante.
            O famoso sexto sentido é ativado.
            Mas será que para isso precisamos de rituais, regras e métodos?
            Para alguns sim, mas para outros o simples fato de silenciar a mente, abrir os olhos de forma especial, já auxilia de forma impactante.
            Eu pessoalmente quando necessito da intuição, tento relaxar, usar um som suave de natureza, me concentro, respiro, ou senão tomo um banho relaxante, que é justamente nesses momentos que meus insights e mensagens são apercebidas.

            Vale a pena você tentar.

            Acalmar a mente e dar chance a sutil sabedoria intuitiva vir a tona, ela poderá auxiliar você a tomar decisões mais acertadas, a compreender melhor a própria existência.

            Eu desejo sucesso em sua prática.



POR:  CÁTIA BAZZAN  -  Terapeuta Holística.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

quarta-feira, 22 de maio de 2013

O que você realmente sente por aquela pessoa?


Está em dúvida sobre o que sente por aquela pessoa especial? Sempre apostou que se tratava de uma grande amizade, mas agora tem se questionado a respeito do que está realmente acontecendo entre vocês? Fique atento a como reage diante dela e aproveite as dicas abaixo para reconhecer e assumir de vez o que sente e quer!


1- QUANDO AQUELA PESSOA APARECE SEM VOCÊ ESTAR ESPERANDO...
AMOR: o coração dispara, você começa a suar e não sabe exatamente o que dizer.
AMIZADE: você vai logo perguntando por que não avisou que viria e o convida para fazer parte da situação.

2- QUANDO A PESSOA TE LIGA...
AMOR: você fica mega feliz e, a cada toque, delicia-se com a sensação maravilhosa de se sentir lembrado.
AMIZADE: você atende na primeira e já vai logo perguntando qual é a boa pra hoje.

3- QUANDO A TAL TE DÁ UM BEIJO FORTE NA BOCHECHA...
AMOR: você fica quente, vermelho, confuso e morrendo de vontade de virar o rosto para o beijo acertar sua boca!
AMIZADE: você retribui o beijo na bochecha com a maior naturalidade e ainda tira sarro da situação.

4- QUANDO ELA TE ABRAÇA CARINHOSAMENTE...
AMOR: você se sente derretendo e gostaria de ficar ali, entre aqueles braços, para o resto da vida.
AMIZADE: você devolve o abraço sem nem se dar conta do ato ou, dependendo da intimidade, dá um empurrão de "larga do meu pé".

5- QUANDO A PESSOA FAZ UM COMENTÁRIO SOBRE VOCÊ...
AMOR: você fica refletindo se o comentário esconde algum interesse maior e se aquilo foi alguma indireta ou ainda fica preocupado, pensando se a pessoa estava te criticando.
AMIZADE: pergunta logo o que ela quis dizer com o comentário e se concluir que foi mesmo uma crítica, solta um "cala boca" e cai na risada.

6- QUANDO VOCÊ ENCONTRA A PESSOA NO CINEMA E... ACOMPANHADA...
AMOR: você se sente péssimo, quer ir embora, fica com raiva e morrendo de vontade de saber o que está rolando entre eles.
AMIZADE: você vai logo se apresentando, se enturmando e perguntando por que não te convidaram para ir junto.

7- A PESSOA TE CONVIDA PARA VIAJAR NO FINAL DE SEMANA COM A FAMÍLIA DELA...
AMOR: você fica empolgadíssimo, feliz da vida, entendendo o convite como um desejo dela de que se tornem ainda mais íntimos e próximos.
AMIZADE: você fica bem contente e já começa a planejar o que podem fazer para se divertir juntos.

8- VOCÊS TÊM UM ENCONTRO MARCADO...
AMOR: você passa horas pensando nos detalhes, tais como roupa, perfume, o que vai dizer, qual a forma mais atraente de se comportar.
AMIZADE: você se arruma na última hora, ainda liga pra pedir opinião, e aproveita o encontro para relaxar e se divertir.

            Se depois disso já concluiu que o que sente está mais para amor do que para amizade, avalie o cenário. Se a pessoa é solteira, talvez valha se declarar e dar uma chance para essa história. Se ela não está solteira, talvez seja melhor você se afastar um pouco para não sofrer tanto e tentar conhecer alguém que esteja tão disponível quanto você! Por fim, se for amizade de verdade, nem a distância e nem as dúvidas serão suficientes para destruí-la. No mais, é melhor viver e errar do que passar pela vida feito um cogumelo - inexpressivo.


POR:  ROSANA BRAGA  -   Palestrante

terça-feira, 21 de maio de 2013

A Eneriga de um objeto afeta o seu ambiente

             
Alguns anos atrás, uma situação muito complicada aconteceu. Uma senhora do interior do Rio Grande do Sul, entrou em contato comigo para relatar que a energia da sua casa de campo estava muito pesada e confusa. Ela também comentou a ocorrência de algumas manifestações espirituais negativas que realmente estavam atrapalhando a harmonia da sua família.
            Após alguns dias de estudo, pudemos perceber por meio de uso de algumas técnicas, em especial pela Radiestesia (técnica de captação de energias sutis que normalmente se utiliza de pêndulos ou varetas) que o problema principal da casa era um baú de madeira que aquela senhora havia comprado alguns anos antes.
            O baú era construído artesanalmente em um tipo de madeira rústica. Ele tinha um pouco mais de cinqüenta centímetros de altura e quase cem centímetros de largura. Era uma bonita peça, entretanto, estava impregnada com uma energia muito pesada.
            Ocorre que este baú foi uma herança de família, portanto, era um objeto muito velho, com muita história armazenada em sua memória energética. Além disso, temos o agravante de que a madeira é um material entre os que mais memorizam as energias ao seu redor.
            Lembro-me muito bem que aplicamos várias técnicas para promover a limpeza energética do antigo objeto, mas nada surtia efeito. Percebendo a afetação gerada pelo baú, mesmo com um pouco de apego, aquela senhora decidiu se desfazer dele, que neste caso específico significou queimá-lo.
            Mais tarde, ministrando centenas de cursos de Radiestesia e também de Limpeza e Harmonização de Ambientes, entramos em contato com várias situações parecidas, todas elas relatadas por pessoas reais, as quais conseguiram comprovar que alguns objetos realmente podem afetar negativamente a energia de um lar.
            Em uma ocasião, um senhor percebeu que uma simples imagem de um santo, a qual ele havia comprado em uma feira de artesanato, era o agente causador dos distúrbios de sono de sua filha caçula. Uma vez que ele empregou algumas técnicas para limpar energeticamente aquela peça, nunca mais o problema aconteceu de novo, e neste caso  ele não precisou descartar o objeto.
            Objetos, roupas, artigos de decoração e outros elementos que trazemos para dentro de nossos ambientes estão carregados magneticamente pela energia dos materiais que são compostos, somados a vibração pessoal de quem os toca, somado ao psiquismo do local em que estavam armazenados e principalmente a intenção de que os produziu. Muitas vezes, só o fato de que uma pessoa que participou da produção de uma peça, tenha feito com má vontade, já é o suficiente para que aquele item esteja com uma péssima energia armazenada, o que já será o suficiente para afetar o seu lar ou ambiente de trabalho.

O QUE FAZER?

            A Radiestesia oferece técnicas eficazes e rápidas para a desprogramação de energias negativas de objetos, roupas, itens de decoração, entre outros. Contudo, vou explicar uma forma simples de evitar o transtorno causado por esses acontecimentos.

            Sempre que você chegar com alguma coisa nova em sua a casa, tenha a disciplina de fazer este processo que você sentirá grandes ganhos.
1 - Coloque o objeto, ou a roupa, ou alimento que chegou do supermercado, ou o utensílio de qualquer natureza, sobre uma mesa.
2 - Relaxe a sua mente, respire profundamente elevando os seus pensamentos a Deus, aos seres de luz que você acredita, aos anjos ou as suas figuras de crença.
3 - Peça luz e amparo para harmonizar a energia dos itens sobre a mesa.
4 - Em seguida, mentalize uma luz de tom violeta vindo do céu e envolvendo os itens sobre a mesa;
5 - Depois de alguns segundos, visualize que a luz violeta dá lugar a uma luz branca que atua por alguns segundos envolvendo os objetos sobre a mesa;
6 - Por último, visualize que a luz branca agora dá lugar a uma luz dourada que também atua por mais alguns segundos sobre os objetos da mesa.

            Pronto! Você já terá mudado a energia dos itens novos que chegaram na sua casa.

            Você poderá fazer para vários objetos ao mesmo tempo, que podem ser colocados juntos sobre a mesa. Você também poderá fazer para objetos antigos da casa, mas que somente agora você decidiu mudar a sua energia.

            Faça que o resultado é garantido!



POR: BRUNO J. GIMENES  -  Palestrante


segunda-feira, 20 de maio de 2013

Será que sou médium?



Será que sou médium?
Será que sou médium?
Essa é a dúvida de grande parte das pessoas que começam a frequentar um terreiro de Umbanda ou tem contato com essa religião de alguma forma. Para responder a esta pergunta vou recorrer primeiro ao dicionário que diz o seguinte sobre “médium”:
médium (francês médium) s. m. Pessoa que pode (na opinião de alguns) servir de intermediária entre os vivos e os espíritos.Plural: médiuns.
“médium”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2010, [consultado em 24-05-2011].
Pode-se notar que o significado da palavra “médium” é bastante abrangente e não refere-se apenas aos que, na Umbanda, trabalham incorporando espíritos e dando consulta nos terreiros, mas sim à vários graus de consciência e sensibilidade. Isso significa que existem pessoas que tem um grau de sensibilidade e consciência onde é possível incorporar espíritos e trabalhar dando consultas, mas estes são os casos, por incrível que pareça, mais incomuns pois, na minha opinião, todos somos médiuns. Existem médiuns, por exemplo, que tem uma sensibilidade maior para a psicografia (como é o caso de Chico Xavier, o médium mais conhecido do Brasil), outros tem uma sensibilidade maior para a energização (também conhecidos como passes), outros possuem uma sensibilidade mais apurada no campo da vidência ou visões e existem vários outros campos onde a mediunidade é mais desenvolvida em uns e menos desenvolvida em outros e nunca, em hipótese alguma um “tipo” de médium é mais “forte” que o outro ou menos importante que outro.
Deixo aqui claro que cada grau de sensibilidade dos médiuns é de extrema importância dentro dos trabalhos da Umbanda ou de todas as religiões que trabalham diretamente com a comunicação com os espíritos pois, vejamos o caso da Umbanda: Na Umbanda existem os médiums de incorporação, que na hora da sessão “emprestam” os seu corpo para que os espíritos de luz possam vir nos auxiliar; os médiuns que são responsáveis por tocar os pontos de evocação das entidades e Orixás (os Ogãs ou Curimbas) que tem um papel fundamental para o equilíbrio das energias em um terreiro; os médiuns responsáveis por interpretar o que as entidades estão dizendo, auxiliando na comunicação direta entre a entidade e os consulentes, os chamados Cambones ou Cambonos; os médiuns de concentração ou energização que são responsáveis por manter a harmonia das energias dentro de um terreiro, auxiliando no firmamento da corrente, enfim, são vários médiuns com vários níveis de sensibilidade e mais aptos a realizar seus trabalhos e a soma de todos, em perfeita harmonia, fazem a Umbanda.
Sim, você é um médium, tem um dom e descobri-lo o quanto antes irá lhe auxiliar muito no que diz respeito à sua evolução espiritual. Estamos lhe esperando com os braços abertos e ansiosos para que essa sua energia boa e toda essa sua luz faça parte de nossa corrente de amor e respeito pelo próximo. Seja bem vindo à Umbanda.

domingo, 19 de maio de 2013

Os olhos da maldade


O mundo é um reflexo do que os seus olhos vêem e o seu cérebro interpreta
Você já reparou que tem gente que só consegue enxergar o lado ruim, o lado mau das coisas? É esse tipo de pessoa que acaba, mesmo que sem intenção, atraindo maus fluidos para si mesma através da maldade que ela enxerga nas ações de outras pessoas. Esse tipo de pessoa costuma passar o dia se lamentando, se queixando que a vida dela não é boa e, quando para de se lamentar começa a falar da vida dos outros como se todos fossem pessoas horríveis, como se ela própria fosse uma santa.
Uma vez um grande amigo me disse uma coisa muito interessante, que parafraseio à seguir: “O mundo não é bom e o mundo não é ruim. O mundo é apenas um reflexo do que temos dentro de nós mesmo.”
Interessante essa frase, não? Como é o seu mundo hoje? Como você consegue enxerga-lo?
Você é daquele tipo que falei no início do texto, que só vê maldade nas pessoas e que, pra você, o mundo está sempre errado? Sinto em lhe dizer, mas toda a maldade que você enxerga está apenas dentro de você mesmo e é essa maldade que você tem dentro de você que não lhe deixa progredir na vida, não lhe deixa ser feliz.
Pare para pensar um pouco: talvez a maldade que você esteja enxergando no que fulano ou beltrano faz é apenas a forma dessa pessoa de tentar ser feliz ou até mesmo a forma particular que ela tem de manifestar a felicidade que ela tem dentro de si.
Enquanto você continuar aí enxergando a tudo e a todos com esses olhos da maldade a sua vida vai se resumir apenas a isso: maldade.