Páginas

Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

domingo, 11 de março de 2012

Vidência


NOMENCLATURA:
VIDENCIA Também chamada clarividência, é a visão hiperfísica.
Clarividência [do latim claru + -i- + videntia]
 
[MEDIUNIDADE - Edgard Armond - 3ª edição]
 
Na mediunidade
Médiuns videntes: os que, em estado de vigília (acordado), vêem os Espíritos.  A visão acidental e fortuita de um Espírito, numa circunstância especial, é muito freqüente; mas, a visão habitual, ou facultativa dos Espíritos, sem distinção, é excepcional.
"É uma aptidão a que se opõe o estado atual dos órgãos visuais. Por isso é que cumpre nem sempre acreditar na palavra dos que dizem ver os Espíritos.”
 

[Livro dos Médiuns – Allan Kardec - item190]

FORMAS:  
Vidência: Pode apresentar-se:
de forma ativa, em que o sujeito projeta-se e percebe o mundo espiritual, 
A vidência ativa pode ser:
exterior (objetiva), em que o sensitivo capta a ocorrência espiritual como normalmente percebe qualquer objeto do mundo físico que o rodeia, ou interior (subjetiva), em que as imagens se sucedem na intimidade da mente, sem a sensação que uma percepção em nível tridimensional pode realmente produzir.
 
ou passiva, em que recebe a imagem em sua mente, como um processo telepático comum.

[Perispírito - Zalmino Zimmermann  - página 165]
 

 VISÃO DA VIDÊNCIA:
Os médiuns videntes são dotados da faculdade de ver os Espíritos.  Alguns gozam dessa faculdade em estado normal, quando perfeitamente acordados, e conservam lembrança precisa do que viram.  Outros só a possuem em estado sonambúlico, ou próximo do sonambulismo.  
Raro é que esta faculdade se mostre permanente; quase sempre é efeito de uma crise passageira
Na categoria dos médiuns videntes se podem incluir todas as pessoas dotadas de dupla vista.  A possibilidade de ver em sonho os Espíritos resulta, sem contestação, de uma espécie de mediunidade, mas não constitui, propriamente falando, o que se chama médium vidente.
O médium vidente julga ver com os olhos, como os que são dotados de dupla vista; mas, na realidade, é a alma quem vê e por isso é que eles tanto vêem com os olhos fechados, como com os olhos abertos; donde se conclui que um cego pode ver os Espíritos, do mesmo modo que qualquer outro que têm perfeita a vista. 
Sobre este último ponto caberia fazer-se interessante estudo, o de saber se a faculdade de que tratamos é mais freqüente nos cegos.
 
Espíritos que na Terra foram cegos nos disseram que, quando vivos, tinham, pela alma, a percepção de certos objetos e que não se encontravam imersos em negra escuridão

[Livro dos Médiuns – Allan Kardec - item 167]

03.16.5 - TABELA EXPLICATIVA:
Na obra de Allan Kardec pode ser explicada a partir do esquema abaixo:

TIPOS
Transe Profundo 
Transe Superficial 
Estado de Consciência
estado sonambúlico e de êxtase, em terminologia kardequiana
crise passageira, em terminologia kardequiana
Fenômenos Anímicos
Clarividência 
sonambúlica ou lucidez
Dupla vista
Fenômenos Mediúnicos
Clarividência mediúnica
Vidência mediúnica
Mecanismo Geral
Emancipação da alma (Projeção astral)
Emancipação da alma
 
A chave da distinção entre a clarividência e a vidência mediúnicas, encontrada na obra kardequiana, reside na extensão (profundidade) do transe mediúnico.

(Retirado do Boletim GEAE Número 329 de 26 de janeiro de 1999)
 
 APARIÇÕES:  
Aparições acidentais e espontâneas:
São freqüentes, sobretudo no momento da morte das pessoas que aquele que vê amou ou conheceu e que o vêm prevenir de que já não são deste mundo.  Há inúmeros exemplos de fatos deste gênero, sem falar das visões durante o sono.  Doutras vezes, são, do mesmo modo, parentes, ou amigos que, conquanto mortos há mais ou menos tempo, aparecem, ou para avisar de um perigo, ou para dar um conselho, ou, ainda, para pedir um serviço.
 
O serviço que o Espírito pode solicitar é, em geral, a execução de uma coisa que lhe não foi possível fazer em vida, ou o auxílio das preces.  Estas aparições constituem fatos isolados, que apresentam sempre um caráter individual e pessoal, e não efeito de uma faculdade propriamente dita.  A faculdade consiste na possibilidade, senão permanente, pelo menos muito freqüente de ver qualquer Espírito que se apresente, ainda que seja absolutamente estranho ao vidente.  A posse desta faculdade é o que constitui, propriamente falando, o médium vidente.
       
Faculdade propriamente dita de ver os Espíritos:
Entre esses médiuns, alguns há que só vêem os Espíritos evocados e cuja descrição podem fazer com exatidão minuciosa.  Descrevem-lhes, com as menores particularidades, os gestos, a expressão da fisionomia, os traços do semblante, as vestes e, até, os sentimentos de que parecem animados.  Outros há em quem a faculdade da vidência é ainda mais ampla: vêem toda a população espírita ambiente, a se mover em todos os sentidos, cuidando, poder-se-ia dizer, de seus afazeres.

[Livro dos Médiuns – Allan Kardec - página 211 item 168]
 
DESENVOLVIMENTO:
A faculdade de ver os Espíritos pode, sem dúvida, desenvolver-se, mas é uma das de que convém esperar o desenvolvimento natural, sem o provocar, em não se querendo ser joguete da própria imaginação.  Quando o gérmen de uma faculdade existe, ela se manifesta de si mesma.  Em princípio, devemos contentar-nos com as que Deus nos outorgou, sem procurarmos o impossível, por isso que, pretendendo ter muito, corremos o risco de perder o que possuímos.
Quando dissemos serem freqüentes os casos de aparições espontâneas, não quisemos dizer que são muito comuns.  Quanto aos médiuns videntes, propriamente ditos, ainda são mais raros e há muito que desconfiar dos que se inculcam possuidores dessa faculdade. E prudente não se lhes dar crédito, senão diante de provas positivas.

Não aludimos sequer aos que se dão à ilusão ridícula de ver os Espíritos glóbulos; falamos apenas dos que dizem ver os Espíritos de modo racional.  E fora de dúvida que algumas pessoas podem enganar-se de boa-fé, porém, outras podem também simular esta faculdade por amor-próprio, ou por interesse.  Neste caso, é preciso, muito especialmente, levarem conta o caráter, a moralidade e a sinceridade habituais; todavia, nas particularidades, sobretudo, é que se encontram meios de mais segura verificação, porquanto algumas há que não podem deixar suspeita, como, por exemplo, a exatidão no retratar Espíritos que o médium jamais conheceu quando encamados. 
[ Livro dos Médiuns – Allan Kardec - página 213 item 171]
 
Clarividência é a faculdade mediúnica de ver com detalhes não apenas os espíritos mas cenas do plano espiritual.  A percepção, via clarividência, é mais aprofundada. A pessoa entra em transe, permanecendo, mesmo que por breve tempo, em estado sonambúlico.
[CURSO DE ESTUDO E EDUCAÇÃO DA MEDIUNIDADE (apostila) – FEB]

Nenhum comentário:

Postar um comentário