Páginas

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Uma sugestão: Liberte-se da culpa

Somos nascidos sob a influência da culpa. E por isso, temos sido instruídos, disfarçadamente, a senti-la a fim de buscarmos a (suposta) paz, para nossa consciência. As religiões são hábeis nesse sentido. Ou seja, levar o indivíduo a se martirizar interiormente para poder se libertar de algum pecado ou problema com Deus. Qualquer estudioso mais acurado,  perceberá o grave paradoxo entre culpa e libertação.
Lamentavelmente, essa tem sido a programação milenar a qual estamos subordinados, tanto antes quanto depois de assumirmos o corpo físico.
A culpa tem sido usada por líderes do universo-trevas e manipulada em nossas almas, como instrumento de controle emocional para que lembremos  de quem realmente manda neste planeta, nesta dimensão temporal e quem faz as regras nela.
O sentimento de culpa aleija o espírito e paralisa a alma que, sentindo-se merecedora de algo, não consegue acessar os seus mananciais divinos e nem interagir livremente com situações, lugares e pessoas. Imagine que tem gente que se sente culpada até pelo que ainda não conteceu. É incrível o poder paralisante e destruidor desse sentimento para o espírito humano. E isso, os tenebrosos conhecem muito bem, e fazem bom proveito dessa "arma" destruidora.
Alerto, portanto, que sentir-se culpado só piora as coisas em nossa existência, pois a culpa fortalece o medo e o remorso, levando à autopunição, que é uma verdadeira trava para o indivíduo.
Ao lidarmos com os acontecimentos do cotidiano, o ideal é agir com responsabilidade e termos a noção dos nossos limites para que, ao final, não haja mortos e nem feridos (se é que você me entende).
Uma sugestão: liberte-se da culpa e, conseqüentemente, do medo e do remorso! Isso lhe fará um ser humano melhor. Mas saiba que tudo o que fazemos pode se voltar contra nós. Portanto, faça o seu melhor, sem agredir a sua consciência e tampouco as consciências alheias.

POR GESIEL ALBUQUERQUE

Nenhum comentário:

Postar um comentário