Páginas

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Médium Consciente, Médium Semi Consciente e Médium Inconsciente



MÉDIUM CONSCIENTE

É quando o espírito comunicante não entra em contato com o corpo astral do médium, comunica-se telepaticamente e ao médium cabe com palavras e estilo próprios fazer a transmissão da ideia, depois de transmitida à ideia o espírito já não poderá influir, pois ele transmite a ideia e o médium a descreve. Médium e Espírito cumprem seu dever no limite de suas forças e possibilidades, o importante é que a ideia inicial não seja deturpada, nem modificada.
                                                                                   
MÉDIUM SEMI CONSCIENTE

No Médium Semi Consciente o espírito comunicante entra em equilíbrio vibratório com o Médium formando a afinidade fluídica, logo após entra em contato com o corpo astral do Médium atuando através deste corpo astral sobre o corpo material que fica em semi transe, sujeito a influência do espírito, impossibilitado de furtar-se a ela não ser que reaja deliberadamente. O espírito comunicante pode então transmitir livremente a sua mensagem, dependendo para maior fidelidade de interpretação da educação mediúnica e da capacidade intelectual do médium, neste caso o estilo e as palavras são já do espírito e servem para sua identificação pessoal.

MÉDIUM INCONSCIENTE
 
É no Médium Inconsciente que se dá a incorporação total, com a exteriorização do espírito do médium. O espírito do médium é afastado pelo guia protetor e permanece consciente ao lado do corpo, mas em geral não se recorda de nada ao regressar ao mesmo. Pode se dar através do transe sonambúlico que é quando o espírito que se comunica tem liberdade sobre a matéria do médium: anda,  fala, pega objetos... ou o transe letárgico quando o espírito apenas fala, mas o corpo do médium permanece imóvel com ou sem rigidez. A transfiguração, a xenoglossia e as intervenções cirúrgicas operatórias acontecem nesta modalidade embora sejam pouco comuns.

Nenhum comentário:

Postar um comentário