Páginas

Chat


Get your own Chat Box! Go Large!
Tenham bom senso e responsabilidade com o que está sendo dito, com bom uso e principalmente, tendo em mente que TODOS deverão ser respeitados em suas diferenças, inclusive de opinião. Assim, nenhum usuário precisará ser bloqueado. O conteúdo da conversa, deve ser relacionado aos temas do blog.
É proibido o uso de nicks com nomes de Entidades, Cargos do Tipo Pai, Mãe, Ogan etc. ou Orixás, ou nicks considerados como insultuosos ou ofensivos.
É proibido insultar ou ofender qualquer utilizador deste chat. Respeite para ser respeitado.
Não informe dados pessoais na sala de chat, tais como E-mail,
Nº de telefone.
Esse tipo de informação deve ser em conversa privada com o membro, pois o Blog não se responsabiliza por quaisquer dano e/ou prejuízo.
Ao menos uma vez por semana, estarei presente e online para quem quiser conversar, compartilhar algo e/ou trocar idéias.

sábado, 13 de agosto de 2011

Qual é sua corrente? Que tipo de elo você é?

Acreditem, temos tantas energias contrárias, posicionamentos julgadores, seres tentando negativar nosso trabalho que, quando percebemos a quantidade de pessoas que torcem, que gostam e que nos ajudam, ficamos deslumbrados e emocionados.
Claro que não damos muita importância para toda essa ação negativa, mesmo porque ela nos ajuda a manter nossas convicções bem firmadas na Lei de Pemba, assim como nos mantém sempre vigilantes.
Mas o assunto que quero compartilhar com todos vocês hoje não é, pontualmente, esse. Quero falar sobre a importância da EGRÉGORA em nossa vida e em nossa Umbanda.
Egrégora provém do grego “egrêgorein” = velar, vigiar, e indica a força gerada pelo somatório de energias físicas, emocionais e mentais de duas ou mais pessoas quando se reúnem com a mesma intenção, energia e vibração, ou seja, quando várias pessoas têm um mesmo objetivo comum, suas energias se agrupam e se “arranjam” formando um padrão, uma tendência, uma EGRÉGORA.
Todos os agrupamentos humanos possuem suas egrégoras características: todas as empresas, clubes, religiões, famílias, partidos, etc.
Um exemplo de egrégora encontramos no hospital. O principal objetivo dos que ali estão é serem curados ou promover a cura, independente de êxito. Portanto, um hospital carrega consigo uma “Egrégora de Cura” que está no chão, nas paredes, no nome, nos frequentadores do hospital, nos funcionários, pacientes e visitantes. São muitas mentes voltadas para um único objetivo, isso é concentração de energia, isso é egrégora!
Percebam que existe então, a egrégora do amor, da piedade, do perdão, da fé, da cura, da alegria, da paz, assim como existe a egrégora do medo, do ódio, da discórdia, da inveja, da vaidade etc, dependendo somente de nossos pensamentos e sentimentos.
Vale saber que uma boa egrégora formada com pensamentos virtuosos, com força vibrante e positiva, é muito mais forte do que qualquer ação negativa individual. Portanto, criar, fazer parte e manter uma egrégora de Fé, Luz e Amor deve ser o maior objetivo de todos os médiuns, assim como deve ser a principal função de todos os Pais e Mães Espirituais, afinal, é a arma mais poderosa que temos contra qualquer investida negativa.
Acredito que com essa pequena exposição deu para perceber o quanto somos capazes e o tamanho de nossas responsabilidades perante tudo e todos, principalmente em nossos Terreiros onde é tudo muito acentuado, onde diversas energias, várias necessidades, múltiplas vibrações, centenas de espíritos estão interagindo conosco, médiuns trabalhadores.
Aliás, creio ser essencial que entendamos a importância da ‘união’, do ‘pensar junto’, do ‘desejar a mesma coisa’, do ‘firmar a corrente mediúnica’ com a mesma intenção, com a mesma vibração e com a mesma intensidade, assim como, creio ser importantíssimo que cada um dentro do terreiro perceba o quanto é responsável pelo outro e por todos.
Enfim, entender sobre “egrégora” é fundamental para qualquer médium, qualquer consulente, qualquer dirigente e qualquer ser humano que se preocupa em “fazer o melhor” e “viver bem”.
E para que consigam saber mais sobre esse assunto, acompanhem o texto abaixo de Claudio Zeus - extraído do livro “Umbanda Sem Medo” Vol I, que  publiquei no JUCA – Jornal de Umbanda Carismática, quando ele fez dois anos (agosto 2008 – ed. 24).
Esse texto foi muito elogiado e norteou muitos médiuns e consulentes na época, portanto, espero que gostem, assim como, espero que com esse aprendizado, todos nós, médiuns trabalhadores, possamos dar as mãos, rezar e bater cabeça durante todos os trabalhos espirituais com mais responsabilidade, amor e compaixão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário