Páginas

domingo, 8 de maio de 2011

Inveja


Visitas indesejáveis... MENTIRA, INVEJA E CIÚMES.
A pior coisa que existe no mundo depois da MENTIRA é a INVEJA. Infelizmente, ambas são aparentadas, se multiplicam e existem aos montes, atacam por todos os lados. Dizem que são terríveis, até a velha Medusa as temia. Soube que foram geradas do mesmo pai embora tenham mães diferentes. Vocês acreditam que me deparei com elas de repente, vieram me visitar.
A MENTIRA é feia e falsa. Mas, se mascara para se divertir. Adora se entranhar na vida humana, agora com a internet ela deita e rola... Ela é filha do FRACASSO com a Mil Faces. Zomba da carência dos humanos que lhe permite atingir e convencer qualquer um das suas maldades e sandices. Todos caem em seus fortes braços...
NEM TODOS, CLARO, EXCETO AQUELES QUE TÊEM A VERDADE COMO PROTETOR
Já a INVEJA é mal humorada. Traiçoeira, fica buscando a quem atacar. É predadora sutil e perigosa. Ela é mais bonitinha que a irmã. Isso porque também é filha do FRACASSO. Sua mãe é a famosa FRAQUEZA.
A INVEJA vive de romance e aos beijos com o CIÚME, por isso torna-se cada vez mais cheia de ódio pelos que são bem sucedidos ou homenageados. Nunca foi convidada para comemorações, nem nunca o será. Mas ela se disfarça como a mana MENTIRA e aparece para atacar suas vitimas... INVEJA E CIÚME juntos não têm quem suporte.
Para completar se uniu ao grupo horroroso o CAOS. Este diz que quanto pior está o mundo mais ele gosta, por isso ajuda o trio. Se as coisas se ajeitarem ele cai fora, não gosta de ordem e harmonia, diz que isso dá “enjôo” nele...
Uma pergunta é preciso fazer: algum de vocês já se deparou com estas aberrações? Que fizeram para se defender?
Elas apareceram aqui na “minha praia” sem serem convidadas. Sem saber o que fazer, chamei o AMOR, A VERDADE E O SUCESSO para expulsarem estas nojentas. Eles vieram me socorrer, deram uma coça nelas. Elas partiram. Entretanto, avisaram que vão voltar se meus guardiões me deixarem...
O AMOR, A VERDADE E O SUCESSO prometeram nunca me abandonar. Fiquei tranqüilo por enquanto. Mas, esses amigos, às vezes, somem...

“INVEJA, DO LATIM INVÍDIA
1. DESGOSTO, ÓDIO OU PESAR POR PROSPERIDADE OU ALEGRIA DE OUTREM.
2. DESEJO DE POSSUIR OU GOZAR ALGUM BEM QUE OUTRO POSSUI OU DESFRUTA.”

A inveja é uma das mais perigosas paixões humanas, sobretudo porque nunca se apresenta como tal e o seu grau de destruição costuma ser máximo. Também não é um sentimento que os estúpidos dominem, mas atrai, sobretudo as pessoas inteligentes. O invejoso não deve mostrar o objeto ou motivo da sua inveja, pois nessa atitude poderá desmascarar-se. A inveja, naturalmente, é típica dos medíocres, daqueles que ficaram abaixo do potencial sonhado, dos que conhecem as próprias limitações, embora nunca o confessem. Mas o que a move é sempre a argúcia e a paciência
O mundo do belo, do glamour, da moda, do status, da marca, das amizades influentes, do consumo. Esse é o nosso mundo. Que nos seduz, fazendo-nos ouriçar de desejos. Esse mundo que está aí, ao nosso redor, em todas as classes e posições sociais.
“Ah, como eu queria ser como ela...” Suspira alguma dona-de-casa vendo a atriz favorita da novela das oito.
“Quanto será que deve ser pra colocar uma bunda igual à dela?” Pensa desejosa a cabeleireira, vendo, na televisão, a dançarina de algum grupo de axé.
A inveja se mistura com o desejo, o desejo com a inveja. A coisa atinge um grau mais preocupante quando a pessoa, sentindo-se IMPOTENTE por não possuir algo que deseja, começa a DENEGRIR incessantemente o outro.
“Júlia! Vem ver! O Diogo chegou em casa com um carrão daqueles! Deve tá roubando muito na firma, aquele pilantra!” Comenta aflito algum vizinho.
“O quê? O Otávio é o novo presidente da companhia? Eu, de olhos fechados, tenho muito mais competência, sou mais arrojado e criativo do que ele!” Argumenta um alto executivo.
Existem até casos onde elogios são pura inveja disfarçada.
“Oi, meu bem!” ─ beijinhos ─ “Está lindo esse teu vestido. Esses brincos, então, ficaram perfeitos em você!”, depois, sai pensando, “Mocréia exibida!”.
Esse mundo desperta no bicho-homem um sentimento que é nato, está em todos nós, mas se não for bem digerido, pode-nos anular na ascensão social. Claro que grande parte da mídia nos oprime, nos deprime, nos angustia. Mas ela está aí pra isso mesmo. E isso acaba se refletindo em todas as áreas da nossa vida. Porque nós, queiramos ou não, somos orientados, trabalhados para “querer”, “possuir”, “desejar”. Nem sempre discernimos o que nos impõem. Devemos triturar as informações de modo que possamos filtrar as impurezas. O desejo termina por se tornar inveja pura.
O invejoso vive falando sempre bem de si mesmo, se engrandecendo em todas as oportunidades, procurando sempre diminuir o outro em cima de críticas, fofocas, intrigas, e muitas vezes ataca com mentiras. Um sentimento de raiva, às vezes, ira, causado muitas vezes, pela própria inércia em conseguir alcançar a coisa desejada. O invejoso torna-se, no fim, UM FRUSTRADO. Seu desequilíbrio aumenta e seu fracasso também, pois não vê que o seu insucesso não está no sucesso do outro, mas em si mesmo.
Temos que trabalhar a inveja. Uma inveja destrutiva pode muito bem passar a ser uma inveja construtiva. Se ao invés de invejarmos a bela namorada do outro, o belo carro, a bela bunda, o belo salário, a bela casa, a inteligência, a popularidade, o reconhecimento de outrens àquela pessoa, usemos a inveja como fonte de estímulo e empenho para conseguir o que queremos. E esqueçamos o que realmente não nos fará falta. Pois, às vezes, sentimos inveja por coisas que não estamos precisando de verdade, apenas pensamos (ou nos fizeram pensar) que estamos.

VAMOS À RECICLAGEM, TÁ NA MODA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário