Páginas

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Alcoolismo e vidas passadas

Sessões de regressão demonstram que quando uma pessoa consome bastante álcool nesta vida é porque já consumia álcool em vidas passadas.
O consumo de álcool parece ser um padrão de comportamento que se repete vida após vida.
Cada vida é uma sequência da vida anterior e o prejuízo que o álcool causa no organismo é cumulativo, pois tudo fica gravado no perispírito e é repassado para o novo corpo a cada nova reencarnação.
O álcool é um veneno que mata as células do cérebro, fígado, pâncreas, esôfago, estômago, coração e é também um cancerígeno.
Se o indivíduo não quebrar o seu padrão de consumo de álcool, a cada nova reencarnação, o indivíduo nasce com o corpo e a mente cada vez mais lesados. A  pessoa pode reencarnar com doenças físicas e mentais graves já desde o nascimento.
Pessoas que eram normais nas suas vidas iniciais, à medida que repetem o padrão de consumo de álcool,  sofrem uma decadência física, moral e intelectual a cada nova reencarnação.
A dependência de álcool interrompe os comandos do centro da vontade tornando seus usuários verdadeiros farrapos humanos. Como o álcool faz adormecer a consciência cada vez mais, com o tempo a pessoa perde a noção do certo e do errado.
O espírito também é afetado, atingindo equilíbrio somente através de futuras reencarnações com muitas dores e alucinações.
Tive um paciente dependente de álcool que considerava seu consumo como "normal", "social" e apresentava as seguintes queixas: incapacidade de sentir emoções, dificuldade de ler, memória fraca, incapacidade de sonhar, pensamento empobrecido, impotência, fracassos na área sentimental, profissional e material. Dizia: "Eu não consigo evoluir".
Na primeira vivência, foi um senhor feudal possuidor  de muitas terras e servos. Tinha uma vinha e era fabricado vinho para consumo próprio.
Promovia quase diariamente festas regadas com muito vinho e mulheres. Não casou para poder namorar todas as mulheres.
Um dia, uma mulher após ser usada e dispensada por ele rogou-lhe uma praga para que ficasse impotente. Ele de fato ficou impotente, passou a beber cada vez mais e morreu de uma doença venérea.
Na segunda vivência, foi um padre no interior da França. Vivia ameaçando os fiéis com o fogo do inferno. Sentindo-se muito sozinho e culpado pelos pecados do seu povo, começou a beber diariamente até que morreu de cirrose.
Na terceira vivência, foi um "cowboy"do oeste americano. Morava numa fazenda com o pai e a mãe.  Tinha criação de gado, cavalos e galinhas. O seu pai, porém, era alcoólatra, chegava a casa bêbado e agredia a esposa diariamente. O meu paciente também começou a beber para fugir dessa situação difícil.  Um dia não suportou mais as agressões  do pai e matou-o com um tiro na cabeça.  Continuou bebendo cada vez mais, vendeu tudo que tinha para comprar bebidas, virou mendigo e morreu durante uma crise de abstinência.

Por Hee Jin Myung - Médica Psiquiatra, terapeuta de vidas passadas e Psicotranseterapia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário