Páginas

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Mente limpa, coração aberto, espírito puro: Falando sobre Obsessões.

            Essas seriam as condições ideais, os repelentes mais eficientes no combate as obsessões, sejam elas do plano mental/emocional ou espiritual. Por essa ótica podemos compreender que ninguém está imune a esse tipo de influência negativa, afinal mente limpa, coração aberto e espírito puro não é um estado de consciência que seja fácil de se conquistar, mesmo para as almas mais evoluídas.
       Esse comentário é necessário apenas para tentar simplificar esse tema tantas vezes debatido e imensamente pesquisado. Precisamos facilitar essa visão e compreender de forma mais profunda, em uma visão de contexto mais ampla. Quando compreendermos os mecanismos da obsessão, estaremos a um passo da conquista da tão sonhada, debatida ou falada: Proteção Espiritual. Por isso, antes de aprofundarmos o conteúdo, vamos propor uma observação; a mente confusa, o coração fechado e o espírito impuro são imãs que atraem processos obsessivos, de toda ordem. Logo, toda obsessão indica falha em nosso padrão vibratório, que é resultante do universo de pensamentos, sentimentos e emoções.
             Assim sendo, precisamos parar, refletir e olhar com novos ?Olhos? Para todos os casos de obsessão. Não existem vítimas! Não existem vilões! Apenas atração magnética entre obsessor e obsidiado.
             Nesse sentido, vamos tentar de forma rápida, refletir sobre o que é realmente uma pessoa espiritualizada.
             Uma pessoa espiritualizada é alguém com a consciência expandida, principalmente dotada da capacidade de equilibrar suas emoções, evitando confusões ou conflitos. Engano nosso nos considerarmos evoluídos porque já deciframos o Tao Te Ching, interpretamos o Bagavad Ghita ou decoramos a Bíblia Sagrada. Nenhumas dessas obras divinas terão seus propósitos alcançados se suas mensagens não conseguirem nos levar a maiores níveis de compreensão de nossa existência, e, principalmente a maior capacidade de equilíbrio emocional.
             Parece até estranho dizer, mas uma pessoa evoluída espiritualmente é alguém que domina suas inferioridades, torna-se equilibrada em suas emoções e consciente da missão de sua alma. Em resumo: é o indivíduo paciente, ponderado, que não julga, que sabe perdoar, que ajuda ao próximo, que não se fascina no mundo material, que faz sua parte para ajudar o Planeta a evoluir.
             Esse estado pode sim ser conquistado em uma igreja, templo, centro, etc. Todavia pode ser alcançado de forma autodidata, no contato com a natureza, na oração, na meditação.
             Nosso maior objetivo nesse texto é estimular que você possa ter aprendizados práticos na sua vida sobre essa questão. Poderíamos ficar definindo, exemplificando, explicando e até filosofando, contudo nossa meta é o aprendizado real e na realidade dos fatos, a vida, a física, os Grandes Mestres e tantas outras fontes nos mostram que: "semelhante atrai semelhante". 
             A sugestão é que sempre que a obsessão atingir alguém ao seu redor ou a você mesmo, que você não tenha foco apenas em "exterminar" o obsessor a todo custo. É importante que você compreenda o que em você o atrai. O que em você o aproxima? Quais afinidades existem entre você e ele (obsessor)?
             O maior aprendizado e a maior evolução teremos quando ignorarmos culpados, vilões, vítimas ou algozes. É preciso nos concentrarmos em nós, em um sentido profundo de reflexão consciente para detectarmos nossas falhas e melhorarmos nossa sintonia a cada dia.
           Lembre-se: mente limpa, coração aberto e espírito puro não atraem obsessões. Portanto, as influências perniciosas são geradas por impurezas de nossas almas, inegavelmente. Por essa visão podemos concluir: A obsessão é o indicador que avisa a necessidade latente de evolução.  

Por: Bruno J. Gimenes - Palestrante e Escritor

Nenhum comentário:

Postar um comentário