Páginas

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

A morte e a saudade que dói


A única certeza de que temos na vida, é que um dia iremos morrer. Esse é o desfecho inexorável de tudo que vive sobre a Terra. O verdadeiro cristão sabe que seus atos serão pesados e analisados no Juízo Final. E que Jesus Cristo e Deus, nosso Pai, estarão julgando cada ato e cada decisão que tomamos em nossa jornada terrena.
Mesmo assim, o bom cristão sabe que, acima de tudo, Jesus e o Deus Pai são misericordiosos e sabem que nossa carne é passível de muitas tentações. Portanto, não basta apenas que você se arrependa dos erros que cometeu. Você precisa abdicar do pecado.
E o que isso tem a ver com saudade?
Tudo. Muitas vezes temos um ente querido que vai ao encontro do Criador e ficamos chorando e lamentando a perda dessa pessoa. Mesmo sabendo que ele apenas voltou para os braços carinhosos do Pai e viverá com Jesus, a morte é um acontecimento que vai além de nossa compreensão. Egoisticamente, desejamos que aquela pessoa permaneça ao nosso lado e, muitas vezes, essa pessoa sofre muito com doenças e dores. Sabemos que Jesus Cristo concede a cada um, uma cruz nem um grama mais pesada do que aquela que podemos suportar. E que todo o sofrimento é dado como oportunidade de testarmos nossa fé e provarmos a Deus que somos dignos de viver ao seu lado.
Devemos entender que, quando morremos, os que ficam devem elevar seus pensamentos ao Criador e depositar suas esperanças em Jesus Cristo. Através da oração sincera e da compenetrada emoção, conseguiremos nossa paz e daremos a alma de nosso ente querido à certeza de que irá para um lugar longe dos problemas, atribulações e doenças que atingem nossa carne mortal.
A saudade é a forma como declaramos nosso amor pelos que vão. Mas ela não deve exprimir apego e egoísmo. Lembre-se que nosso amado Pai exigiu a presença de seu filho junto a si e que, um dia, todos nos reencontraremos e enfrentaremos seu julgamento.
Assim, lembre-se sempre de que mesmo doendo muito, a morte de alguém que amamos representa a libertação e reencontro. Lembre-se dos momentos felizes que você viveu ao lado dele e regozije-se por ele estar em paz.
Como disse, certa vez, o grande poeta Fernando Pessoa: “A vida é uma estrada onde almas se encontram e se separam. A morte é uma curva nessa estrada. Morrer é apenas não ser mais visto”.
Ore, derrame seu amor por quem se foi, chore, desabafe e lamente pela partida. Mas lembre-se sempre que ela é temporária e que, em breve estaremos todos juntos no amor de Deus.
Tenha fé e que Deus abençoe a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário