Páginas

Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Obsessão Consentida

Por que e como permitimos sermos influenciados de forma permanente, caracterizando a obsessão? Qual é a importância do autoconhecimento e do equilíbrio psicoemocional?


            Em primeiro lugar, cabe a pergunta: EXISTE OBSESSÃO CONSENTIDA?
            Nós permitimos, nós consentimos que outros seres, desencarnados, nos influenciem de forma nociva, danosa, e ostensivamente?
            Após 34 anos de experiência com a obsessão, lidando com essa realidade em reuniões mediúnicas ou fora delas, creio que praticamente toda obsessão é consentida, consciente ou inconscientemente.
            Por que e como permitimos sermos influenciados de forma permanente, caracterizando a obsessão?
            A obsessão não é uma influência espiritual esporádica, eventual, episódica!
A obsessão só se caracteriza quando há uma influência constante, diária ou quase, com danos mentais, emocionais, e muitas vezes até mesmo físicos.
            Para respondermos a pergunta acima, acerca da razão de permitirmos e como permitimos que nos obsediem, façamos inicialmente algumas considerações acerca de equilíbrio, vibração, campo de força ou aura.  
            Sabemos que todos os nossos corpos absorvem e emitem energias. Desde o corpo físico, até os corpos mais sutis, todos emitem energia, como uma lâmpada recebendo eletricidade e emitindo luz para todos os lados.
            A qualidade da energia, o teor vibratório da energia que emitimos depende da qualidade da energia que absorvemos, e também depende do nosso equilíbrio interno.
            Uma pessoa equilibrada, física, emocional e sentimentalmente emite uma energia de teor vibratório elevado. Ou seja, vibra em alta potência! Essas pessoas não podem ser alvos de obsessão! Por quê? Simplesmente por falta de sintonia vibratória!
            Uma pessoa sem vícios, sem desajustes de tipo algum, e que está sempre pensando em coisas boas, sempre ajudando as pessoas, cheia de compaixão e de amor no coração produz ao redor de si uma aura, um campo de energia, um campo de forças que é um verdadeiro escudo protetor natural. Essas pessoas jamais são obsidiadas!
            Para exemplificar com pessoas reais do nosso tempo, pensemos em pessoas como Irmã Dulce, Madre Tereza de Calcutá, Chico Xavier, o Dalai Lama e João Paulo II. Nenhuma delas foi ou poderia ser alvo de obsessão! Do passado, pessoas como São Francisco de Assis, Buda e Jesus são talvez os maiores exemplos de equilíbrio, bondade, compaixão, coração puro e amor ao próximo.
            Impensável imaginar essas pessoas sofrendo influência espiritual negativa, nociva, mesmo que ela fosse tentada diretamente pelo espírito das trevas mais poderoso da Terra! Nenhum ser das trevas encontrava ou encontra efetivamente brecha no campo de forças, na aura, no campo vibracional desses seres, porque o equilíbrio interior produzia uma emissão poderosa de energia que gerava o campo de força protetor natural.
            Mesmo que não estivessem orando o tempo todo, e ninguém fica, o estado interior da mente, serena, pacificada, sem desajustes de forma alguma, e ainda o estado emocional e amor que sentiam pelos seres mantinham um equilíbrio energético permanente, sendo essa a proteção natural delas.
            Já quando uma pessoa tem uma alimentação deficiente, que causa desequilíbrios no organismo, vive oscilando nos seus pensamentos, e muitas vezes se deixa dominar pela raiva, pela inveja, pelo rancor, pela dúvida, pelo egoísmo, pela ambição exagerada, pela negatividade e muitos outros estados negativos da mente e das emoções, emite energias em desalinho, em desajuste, e isso vai formar um campo energético, um campo vibracional, uma aura fraca, que não garantirá a sua proteção contra ataques energéticos e influências de seres desencarnados desequilibrados ou maldosos.
            Assim, o simples desajuste constante da mente e das emoções já é o suficiente para formar uma aura com brechas, por onde penetram energias ruins de seres que querem prejudicar a pessoa.

MUDANÇA INTERIOR
            Qualquer trabalho energético que uma pessoa faça tentando fortalecer esse campo energético, se não for acompanhado pela mudança efetiva interna, será em vão!
            Práticas energéticas são apenas muletas! E muletas temporárias! Da mesma forma a oração, o mantra, olhar concentrado para mandalas, etc. Tudo isso produz um efeito apenas temporário! Se a pessoa não mudar internamente, não fizer o trabalho de mudança real dentro de si, mudando de padrão mental, mudando os pensamentos, as emoções e os sentimentos, nada e nenhuma técnica vai dar o resultado desejado de produzir um campo energético que a proteja de verdade e de forma permanente!
            A aura não é algo estático! Não é como uma bolha de sabão! A aura, o campo energético, é algo extremamente dinâmico, em permanente mudança, como o fogo de uma vela, dançando, se movendo. Se você está triste agora, e em poucos minutos ou em algumas horas supera esse estado de tristeza, a aura já muda de cor! A qualidade de energia da aura já muda!
            Uma pessoa que vive cheia de rancor, de mágoa, quando consegue perdoar, passa por uma grande e profunda mudança nas cores da aura, e passa a ficar mais imune a influências espirituais que se aproveitam da mágoa.
            São os nossos estados internos desequilibrados que permite a obsessão, a influência espiritual nociva!
            Raiva, medo, inveja, mágoa, desejo de vingança, egoísmo extremo, desejar o mal aos outros, falta de compaixão, falta de amor no coração e tudo o mais que seja negativo abre as portas da obsessão, porque fragiliza a pessoa por dentro, e consequentemente por fora, fragilizando seu campo energético.
            Quando uma pessoa tem um vício qualquer, isso, por si só, já abre uma brecha para a influência espiritual nociva. Sabemos que os espíritos desencarnados que ainda são viciados em álcool, drogas, cigarro e sexo ficam nas dimensões mais próximas dos encarnados a usufruir dos seus vícios!
            É frequente nas reuniões mediúnicas atendermos espíritos ligados a pessoas encarnadas pelos seus vícios!

            Na maioria das vezes essa ligação não envolve ódio e desejo de vingança! Os espíritos viciados querem apenas dividir o prazer! Apenas desejam desfrutar daquelas coisas que os encarnados desfrutam e que eles, como desencarnados, já não podem desfrutar no mundo espiritual, como o álcool e as drogas.
            Já ouvi espíritos dizerem que o encarnado viciado em álcool ou droga era seu parceiro! E que estava protegendo o encarnado de outros espíritos! Nesses casos, o espírito que está junto do encarnado não lhe quer mal, e até lhe protege, mas está fortalecendo o vício do encarnado! Por isso o caso é considerado como influência espiritual nociva, mesmo não sendo muitas vezes propriamente uma obsessão.
            O vício é da pessoa! Espirito nenhum cria vício no encarnado! Já ouvi um velho conhecido meu, um mago negro desencarnado, dizer numa reunião mediúnica que ele não criava coisa alguma em nós encarnados, e que apenas trabalhava com os nossos desejos. E isso é a mais pura verdade!
            Mesmo quando há uma obsessão movida por desejo de vingança, o que considero a obsessão clássica, a obsessão propriamente dita, porque há um desejo de prejudicar, de fazer o mal ao encarnado, há também aí a permissão, o consentimento do encarnado para que o processo obsessivo se instale. Não se trata de uma permissão ou de um consentimento consciente, do tipo “Eu permito que você me obssedie, e me prejudique, me dominando”. Não! Não é isso!

COBRANÇAS ESPIRITUAIS
            As pessoas que sofrem as obsessões mais fortes motivadas por vingança normalmente são aquelas muito endividadas carmicamente, por ter feito muito mal a muitas pessoas no passado, em uma ou mais vidas anteriores. E normalmente isso acontece quando a pessoa ainda não mudou, não se transformou! Não pediu perdão àqueles a quem feriu muito, física ou de outra forma ainda pior!
            Quando se tem, por exemplo, cerca de 50 espíritos cercando e obsediando fortemente uma pessoa com fins de se vingarem, como já conheci, se a pessoa não tiver muita força interior, e se não mudar muito o seu padrão vibratório para ter de fato uma proteção energética poderosa ao ser redor, dificilmente se livrará da obsessão coletiva, porque aí não há apenas um ou dois espíritos para serem convencidos a perdoar, mas serão 50, e isso é muito mais difícil de conseguir.
            Todos aqueles que sofrem de obsessão possuem ainda imperfeições que precisam ser trabalhadas, e muitas vezes o orgulho e o egoísmo estão entre elas, e foi o causador do ódio dos desencarnados que agora querem a revanche, e a obsessão acaba sendo o remédio amargo para fazer a pessoa trabalhar a humildade, o perdão, a paciência, o egoísmo, etc., e o remédio amargo muitas vezes termina por curar a pessoa dessas imperfeições, mesmo quando a obsessão leva ao desencarne, o que não é muito comum, mas acontece. Já conheci casos! Toda obsessão tem sua razão de ser! Nada acontece por acaso, e sem a permissão de Deus! A Lei de Causa e Efeito regula também as obsessões, e impõe os seus limites!
            Os espíritos protetores não abandonam seus protegidos, mesmo nos casos de obsessão. Eles estão sempre por perto, acompanhando tudo, aparando as arestas para que tudo saia de acordo com a permissão do Pai. Não cai um fio de nossa cabeça sem que Deus permita! Acredite nisso!
            Para quem sofre de obsessão, e quase todos nós sofremos em algum momento de nossas vidas, o conselho é:
- Buscar o equilíbrio interior, a serenidade mental;
- Buscar se tornar menos egoísta, menos vaidoso, menos orgulhoso;
- Evitar fazer comentários negativos sobre as pessoas;
- Desenvolver a compaixão, a humildade e o amor ao próximo;
- Procurar levar uma vida simples, sem afetação, sem ferir ou magoar ninguém...    Quem está equilibrado por dentro gera automaticamente um campo de força protetor que impede a aproximação, a influenciação e a dominação por parte de espíritos desencarnados. Orar e vigiar sempre!
            Quem vigia a própria mente, a língua e o coração, e tem o hábito de orar, fecha as portas para a entrada de espíritos maldosos em seu campo energético. Quem se livra de um vício já está se imunizando quanto à aproximação de espíritos viciados em relação àquele vício! Se a pessoa deixa de beber em grande quantidade e com frequência, nenhum espírito beberrão estará acompanhando essa pessoa até sua casa, nem nela fará a sua morada, para ficar mais perto do seu instrumento para beber. Quando alguém deixa de usar drogas, a mesma coisa acontece, e por aí vai, em relação a todos os vícios. Assim, livrar-se de um vício é fechar a porta de entrada para espíritos ligados a esse vício!
            Toda obsessão é consentida! São os desajustes, as imperfeições de caráter e os vícios o que mais abrem as portas e permitem as obsessões. É buscando desenvolver virtudes, buscando o autoaperfeiçoamento, e tornando-se uma pessoa cada vez melhor, mais amorosa, tendo compaixão em relação a todos os seres, amando e fazendo apenas e sempre o bem, orando e vigiando a própria mente e as próprias emoções que a pessoa se livrará da obsessão ora presente e evitará futuras obsessões.
            Equilíbrio no pensar e no agir!
            Livre-se dos vícios!
            Perdoe sempre! E peça perdão!
            Muito amor no coração!
            Com isso, estará imune à obsessão!

            Muita Paz.


REVISTA CAMINHO ESPIRITUAL  -  POR:  LUIZ ROBERTO MATTOS 

Nenhum comentário:

Postar um comentário