Páginas

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Salve o dia de Cosme e Damião!!!

  Hoje, 27 de setembro acontecem as festas aos santos Cosme e Damião, os quais são muito populares no Brasil, estando sempre associados à festa das crianças. Na tradição católica estes santos foram irmãos gêmeos que se dedicaram à medicina e conhecidos como anargiros (que não tem pratas), alusivo ao fato de não cobrarem pelos seus serviços prestados, assim sendo, são hoje considerados como patronos dos cirurgiões.
Por serem cristãos, durante as perseguições do Imperador romano Deocleciano foram martirizados na Egéia-Cilícia (Ásia Menor) em 27 de setembro do ano 287, seus corpos foram transportados para Roma a mando do Papa São Felix, que lhes concedeu uma igreja para veneração. Em suas homenagens espalharam-se igrejas pela Itália, França, Espanha e Portugal sendo fundada em 1226 na França a CONFRARIA COSME E DAMIÃO DE CIRURGIÕES, sendo que em Portugal a Universidade de Coimbra cobrava registro dos diplomas médicos e a renda era destinada para os estudos e pesquisas na área de medicina desta confraria, considerada a associação médica mais importante de toda a Europa.
Na época do Brasil Colônia, Dom Duarte Coelho escolheu estes santos como padroeiros da cidade de Igaraçu em Pernambuco. São ainda considerados defensores das epidemias, fome e partos gemelares.
O costume de oferecer doces as crianças em seu dia está muito difundido no Brasil, onde tais santos foram sincretizados no Candomblé e Umbanda como os orixás gêmeos Ibejis, como Erês (orixás crianças - intermediário entre o iniciado e o orixá) e em alguns casos são associados como espíritos de crianças, sendo que Ibejis, Erês e espíritos de crianças são seres distintos entre si. A imagem nos terreiros de Umbanda ao invés de dois santos (como na igreja Católica) aparecem três, ou seja, Cosme, Damião e Doum, sendo que este último entre as tradições populares fluminenses é tido como filho de uma empregada da família dos gêmeos e morreu no dia seguinte ao martírio dos irmãos médicos. Outros associam esta figura menor (Doum) a ligação de Cosme e Damião com as crianças ou mesmo com Ibejis e Erês.
Num país tão rico de raças e culturas, onde todos, com a graça de Deus, conseguem viver em paz é natural que aconteça a popularização e mistura das religiões; independente de serem membros das religiões afro-brasileiras ou católicos oferece-se doces as crianças, mantendo viva a história e exemplos desses santos médicos.


A Magia da Criança

O elemento e força da natureza correspondente a Ibeji são... todos, pois ele poderá, de acordo com a necessidade, utilizar qualquer dos elementos.
Eles manipulam as energias elementais e são portadores naturais de poderes só encontrados nos próprios Orixás que os regem.
Estas entidades são a verdadeira expressão da alegria e da honestidade, dessa forma, apesar da aparência frágil, são verdadeiros magos e conseguem atingir o seu objetivo com uma força imensa, atuam em qualquer tipo de trabalho, mas, são mais procurados para os casos de família e gravidez.
A Falange das Crianças é uma das poucas falanges que consegue dominar a magia. Embora as crianças brinquem, dancem e cantem, exigem respeito para o seu trabalho, pois atrás dessa vibração infantil, se escondem espíritos de extraordinários conhecimentos.
Imaginem uma criança com menos de sete anos possuir a experiência e a vivência de um homem velho e ainda gozar a imunidade própria dos inocentes. A entidade conhecida na umbanda por erê é assim. Faz tipo de criança, pedindo como material de trabalho chupetas, bonecas, bolinhas de gude, doces, balas e as famosas águas de bolinhas -o refrigerante e trata a todos como tio e vô.
Os erês são, via de regra, responsáveis pela limpeza espiritual do terreiro.
A Origem de "Doum"

Este personagem material e espiritual surgiu nos cultos Afros quando uma macamba (denominação de mulher, na seita Cabula) dava a luz a dois gêmeos e, caso houvesse no segundo parto o nascimento de um outro menino, era este considerado "Doum", que veio ao mundo para fazer companhia a seus irmãos gêmeos.
Foram sincretizados com os santos que foram gêmeos e médicos, tem sua razão na semelhança das imagens e missões idênticas com os "erês" da África, mas como faltava "doum", colocaram-no junto a seus irmãos, com seus pequenos bastões de pau, obedecendo à semelhança dos santos católicos, formando assim a trindade da irmanação.
Dizem também, que na imagem original de S. Cosme e S. Damião, entre eles (adultos) havia a imagem de uma criança a qual eles estavam tratando, daí para sincretizarem Doum com essa criança, foi um pulo...
                                             Onde Moram as Crianças?

A respeito das crianças desencarnadas, passamos a adaptar um interessante texto de Leadbeater, do seu livro "O que há além da Morte".
"A vida das crianças no mundo espiritual é de extrema felicidade. O espírito que se desprende de seu corpo físico com apenas alguns meses de idade, não se acostumou a esse e aos demais veículos inferiores, e assim a curta existência que tenha nos mundos astral e mental lhe será praticamente inconsciente. Mas o menino que tenha tido alguns anos de existência, quando já é capaz de gozos e prazeres inocentes, encontrará plenamente nos planos espirituais as coisas que deseje. A população infantil do mundo espiritual é vasta e feliz, a ponto de nenhum de seus membros sentir o tempo passar. As almas bondosas que amaram seus filhos continuam a amá-los ali, embora as crianças já não tenham corpo físico, e acompanham-nas em seus brinquedos ou em adverti-las a evitar aproximarem-se de quadros pouco agradáveis do mundo astral."
"Quando nossos corpos físicos adormecem, acordamos no mundo das crianças e com elas falamos como antigamente, de modo que a única diferença real é que nossa noite se tornou dia para elas, quando nos encontram e falam, ao passo que nosso dia lhes parece uma noite durante a qual estamos temporariamente separados delas, tal qual os amigos se separam quando se recolhem à noite para os seus dormitórios. Assim, as crianças jamais acham falta do seu pai ou mãe, de seus amigos ou animais de estimação, que durante o sono estão sempre em sua companhia como antes, e mesmo estão em relações mais íntimas e atraentes, por descobrirem muito mais da natureza de todos eles e os conhecerem melhor que antes. E podemos estar certos de que durante o dia elas estão cheias de companheiros novos de divertimento e de amigos adultos que velam socialmente por elas e suas necessidades, tomando-as intensamente felizes."
Assim é a vida espiritual das crianças que desencarnaram e aguardam, sempre felizes, acompanhadas e protegidas, uma nova encarnação. É claro que essas crianças, existindo dessa maneira, sentem-se profundamente entristecidas e constrangidas ao depararem-se com seus pais, amigos e parentes lamentando suas mortes físicas com gritos de desespero e manifestações de pesar ruidosas que a nada conduzem. O conhecimento da vida espiritual nos mostra que devemos nos controlar e nos apresentar sempre tranqüilos e seguros às crianças que amamos e que deixaram a vida física. Isso certamente as fará mais felizes e despreocupadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário