Páginas

domingo, 18 de março de 2012

A Mulher Traída


Um homem com a vida potencialmente embaraçada, com grandes sofrimentos e desilusões em sua vida, conhece uma mulher meiga, amiga e muito sincera.
A mulher sempre muito equilibrada em seus objetivos, desenvolve um trabalho de ajuda a todos que dela se aproximam, amenizando as dores de uns e curando as feridas de outros,  permite a aproximação do homem em sua vida.
Esse homem, no entanto, por ter a sua vida bastante embaraçada, cheia de problemas profissionais e emocionais, com o passar do tempo começa a gostar da mulher devido ao carinho e ajuda que ela lhe dispensa, apaixona-se e fica a cada dia mais próximo da mulher, por sentir nela a amizade sincera, a força, a segurança e a proteção que procurava em sua existência.
Passado mais algum tempo, já bastante equilibrado devido à força espiritual da mulher, o homem pede a mulher para que permita a ele viver ao lado dela o resto de sua vida. Jura a ela fidelidade, amizade, sinceridade e a promessa de ajuda-la sempre que ela lhe solicitar ajuda, na promessa de devolver a ela e a outras pessoas que a procuram, a mesma ajuda que ela deu a ele.
O homem pede a mulher em casamento e é aceito por ela, inicia-se a vida em comum, vida na qual a mulher continua agindo da mesma forma que sempre agiu com o homem, dispensando a mesma amizade, o mesmo amor e a mesma sinceridade do passado.
O homem a principio, ajuda a mulher em seu trabalho e juntos começam a crescer muito na espiritualidade e conseqüentemente na vida material. Para atingir esse patamar, a mulher teve que dispensar ao homem muito tempo, muito amor e muita dedicação, amparando o homem nos momentos mais difíceis de sua vida, ocasião em que ficou sempre ao lado de sua cabeceira nas doenças que contraiu.
Passado algum tempo de vida em comum, o homem agora com a vida equilibrada, devido à força da mulher que o ajudou a equilibrar a sua vida, passa a ficar contrariado, quando ela lhe nega coisas que ele ainda não merece receber, por saber a mulher que concedendo coisas que os merecimentos do homem lhe negam, irão desvia-lo do caminho que iniciou ao lado dela.
Insatisfeito com a mulher que continua imperturbável em sua missão, ele deseja agora passear e a mulher solicita a sua ajuda em momentos em que ele quer se divertir.
O homem percebendo que a mulher não se desvia do caminho que iniciou já que ela não deixa de cumprir a sua obrigação, tanto com o ele, bem como, com todas as outras pessoas que dela se aproximam e ele enciumado e por discordar agora do trabalho da mulher que o ajudou no passado nos momentos de grande infortúnio, passa a difamar e em seguida trair a mulher com as melhores amigas e também as maiores inimigas dela.
De traição em traição, chega o dia em que outros amigos sinceros da mulher, ao descobrirem a traição, colocam um fim neste episódio, e afastam o homem do convívio da mulher.

Pergunta;

Você acha justa a decisão dos amigos sinceros da mulher, que afastaram o homem do convívio dela, já que ele  traiu a mulher que o ajudou, demonstrando grande ingratidão?



TRADUÇÃO DA MENSAGEM

Um homem (a humanidade – incluem-se os médiuns) com a vida potencialmente embaraçada, com grandes sofrimentos e desilusões em sua vida, conhece uma mulher meiga, (a Umbanda) amiga e muito sincera. A mulher sempre muito equilibrada em seus objetivos, (a pratica da caridade) desenvolve um trabalho de ajuda a todos que dela se aproximam, (a ajuda espiritual e filantrópica) amenizando as dores de uns e curando as feridas (as mágoas, os sofrimentos, a fome, as doenças) de outros, permite a aproximação do homem em sua vida. Esse homem, no entanto, por ter a sua vida bastante embaraçada, cheia de problemas profissionais e emocionais, com o passar do tempo começa a gostar da mulher devido ao carinho e ajuda que ela lhe dispensa, apaixona-se (ocasião em que ficamos maravilhados com a Umbanda, suas praticas e seus ensinamentos) e fica a cada dia mais próximo da mulher, por sentir nela a amizade sincera, a força, a segurança e a proteção que procurava em sua existência.
Passado mais algum tempo, já bastante equilibrado devido à força espiritual da mulher, o homem pede a mulher para que permita a ele viver ao lado dela o resto de sua vida. Jura a ela fidelidade, amizade, sinceridade e a promessa de ajuda-la sempre que ela lhe solicitar ajuda, na promessa de devolver a ela e as outras pessoas que a procuram, a mesma ajuda que ela deu a ele no passado. (para os médiuns a revelação da missão mediúnica e para os freqüentadores de um templo a ajuda material ou financeira que permitem que um templo mantenha suas portas abertas a outros (que como ele) procurarão por ajuda no futuro, ocasião em que agora tem a oportunidade e os meios de contribuir para compra dos alimentos e dos remédios aos necessitados).
O homem pede a mulher em casamento (o inicio da missão mediúnica para os médiuns ou o convívio assíduo dos freqüentadores de um templo) e é aceito por ela, (a Umbanda jamais privará alguém de entrar ou trabalhar em suas casas) inicia-se a vida em comum, vida na qual a mulher continua agindo da mesma forma que sempre agiu com o homem, dispensando a mesma amizade, o mesmo amor e a mesma sinceridade do passado.
O homem a principio, ajuda a mulher em seu trabalho e passa a crescer muito na espiritualidade e conseqüentemente na vida material. Para atingir esse patamar, a mulher teve que dispensar ao homem muito tempo, muito amor e muita dedicação, amparando o homem nos momentos mais difíceis de sua vida, ocasião em que ficou sempre ao lado de sua cabeceira nas doenças que contraiu.(doenças de ordem moral e espiritual, ficar na cabeceira, significa ficar ao lado do doente com grandes sacrifícios, até a cura de seus males, coisas que somente o coração de uma mãe é capaz de realizar).
Passado algum tempo de vida em comum, o homem agora com a vida equilibrada, devido à força da mulher que o ajudou a equilibrar a sua vida, passa a ficar contrariado, quando ela lhe nega coisas que ele ainda não merece receber, por saber a mulher que concedendo coisas que os merecimentos do homem lhe negam, irão desvia-lo do caminho que iniciou ao lado dela (tal qual fazemos com os que amamos, negamos aos nossos filhos as coisas que eles não estão preparados para receber, por sabermos que irão fazer mais mal do que bem a eles). Insatisfeito com a mulher (que lhe nega o que não merece receber) que continua imperturbável em sua missão, ele deseja agora passear e a mulher solicita a sua ajuda em momentos em que ele quer se divertir.(são os que se afastam dos cultos quando os problemas deixam de existir em suas vidas, recusando a ajuda necessária para manter a porta aberta, ocasião em que os ingratos pensam apenas em si mesmos, não comparecendo mais as reuniões com assiduidade, (sejam médiuns ou freqüentadores) para viajarem ou se divertirem, demonstrando grande ingratidão, esquecem-se rapidamente que a Umbanda conta com eles para poder continuar o seu trabalho).
O homem percebendo que a mulher não se desvia do caminho que iniciou já que ela não deixa de cumprir a sua obrigação, tanto com ele, bem como, com todas as outras pessoas que dela se aproximam e ele enciumado e por discordar agora do trabalho da mulher (os dias e horários em que preferem se divertir ou passear, quando na realidade deveriam estar ao lado da Umbanda nos dias e horários dos cultos) que o ajudou no passado nos momentos de grande infortúnio, passa a difamar e em seguida trair a mulher com as melhores amigas e também as maiores inimigas dela. (as melhores amigas da Umbanda, aqui podem representar as outras religiões, já que muitas pessoas se afastam da Umbanda quando nossos Guias lhes negam as coisas que não merecem receber e passam a procurar  outras igrejas na esperança de conseguir o que não merecem, ocasião em que acusam a Umbanda de coisas que Ela não faz e não pratica, ou ainda, os mexericos, as fofocas,  os comentários maldosos e as difamações envolvendo a Umbanda, seus trabalhadores e dirigentes, feitos por freqüentadores ou médiuns fracos e ainda o pior, o abandono da missão mediúnica. E as maiores inimigas da mulher são; o egoísmo, a vaidade, o orgulho e a intolerância natas nos que dela se afastam).
De traição em traição, chega o dia em que outros amigos sinceros da mulher (os Guias da Umbanda), ao descobrirem a traição, colocam um fim neste episódio, e afastam o homem do convívio da mulher. (o impedimento de comparecer as reuniões, forçado pelos nossos amigos espirituais, permitindo aos fracos e aos ingratos um meio de reflexão, ocasião em que se lembrarão com saudades da mulher que os amava e estarão impedidos temporariamente de sentir o calor de seu abraço).


Meu comentário sobre a mensagem

Esta mensagem de grande sabedoria transmitida pelo Caboclo Iatumani em 1999, retrata uma situação muito comum, tanto na Umbanda, como também em outras religiões.
A grande maioria das pessoas procuram pelas religiões para resolver problemas de ordem material (dinheiro, negócios, emprego, etc) e desconhecem que o objetivo das religiões é resolver problemas de ordem  espiritual.  Os incautos tornam-se vitimas do fanatismo, que diferente da fé não distingue a mentira da verdade e em tudo acreditam,  tornando-se vitimas de espertalhões e obsessores. 
Muitas igrejas vendem a idéia de que a felicidade só é possível quando se tem dinheiro e vida boa  e extorquem seus freqüentadores com dízimos e ofertas para Jesus. Esquecem-se os que lá comparecem, que existem homens riquíssimos que dariam todo o dinheiro que possuem para permitir que um filho volte a enxergar ou a andar sem as muletas, fato que não ocorrerá ainda que esse homem doe toda fortuna que possui para uma igreja,  por que Deus assim deseja, já que está provando tanto o pai quanto o filho. Se para os que possuem muito dinheiro a felicidade não existe plenamente,  nos mostram com esse exemplo que a felicidade não está no dinheiro e sim,  nas obras que realizamos em nossas vidas.
Os materialistas que vão as igrejas, sejam elas quais forem em busca de dinheiro e de vida boa, esquecem-se que deste mundo não levaremos os bens materiais que possuímos, se o rico não levará o dinheiro, o mendigo não levará sequer  a roupa do corpo.  No mundo espiritual o dinheiro ou o poder nada compram, lá os valores são outros, os tesouros são diferentes.
Os tesouros do Céu são os tesouros da alma, sejam para os médiuns, os pastores, os padres, os rabinos e outros com a missão sacerdotal em suas vidas,  são a dedicação, a caridade e a fraternidade que dispensam ao próximo. Esses são os tesouros do Céu, tesouros que lá ninguém rouba e que a traça não corroe. Esses são os mesmos tesouros que os freqüentadores das igrejas levarão para o mundo espiritual quando a morte vier busca-los, mostrando a sabedoria e a imparcialidade  de nosso Pai, que nos trata com igualdade.
Se uns possuem a missão sacerdotal que pode ser voluntária ou de prova, outros mais privilegiados por não a possuírem podem ter uma vida com menos compromissos ligados a outras pessoas. Esses compromissos, no entanto, não os exclui de responsabilidades com a sua igreja.
Muitos comparecem a Umbanda ou outras igrejas em busca das coisas materiais e assim que as conseguem, afastam-se demonstrando grande ingratidão. Tal qual o homem da historia acima, que enquanto nada tinha, aproximou-se da mulher que o recebeu com amor e amizade e assim que a sua vida voltou a se equilibrar, já não queria mais ajudar aos outros como foi ajudado. Mas por que o homem passou a agir daquela forma? A resposta é simples;

“Por que ele não tinha dinheiro ou estava com a vida desequilibrada espiritualmente quando conheceu a Umbanda e assim que o dinheiro voltou ao seu bolso ou a sua vida amocional e espiritual voltou a se equilibrar, ele já não queria mais ajudar a Umbanda, queria apenas passear e se divertir, traindo o compromisso que havia assumido com a sua igreja”.

Quando Jesus disse que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha, do que um rico entrar no Céu, Ele não se referia aos ricos em dinheiro, já que se assim o fosse, estaria condenando os ricos ao inferno. Jesus na realidade falou da grandeza espiritual que todos devemos almejar e não do ouro que um homem pode juntar em sua vida, já que um homem pode ser rico em ouro e pobre em espiritualidade, um outro homem pode ser pobre em ouro e rico em espiritualidade.
Certa vez perguntaram ao Caboclo Arranca Toco porque dele ter dito a seguinte frase:

“Vocês nunca verão um homem rico integrado a esta corrente”

Indagado sobre o porquê da frase, ele respondeu:

“Os ricos dificilmente pensam em Deus”

O ensinamento deixou claro que quando um homem tem suas necessidades matérias preenchidas através do dinheiro, esse homem dificilmente procurará por uma igreja em busca da evolução espiritual, antes de qualquer intenção nesse sentido, esse homem vai querer passear, viajar, se drogar, ser pervertido, etc.
Sejam dirigentes ou freqüentadores de uma igreja, todos possuem obrigações com a sua igreja, se a obrigação dos dirigentes é maior devido à missão, isso não exclui os freqüentadores das responsabilidades ao lado dos dirigentes.

Jesus disse:

“Os justos e os humildes herdarão a Terra”

A Terra a que Jesus se referiu, não é a terra para o cultivo e sim, o próprio planeta que habitamos.
A vida de um homem é como se fosse uma moeda. Uma moeda traz de um lado uma efígie e do outro o seu real valor, portanto, cada um de nós é uma moeda que não vale o seu valor segundo o cambio corrente dos homens e sim, de acordo com o cambio corrente no mundo espiritual, que taxa o valor de nossas almas e diz o quanto valemos ou valeremos no mundo espiritual. 
Se um homem trás na efígie de sua moeda algo que é falso, depois de sua morte será apurado o seu real valor espiritual gravado no reverso da moeda.  Cada um tira de si mesmo o principio de sua felicidade ou de sua desgraça futura. Quando um homem é levado ao inferno, essa representação indica que esse homem tomou conhecimento  de si mesmo e viu-se em profunda miséria moral, cuja conseqüência é a impossibilidade de se aproximar dos espíritos felizes e a sua condição superior.

“É próprio do servo verdadeiramente útil o realizar de sua tarefa com boa vontade e alegria, ele não só realiza o que lhe mandaram realizar, mas dá sempre um pouco mais de si. O servo inútil faz exclusivamente o que lhe pediram e quando possível, até um pouco menos, alegrando-se com o pensamento de que tapeou o seu amo”.

“A satisfação do trabalho bem feito caracteriza  o espírito superior”

Pai João do Congo


Se um homem junta tesouros na Terra, mas os obtém roubando ou privando seu próximo de seus direitos ou ainda pior, sendo preguiçoso, que no futuro não reclame se tiver o real valor da moeda que ele é revelado a todos com quem teve contato durante a vida na Terra e descobrir que tudo o que conseguiu juntar nessa situação, nada vale na vida futura. Lá de nada valerão as maquinas, os palácios, as roupas, as jóias e o dinheiro.

Infeliz na vida futura será todo aquele que privar ou se apropriar de direitos do próximo ainda que  construa sobre a Terra palácios para morar e igrejas para orar.

Caboclo Arranca Toco


Raciocine!

A história citada retrata os ingratos, que procuram se eximir quando solicitados, mostrando o quanto são ainda inferiores, já que se afastam de suas obrigações por serem intolerantes e orgulhosos.   
Se a sua vida voltou a se equilibrar, lembre-se do seu passado e você descobrirá que atravessou um mar de tormentas, graças à ação e ajuda de amigos que você não enxerga. Tal qual esses amigos, que chamamos de Guias, que só desejam ajudar as pessoas, faça você o mesmo, siga os exemplos dados por eles, que nos ajudam sem nada esperar de nós em troca.
Eu era ateu no inicio de minha juventude e hoje sou um sacerdote que dirige um templo, para chegar até aqui, tenha a certeza que conheci na dor  e na escuridão os meios para enxergar e dar valor  à luz.

Seja sábio, espero que na sua vida (como foi na minha) nunca seja necessário que a dor tenha que vir fazer o seu trabalho, já que está escrito;

“Quando o amor não nos ensina, a dor nos ensinará”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário